Somos salvos pela graça de Deus

Para entendermos a maravilhosa graça de Deus, que se manifestou em seu filho Jesus Cristo, devemos falar também da Lei, a Lei dada por Deus a Moisés e o povo hebreu para que fosse cumprida por eles, para que eles um povo separado e diferente dos outros povos, pois é a partir dessa Lei que conhecemos a graça de Deus. Deus atuou na vida do povo hebreu com salvação e graça mesmo antes da Lei dada à esse povo, como fidelidade a promessa feita a Abraão. Deus prova tal graça e misericórdia antes da Lei, ao tirar esse povo do Egito com mãos poderosas e grandes milagres, para só depois do povo livre, dar à eles Sua Lei, mostrando que a ação de Deus, a libertação e salvação do povo de Israel, não veio pela obediência a obras da Lei e ritos, mas pela graça e fidelidade do Senhor. Seria a Lei então inútil? Claro que não! O apóstolo Paulo diz que a Lei se faz necessária para mostrar o pecado, e ainda, a Palavra de Deus diz que a Lei veio para que todo homem se reconheça culpado e não possa abrir a boca diante de Deus. Mostrando que, pela Lei, todos estamos condenados, mas é pela graça de Deus que somos salvos!

A obediência de Israel à Lei devia fundamentar-se na misericórdia redentora de Deus e na libertação que o Senhor promoveu, uma obediência pela fé e confiança no Deus que os resgatou da escravidão do Egito. Então, a obediência à Lei se fazia, primeiramente, por uma obediência sem Lei, somente na fé, confiança, e gratidão à Deus. Só a partir daí, da obediência por gratidão, que viria a completa e sincera obediência à Lei dada, pois haveria, antes, a obediência a Deus por amor e gratidão. A Lei não foi dada como um meio de salvação para os perdidos, ela foi destinada para os que já tinham um relacionamento de salvação com Deus. Para exemplificar, seria como as obras e novos comportamentos em algumas igrejas. Eles não são dados para aqueles que não são salvos para se salvarem, eles são dados para aqueles que já são salvos, para seguirem uma nova maneira de andar. É algo feito por quem já é salvo, que já recebeu a graça de Deus, e diante de um novo parâmetro de vida, o fazem por amor e obediência, por que já foram alcançados pela graça salvífica, o fazem com gratidão. Pela Lei, Deus ensinou seu povo como andar em retidão diante dEle como seu Redentor, e igualmente diante do seu próximo. Os israelitas deviam obedecer a Lei mediante a graça de Deus a fim de perseverarem na fé e cultuarem a Deus também por fé, pela graça de salvação, aprender a andar como Deus queria como gratidão ao que foi feito, não buscar ser salvos por isso. Tanto no Antigo Testamento, quanto no Novo Testamento, a total confiança em Deus, na Palavra dEle, e o amor sincero à Ele, formaram o fundamento para a guarda dos seus mandamentos, só guardamos seus mandamentos por que O amamos, e só O amamos, por que Ele nos amou primeiro, mesmo nós ainda sendo pecadores. Sem o amor à Deus, e a gratidão sincera pela salvação que Ele operou, não há uma obediência verdadeira nem na Lei do Antigo Testamento, nem aos mandamentos de Cristo no Novo.

Israel fracassou justamente aí, pois na maior parte das vezes, aquele povo não fazia da fé em Deus, nem do amor a Ele, e do propósito de andar nos caminhos do Senhor, o motivo de cumprirem a Sua Lei. O apóstolo Paulo diz que Israel não alcançou a justiça que a Lei previa, porque “não foi pela fé” que a buscavam, mas pelas obras da Lei, pelas obras de suas próprias mãos. A Lei ressaltava a verdade eterna que a obediência à Deus, partindo de um coração cheio de amor levaria a uma vida feliz e rica de benção da parte do Senhor. Mas deveria partir de um coração cheio de amor, não somente pelas obras da Lei.

Mas a verdadeira manifestação da graça de Deus, em seu mais alto grau, foi manifestada em Jesus Cristo (João 1.16,17; Gálatas 4.4-6). Que maravilhosa graça é essa?! Pelo sacrifício de Jesus, pela fé nEle, hoje recebemos muito mais do que só o perdão de nossos pecados. Como Paulo diz que Jesus nos libertou dos afazeres da lei, e nos remiu, nos resgatou para Ele, nos adquiriu para Ele, expiou nossos pecados, pagou nossas dívidas para com Deus, para que a partir do que Ele fez, e nós crendo nEle como sendo o Filho de Deus, mesmo sendo pecadores, receberemos o perdão, e mais, recebemos o Espírito de Seu Filho, Jesus Cristo, pelo qual passamos a ser filhos adotivos de Deus. Deus, pela Sua graça, manifestada em Cristo Jesus, nos dá não só o perdão, mas também nos adota como filhos.

Mas, já não éramos filhos de Deus? Não! Antes éramos criaturas de Deus. Só quando aceitamos a Cristo e seu sacrifício é que passamos a ser filhos de Deus, filhos adotivos. E o que precisamos fazer? Nada! É nisso que consiste a graça, por que Jesus, o Filho de Deus, sendo também Deus, se despojou de toda a sua glória e poder, e veio ao mundo, como homem, o Criador como criatura, para nos mostrar a grandiosa graça de Deus, morrendo por nossos pecados, pagando nossas dívidas para com Deus, Ele nos deu, de graça e pela graça, o acesso a vida eterna! Como João Batista diz no evangelho narrado pelo apóstolo João; a Graça e a verdade vieram por Jesus Cristo. Foi por Sua morte e sacrifício que a graça foi derramada a todos quanto quiserem.

E o que devo fazer quanto à isso? Receba a Jesus Cristo, e a graça que Ele veio nos dar. Sem sacrifício, sem dor, sem esforço pessoal. Somente crer e receber o que Ele já fez por nós. Toda a bíblia nos mostra que a graça é um presente de Deus, como diz o apóstolo Paulo. Devemos reconhecer que semDeus não somos nada, e nada podemos fazer para ser salvos, em nenhum outro há salvação, só em Jesus Cristo! E é pela Sua graça que somos salvos !

“Porque pela graça sois salvos por meio da fé; e isso não vem de vós; é dom de Deus, não vem das obras, para que ninguém se glorie” (Efésios 2.8,9).

Por, Wanderson Reginaldo Monteiro.

image_printImprimir

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Google Translate »