O que a Bíblia diz sobre o crescimento espiritual

O que a Bíblia diz sobre o crescimento espiritualDa mesma forma como a natureza tudo que tem vida cresce, a vida espiritual é marcada por crescimento e frutificação Pedro exorta seus leitores: “Antes, crescei na graça e no conhecimento de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo” (2 Pedro 3.38).

Crescimento espiritual é processo pelo qual o crente se torna mais e mais semelhante a Jesus Cristo. À medida que o crente cresce na fé em Cristo (2 Tessalonicenses 1.3), o Espírito Santo inicia o processo a fim de que nos tornemos mais parecidos com Jesus, fazendo com que nos “conformemos” à Sua imagem (2 Coríntios 3.18).

Por que crescer espiritualmente?

1) Porque é a vontade de Deus – Pelo poder do Espírito Santo, o crente passa a ter vida nova em Cristo; pelo Espírito Santo, o salvo tem acesso a Jesus, a revelação de Deus, e dessa maneira rende-se a Ele e o Espírito Santo se apossa do crente e opera nele “porquanto o amor de Deus está derramado em nossos corações pelo Espírito Santo que nos foi dado” (Romanos 5.5).

2) Para ser útil ao Reino de Deus – A vida cristã é vida de desenvolvimento, crescimento rumo à maturidade, à frutificação, pois tudo que tem vida no Reino de Deus precisa frutificar (João 15.1, 5).

Falta de crescimento

A falta de crescimento físico é um grave problema que afeta a pessoa como um todo. Da mesma maneira, a falta de crescimento espiritual é o motivo de muitos problemas e dificuldades causadas por crentes imaturos na igreja do Senhor. Na epístola aos Hebreus, o autor aponta a meninice espiritual como um dos motivos das aflições que os seus leitores originais enfrentavam (Hebreus 5.11-14).

Vejamos algumas características dos meninos espirituais:

a) São carregados por vento de doutrina (Efésios 4.14);

b) Não podem suportar o alimento sólido, são superficiais (1 Coríntios 3.2);

c) Vivem em ciúmes e contendas (1 Coríntios 3.3);

d) Não conseguem compreender as coisas de Deus (1 Coríntios 2.14);

e) Tem falar, pensar e sentir próprios de menino (1 Coríntios 13.11);

f) Alimentam-se só de leite (apenas os primeiros rudimentos da fé) (Hebreus 5.11-14);

g) Continuam como escravos da carne (Gálatas 5.18-21; Romanos 8.7, 8);

h) Tropeçam com facilidade (Romanos 14.13-20; 1 Coríntios 10.32).

A solução de Deus para o problema da meninice espiritual é o crescimento espiritual, pois, somente com o crescimento espiritual, o crente imaturo pode deixar as coisas de menino (1 Coríntios 13.11).

O que é crescimento espiritual?

O crescimento é um processo natural. Uma criança saudável cresce sem precisar qualquer esforço para tal; da mesma forma, a igreja, como corpo bem ajustado, “efetua seu próprio crescimento” (Efésios 4.16). Todo crente que vive em comunhão com Deus segundo a Bíblia cresce em espírito. Observemos como a Bíblia define o crescimento espiritual:

1) É permanecer em Cristo – Jesus disse para ser frutífero o crente deve permanecer nEle (João 15.4-6). O crescimento espiritual depende de nossa completa dependência do Salvador, pois Ele diz “Sem mim nada podeis fazer” (João 15.5). Assim como não podemos apagar nossos pecados, não podemos crescer e produzir o fruto sem Cristo. Portanto, a responsabilidade do cristão é permanecer em Cristo, o que aponta também para o alimentar-se de Cristo e da Sua Palavra, bem como o andar no Espírito.

2) É alimentar-se de Cristo e de Sua Palavra – A Palavra de Deus é uma agência de crescimento espiritual. Pedro disse que quando o crente se alimenta do leite racional, não falsificado, passa a crescer (1 Pedro 2.2). O conhecimento de Cristo é a chave que abre a porta para a santificação (João 17.3).

3) É andar no Espírito – Estar totalmente comprometido e submetido a Deus, de modo que o Espírito Santo ajuda o crente a vencer a carne (Gálatas 5.16; Romanos 8.13), produz o fruto do Espírito (Gálatas 5.22), que é a prova efetiva do crescimento espiritual.

Crescer na fé e na graça

Através do crescimento em fé, o salvo tem condições de estar firme nas promessas e por fim tomar posse da vida eterna (1 Timóteo 6.12). Como vimos, o crescimento do crente é de glória em glória (2 Coríntios 3.18), seu caminho vai brilhando mais e mais até ser dia perfeito (Provérbios 4.18).

Através das disciplinas espirituais, como a leitura e meditação das Escrituras, oração e jejum, o crente alcança a maturidade espiritual a chega mais perto de Cristo; então, os sinais do crescimento começam a aparecer: a paz, a alegria, a esperança, a segurança, a gratidão, o serviço (Romanos 14.17; João 14.27; Romanos 5.5; 1 Pedro 1.3; João 5.12, 13; Lucas 24.53;  Romanos 12.1).

A graça de Deus é o Seu grande amor que não merecemos, que nos faz ser o que somos (1 Coríntios 5.10). Paulo diz que a graça é pedagógica (Tito 2.11, 12). Essa graça que nos educa não é uma “graça barata”, tampouco pregação de auto-ajuda, sem cruz nem arrependimento de pecados, não é batismo sem discipulado real, não é comunhão sem confissão. Essa graça nos leva a buscar um quebrantamento que traz a paz real e poder para resistir o pecado.

Crescer na graça significa ser transformado segundo a imagem de Cristo, o que Deus produz em nós pelo poder do Espírito Santo (2 Coríntios 3.18), despertando em nossa vida um novo senso de responsabilidade por nossas atitudes, de propriedade por nossas ações, novo sentido de esperança para o futuro.

Conhecimento

Os neopentecostais  e alguns grupos pentecostais hoje desprezam o crescimento no conhecimento na Palavra de Deus, por julgar que o conhecimento, mesmo o conhecimento bíblico, é um bloqueador da unção divina. Essa visão é muito equivocada, pois:

1) Quando falta o conhecimento, o povo de Deus é destruído (Oséias 4.6);

2) Os justos são libertados pelo conhecimento (Provérbios 11.9);

3) O conhecimento é mais valioso que o ouro (Provérbios 8.10);

4) “Os olhos do Senhor conservam aquele que tem conhecimento” (Provérbios 22.12);

5) O Espírito do Senhor é o Espírito de Conhecimento (Isaías 11.2);

6) O Servo do Senhor com seu conhecimento justificou a muitos (Isaías 53.11);

7) Deus diz: “Misericórdia quero, e não sacrifício, e o conhecimento de Deus, mais do que holocaustos” (Oseías 6.6);

8) “O povo que conhece ao seu Deus se tornará forte e ativo” (Daniel 11.32);

9) “A vida eterna é esta: que te conheçam a ti, o único Deus verdadeiro, e a Jesus Cristo, a quem enviaste” (João 17.3).

Crescemos no conhecimento de Deus à medida que estudamos as Escrituras contando com a iluminação do Espírito Santo (Efésios 1.17-19). Na era pós-moderna, onde o pragmatismo impera, as pessoas buscam apenas a experiência sem preocupar-se com a essência. Portanto, o conhecimento da Palavra de Deus torna-se mais importante do que nunca, pois é por ele que entendemos a vontade de Deus e exercemos nosso papel como igreja relevante nesta geração.

Por, Paulo André Barbosa.

image_printImprimir

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Google Translate »