Jesus ressuscitou 72 horas depois?

Como se dá a contagem dos três dias entre a morte e ressurreição de Jesus, se Ele morreu sexta à tarde e ressuscitou no domingo de manhã?

Jesus ressuscitou 72 horas depoisQuando os escribas e os fariseus pediram um sinal miraculoso que comprovasse a identidade messiânica de Jesus, ele respondeu: “Uma geração má e adúltera pede um sinal, porém, não se lhe dará outro sinal senão o sinal do profeta Jonas; pois, como Jonas esteve três dias e três noites no ventre da baleia, assim estará o Filho do homem três dias e três noites no seio da terra” (Mateus 12.39,40). Jesus estava fazendo referência ao texto de Jonas 1.17, que diz que “esteve Jonas três dias e três noites nas entranhas do peixe”.

Na contagem de tempo utilizada comumente no oriente, a palavra dia refere-se a um período que envolvia um entardecer e um amanhecer, e que poderia ser um dia inteiro ou apenas parte dele. A Bíblia menciona alguns períodos de três dias que terminaram no terceiro dia, mas que não se referem a três dias completos, de 24 horas, cada, como foi com José e seus irmãos (Gênesis 42.17-19), com Roboão e os anciãos de Israel (2 Crônicas 10.5,12), ou para mostrar o período de fome que o egípcio enfrentou, quando foi abandonado pelos amalequitas (1 Samuel 30.11,12).

Os evangelhos relatam que Jesus foi crucificado na “véspera do sábado” (Marcos 15.42), que era o “dia da preparação” (Lucas 23.54) e que foi ressuscitado no amanhecer do primeiro dia da semana, após o sábado (Mateus 28.1-6), que era o terceiro dia (1 Coríntios 15:4). O próprio Jesus fez referência a este período de três dias, quando expulsou os cambistas do templo. O apóstolo João afirma que eles entenderam que Jesus falava do período de sua morte, somente após a ressurreição (João 2.18-22). Este fato também foi citado pelos que o criticavam durante a crucificação (Mateus 27.39,40) e pelas falsas testemunhas que o acusavam diante do Sinédrio (Mateus 26.61). Os líderes judaicos também entenderam assim, por isto pediram a Pilatos que providenciasse guardas para o túmulo, dizendo: “Manda, pois, que o sepulcro seja guardado com segurança até ao terceiro dia” (Mateus 27.63,64).

Logo, comparando a citação de Mateus 12 com tudo o que Jesus afirmou sobre sua morte e ressurreição, podemos perceber, sem contradições, que Jesus ressuscitou ao terceiro dia, ou seja, que desde a sua morte até a ressurreição, foram decorridos três dias: parte do primeiro dia, o todo do segundo dia e parte do terceiro dia, não importando quantas horas ele permaneceu no túmulo.

Não devemos estranhar esta forma de contar o tempo, pois isso se repete em algumas situações da vida moderna. Quando uma mulher tem um filho recebe por direito uma licença para cuidar dele por um período de vários dias. Se o bebê nascer logo após a meia noite, o primeiro dia da licença será de mais de 23 horas; mas se ele nascer perto da meia noite o primeiro dia da licença será de poucos minutos. Se alguém contrai uma dívida para pagar em três dias o primeiro dia será de quantos minutos ou horas faltarem para a meia noite e o terceiro dia será de quantas horas faltarem para fechar o expediente bancário. Em casos como esses, dia se refere a um período que nem sempre é de 24 horas.

Por, Márcio Klauber Maia.

image_printImprimir

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Google Translate »