Categoria: Família

Perigos no lar: como vencê-los?

A essência do termo“casa” é o mesmo para lar, significa não tratar-se da edificação arquitetônica erguida com materiais de construção. É importante saber que o lar é o local onde a família é estabelecida e seus ocupantes aprendem a respeitar as características, o espaço e os bens do próximo, incluindo o compartilhamento de regras, limites, valores, princípios e etc. É um espaço de compartilhamento de informações além do descanso no final do dia.

Resistindo à crise familiar

Vivemos tempos de crise. Não apenas uma crise econômica e política, mas uma crise sem precedentes que coloca à prova todo o modelo social estabelecido, refletindo no comportamento e, por conseguinte, na moral dos indivíduos que formam a sociedade.

O modelo judaico-cristão de família (marido, esposa e filhos) está sofrendo constantes ataques por aqueles que o consideram retrogrado e incapaz de atender aos anseios de uma cultura cada vez mais secularizada e distante de Deus. Este modelo que durante milênios serviu como base para toda a sociedade ocidental está tendo, nas últimas décadas, que concorrer com outros modelos impostos por grupos minoritários que ganham cada vez mais espaço no pensamento contemporâneo. Mas não é somente isso. O divórcio, que era tido como escandaloso, tornou-se corriqueiro, com o seu número crescendo a cada ano que passa. O adultério, que era considerado afronta à moral e aos bons costumes da sociedade, é cada vez mais incentivado pela mídia secular através de seus folhetins e suas celebridades que traem constantemente seus cônjuges, incentivando, assim, as novas gerações.

Paternidade na pós-modernidade

É inegável que estamos diante de um quadro de grandes e profundas mudanças no comportamento psicossocial e cultural na sociedade em que vivemos. Esta sociedade é chamada de pós-moderna, mas os estudiosos do comportamento psicossocial dizem que avançamos para uma sociedade hipermoderna, supramoderna, sociedade de rede ou era digital.

Esta sociedade tem uma nova maneira de pensar sobre as funções paternas. Nesta perspectiva, o pai se coloca em uma nova realidade, ou seja, deixa de ser provedor da família e passa a fazer parte do processo, isto é, ele é apenas um participante. Percebemos que o ambiente familiar está muito modificado, desestruturado nesta cultura hipermoderna. Nessa direção, o pai deixa de lado a lei paterna e foca em concessões e concepções dialéticas “filosóficas” e psicológicas. Na prática, ele terceiriza suas atribuições. Atualmente, estamos vendo a desvalorização das funções paternas no âmbito das famílias e isso tem sido muito prejudicial aos filhos (cf. Deuteronômio 6. 1-7).

A segurança e a felicidade da família

Nossa sociedade está experimentando nas últimas décadas uma mudança fundamental. Uma das realidades que se apresenta ao homem moderno é a intensificação dos meios de comunicação. Nunca o ser humano viu multiplicadas possibilidades de informação, interação, diversão e porque não dizer divisão, através da mídia, como nos dias de hoje. O homem tem ao alcance de seus olhos, em fração de segundos, o que acontece no mundo a sua volta. Tudo o que acontece ao redor do mundo, tomamos conhecimento quase que instantaneamente. Vivemos na era da tecnologia, na era digital, somos a geração da era atômica, das naves interespaciais, do domínio da busca dos limites do infinito, da disputa desenfreada do homem pelo poder para vencer o outro. Na ciência, o homem progrediu de tal maneira, que é possível hoje salvar vidas a beira da morte, através dos transplantes cirúrgicos de órgãos vitais para a existência humana.

O valor da compreensão no casamento

A compreensão é um dos pilares que sustentam o casamento, pois ela é a porta de entrada para uma comunicação saudável e eficaz. Não havendo compreensão entre o casal, consequentemente haverá muitos desentendimentos e conflitos. Diante disso, permita-nos perguntar: O que você pensa sobre a compreensão? Você se sente compreendido? Consegue compreender bem os anseios de seu cônjuge? Sabe o que é compreender?

Relacionamento avós e netos

Relacionamento avós e netosQuando Paulo escreveu a segunda carta a Timóteo, fez questão de lembrar-se de seu filho na fé e da influência espiritual que havia recebido daquelas que foram as suas principais mentoras, todavia destaca em primeira instância a sua avó Lóide, porém isto não exime os deveres maternos de sua mãe Eunice (2 Timóteo 1.5). No tocante a isso, Paulo tem como objetivo realçar a influência do amor que procede de um coração puro e de uma boa consciência equilibrada firmada numa fé verdadeira, ao qual conduziu o neto Timóteo à maturidade espiritual e ao sucesso ministerial sob orientação de seu tutor. Nesta ordem, Paulo é enfático quanto aos princípios da paternidade que são influenciados pelo bom relacionamento entre avó e neto.

Educação cristã do século 21

Educação cristã do século 21Ser pai e mãe cristãos, nos dias presentes, é um desafio grande, e, ao mesmo tempo, missão gratificante, quando se analisam as funções que Deus confiou à paternidade e à maternidade. A cada dia que passa, mais difícil torna-se o relacionamento entre pais e filhos, mesmo que sejam evangélicos.

Relacionamento aberto e monogamia

Relacionamento aberto e monogamiaA Bíblia ensina que o casamento é uma aliança entre um homem e uma mulher para uma união indissolúvel. Portanto, é mais que um contrato civil ou uma exigência social. Ele foi instituído para que os cônjuges se comprometessem a ser fiéis reciprocamente, na saúde, na doença, na felicidade, na adversidade.

Sobre os chamados “relacionamentos abertos”

Um relacionamento é considerado aberto quando há uma relação afetiva em que os cônjuges concordam que as relações extraconjugais não são consideradas como traição ou até mesmo infidelidade.

Falando sobre sexualidade infantil

Falando sobre sexualidade infantilA criança nasce com uma condição de vulnerabilidade psicológica por não conseguir discernir o carinho de carícia, por este motivo, ela carece de proteção dos abusos praticados no contexto social, cultural, familiar e educacional (Mateus 19.14). Atualmente, percebemos uma avalanche de medidas progressistas, inclusive por meio do Ministério de Educação e Cultura (MEC), que visam à liberação sexual incluindo a erotização infantil, inclusive com projetos de lei que autoriza a mudança de sexo ainda na infância.

A interatividade social e a família

A interatividade social e a famíliaCom o avanço do entretenimento e a proliferação das redes de relacionamento social, fica cada vez mais difícil não perceber o quanto as pessoas têm se rendido a esses novos métodos de entretenimentos. Com o passar dos anos e as constantes inovações, as redes sociais têm sido uma febre entre os mais variados públicos. No entanto, esses recursos que podem ser facilmente baixados em um aparelho de celular, ou acessados por qualquer computador conectado à internet, com o intuito de aproximar as pessoas, estejam elas onde estivem, inclusive de diferentes culturas e etnias, podem ser grandes armas para falência da família se não considerarmos seus riscos e não vigiarmos ao utilizá-los.

Google Translate »