A verdadeira missão da Igreja

A verdadeira missão da IgrejaSegundo o Dicionário Bíblico Wycliffe (2006), no Novo Testamento, a palavra igreja é uma tradução da palavra grega ekklesia, que não refere a um lugar de adoração, mas tem em vista uma reunião de pessoas. A palavra grega é um derivado do verbo ekkaleoek significa fora e kaleo significa chamar ou convocar. Portanto, o significado literal do termo é chamar para fora.

A igreja é tratada na carta aos Efésios como um corpo e em Colossenses, Cristo é mostrado como cabeça desse corpo. Por isso, devemos glorificar a Deus em tudo, e lembrar que tudo pertence a Deus, nos somos membros desse corpo e esse corpo nada mais é do que a igreja de Deus, e não estou falando de uma instituição religiosa, com vários departamentos, mas estou falando em uma unidade, com um só pensamento, onde cada membro deve cumprir efetivamente seu papel.

Adoração – A nossa primeira missão é para com Deus, adorá-lo e servi-lo, mas é adorar em espírito e em verdade, devemos fazer com fé, afastados do pecado, entregando nossas vidas a ele, caso contrário, será uma adoração farisaica, teatral e falsa. Adorar significa render-se a Deus, e quando nos rendemos a Ele, reconhecemos nossa inferioridade e nossa dependência do criador, quando nos rendemos, estamos mostrando nossa fragilidade nas mãos de um Deus soberano.

Segundo o Dicionário Wycliffe, “a adoração pura expressa a veneração sem fazer alguma petição, e pressupõe a auto renúncia e a entrega sacrificial a Deus”. Portanto, a adoração é a ocupação da alma com o próprio Deus, e não inclui a oração por necessidades e ação de graças pelas bênçãos.

Adorar também significa servir, isso nos mostra uma relação de senhor e escravo, ou seja, submissão. Somos escravos sim, mas de orelhas furadas, ou seja, segundo a história, alguns escravos se apegavam tanto a seus senhores que poderiam optar por voluntariamente se entregarem como escravos, sem volta para a liberdade. Como um sinal da entrega, esses escravos furavam a orelha. “Então, o seu senhor o levará aos juízes, e o fará chegar à porta ou à ombreira, e o seu senhor lhe furará a orelha com uma sovela; e ele o servirá para sempre”, Êxodo 21.6. Escravos de orelha furada simbolizavam uma união de serviço e amor.

Adorar também significa realizar um serviço para Deus, lembrando que quem serve a Deus serve também à igreja e assim por diante. Devemos trabalhar para Deus com alegria, sabendo que nossa recompensa vem do senhor e que um dia nossas obras serão julgadas, se eram de feno, madeira ou pedras preciosas.

Comunhão – A segunda missão é a comunhão, ou koinonia – ter em comum. Quando ela é verdadeira resulta em progresso, crescimento e vitória, como também em paciência e compreensão mútuas até chegar no objetivo. Essa marca é de suma importância entre o povo de Deus, pois é a marca relacional. O Novo Testamento usa a palavra “koinonia” para expressar a maneira como os cristãos se relacionam uns com os outros. Esse relacionamento deve acontecer de forma sincera, transparente e sadia, buscando o bem do outro e edificando-o enquanto caminhamos juntos. Por meio da comunhão expressamos uns aos outros o amor do Pai que é derramado sobre os filhos por meio do Espírito Santo.

Para que essa parte da igreja seja bem-sucedida, é essencial entender que comunhão é serviço, ou seja, investimento, renúncia, perdão e compreensão. A igreja só pode crescer saudável se os membros entenderem a importância de um relacionamento saudável entre seus membros – servir aos outros em suas necessidades e a maior necessidade é a espiritual, orando uns pelos outros. Comunhão é um ministério no que tange ao ensino da Palavra de Deus. Quem está em comunhão tem alegria em partilhar seus conhecimentos e experiências, principalmente com os novos convertidos.

Evangelização – Jesus mandou: “ide e fazei discípulos em todas as nações”. Portanto, a evangelização é uma ordem de Cristo. John Wesley, o grande evangelista captou a visão de Cristo quando disse: “o mundo é minha paróquia”. Ou seja, ele não estava restrito a um espaço, mas sua visão era ampla e abrangente. Tinha compromisso com Deus e em fazer que sua palavra fosse cumprida e proclamada.

É importante desenvolver formas e estruturas contemporâneas de evangelização, pois a mesma constitui-se num desafio de vital importância para a expansão do Reino. Precisamos rever nossos métodos de trabalho e francamente considerar se temos sido efetivos no alcance dos perdidos ou se estamos insistindo em estruturas arcaicas para mantermos uma tradição que mais amarra do que auxilia. Precisamos em primeiro lugar experimentar o amor de Deus, ter experiências pessoais com ele, saber quem ele é, conhecê-lo, estudá-lo, senti-lo, pois somente assim, seremos verdadeiros evangelistas. Lembrando que, o evangelista é aquele chamado para pregar o Evangelho em muitos lugares, ou seja, em seu bairro, cidade e em outros países. A palavra “evangelista” deriva de evangelizo. Evangelizar significa trazer boas novas a alguém, especificamente anunciar informações a respeito da salvação cristã. Evangelizar, não significa somente sair do nosso país. Precisamos entender que devemos falar do amor de Deus em todos os tempos e espaços, sempre lembrando que, mais do que meras palavras, as pessoas observam nosso exemplo. Que tipo de cristão, você tem sido?

Quando a igreja é tridimensional, ela é capaz de desempenhar sua função de forma efetiva em todas as áreas. Uma Igreja triunfante edifica-se a si mesma em amor, enquanto adora a Deus e expande sua esfera de ação para todas as direções.

Bibliografia

1 Dicionário Bíblico Wycliffe. CPAD. Rio de janeiro – 2006 2 Guia de Willmington para a Bíblia – um ensino completo. Editora Central Gospel. Rio de janeiro. 2015 3 https://marcosarrais.wordpress.com/artigos/a-triplice-missao-da-igreja

Por, SerenitadeM. Rienzo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Google Translate »