A ação do homem e a reação de Deus

Ao estudarmos sobre os atributos de Deus, descobrimos que Ele está além e acima de toda força, poder ou autoridade. Ele jamais recebe ordens, e tudo o que faz é resultado de Sua própria vontade. Para nossa alegria, apesar de possuir a soberania absoluta em tudo que faz, Deus permite que o ser humano conheça Sua vontade, mesmo sem entendê-la por completo.

Encontramos muitos relatos na Bíblia de homens e mulheres que conseguiram mover o coração de Deus e provocar a reação do Senhor em seu favor. É maravilhoso saber que, mesmo sendo poderoso e soberano, Deus interage com a coroa de Sua criação por meio da fé.

A posição de “filhos de Deus” que conquistamos através do sacrifício de Cristo permite o nosso acesso e interação com o Pai. Essa interação traz inúmeros benefícios, além de outorgar-nos o privilegio de pedir tudo o que necessitamos a fim de sermos socorrido por Ele.

“Até agora, nada pedistes em meu nome; pedi e recebereis, para que a vossa alegria se cumpra” (João 16.24).

Não há limites para as petições humanas, porém, somos alertados a pedirmos sabiamente (Tiago 4.3) e estarmos conscientes que Deus age de acordo com a Sua infinita vontade. A Bíblia diz: “E esta é a confiança que temos nele, que, se pedirmos alguma coisa, segundo a sua vontade, ele nos ouve” (1 João 5.14).

Não há como afirmar que todas as orações serão respondidas no tempo ou forma que nós imaginamos ou pedimos, mas, de uma coisa estou certo, a Bíblia revela que Deus reage quando a fé humana entra em ação.

Ele não se surpreende com a eloquência de nossas palavras, mas, se há algo que faz com que Deus se levante e atue em nosso favor é quando usamos de forma sincera a nossa fé. A fé, quando acompanhada de uma atitude correta, se converte em um poderoso instrumento.

Sabemos que sem fé é impossível agradar a Deus (Hebreus 11.6). Ao chegarmos a Ele, devemos adotar uma atitude de confiança, a fim de sermos ouvidos (Hebreus 4.16).

A fé determina nossas ações, logo, nossas ações provocam a reação divina trazendo consigo milagres e maravilhas. O grande dilema para muitos de nós é saber a hora certa de agir e de esperar. Na maioria das vezes, acabamos agindo quando deveríamos esperar e esperamos muito quando já devíamos ter agido. Agir no tempo certo provoca milagres, agir no tempo incorreto provoca perdas.

Abraão tentou agir antes do tempo determinado por Deus e acabou gerando um filho que dias depois teve de ser enviado para longe de sua casa. Moisés tentou agir no tempo que devia esperar e lhe custou quarenta anos fugindo dos egípcios, além de ceifar a vida de um homem que enterrou na areia.

O irmão do filho pródigo esperou muitos anos para descobrir que poderia ter agido como “filho” dentro da casa de seu pai. Já o filho pródigo acelerou a possessão de sua herança e acabou desperdiçando tudo.

Rute agiu sabiamente diante de Boaz e isso lhe ajudou a receber não somente sua proteção, mas a cobertura espiritual do Deus de Israel. “O Senhor galardoe o teu feito, e seja cumprido o teu galardão do Senhor, Deus de Israel, sob cujas asas te vieste abrigar” (Rute 2.12).

Sua atitude agradou os olhos de Boaz que não tardou em tomar decisões que beneficiaram a moabita que provou conhecer com suas ações o que muitos israelitas só conseguiam mostrar com palavras.

Por outro lado, Elias demonstrou conhecer poder da fé em ação, desafiou sozinho os profetas de Baal e ainda molhou o altar do sacrifício e tudo o que havia em redor, para não encontrarem escusas naturais para o sobrenatural que Deus estava por fazer.

Deus se alegra quando realmente acreditamos que Ele é capaz de fazer abundantemente além do que pedimos ou pensamos (Efésios 3.20). Salomão mostrou um interesse profundo em adquirir sabedoria para governar o povo de Israel e isso provocou em Deus o desejo de concedê-lo até mesmo o que não havia pedido.

Davi expressou conhecer o refugio de Deus no Salmo 32.7 e o resultado foi a resposta imediata de Deus no verso 8 prometendo ensinar e guiar o servo de Deus no melhor caminho a seguir depois que havia pecado contra o Senhor. Nossa decisão de fazer do Senhor o nosso socorro, o lugar de nosso descanso é a fonte para gozar de uma vida abençoada e guiada pelos conselhos de Deus.

O Salmo 91 é outro exemplo da reação de Deus em resposta a fé humana, expressada na confiança e certeza que Deus sempre estará por perto daqueles que nEle confiam. O salmista expressa que habitar no esconderijo do Altíssimo garante o descanso sob a sombra do Onipotente.

“Aquele que habita” mostra a decisão de permanecer em todas as circunstancias sob a proteção do Altíssimo que oferece a sombra de suas asas como descanso. “Direi do Senhor: Ele é o meu Deus, o meu refúgio” (Salmos 91.2).

Notemos que os principais elementos usados pelo salmista para provocar a reação de Deus foram:

– A distancia que ele se encontrava de Deus. Habitar no Esconderijo do Altíssimo exigia intimidade com o Senhor. A oração é o mapa que direciona os filhos de Deus a encontrarem a presença do Onipotente.

– O que o salmista pensava e dizia sobre Deus. Notemos que as declarações feitas pelo salmista no verso 2 mostrava o rico conhecimento que ele possuía sobre os atributos do Deus de Israel.

No Novo testamento há inúmeros exemplos de como Deus reage ao ser tocado pela fé humana. A mulher do fluxo de sangue agiu na hora certa, se levantou e aproximou-se de Jesus, não podia esperar outra oportunidade, talvez não resistisse nenhum dia mais; ela sabia que o momento era aquele. A fé nasceu em seu coração e vencendo todas as barreiras tocou nas vestes do Senhor.

Sua fé em ação provocou a reação do Mestre. Devido a sua decisão de sair de casa após ouvir falar que Jesus passaria por onde morava, ela foi curada. Talvez Jesus jamais tocasse a porta de sua casa, mas ela não esperou, usou a fé e foi curada.

A mulher cananéia, cujo relato está registrado em Mateus 15, deixou o Senhor maravilhado ao agir com fé e humildade. Mesmo sendo desafiada pela palavra de Jesus sobre a importância de alimentar primeiramente os “filhos”, deixa claro que a fé tem o poder de alterar até mesmo respostas de oração.

O centurião romano provocou a reação do Mestre ao demonstrar submissão e reconhecer que estava diante de um ser com maior autoridade. A palavra foi enviada e o servo que estava enfermo foi curado. Uma vez mais Deus reagiu à fé humana.

Quatro homens desceram pelo telhado o amigo que jamais conseguiria aproximar-se de Jesus, imediatamente a ação daqueles homens provocou a reação do Senhor que viu a intenção de ajudar ao homem e o final da historia resultou em milagre.

É sempre assim, quando usamos a atitude certa com a dose de fé necessária, o milagre é certo. Algumas vezes seremos ajudados por amigos, familiares e irmãos a provocar a reação de Deus como o exemplo do paralitico que foi descido pelo telhado.

Haverá momentos que em meio a dores, medo e impossibilidades, seremos desafiados a usar a fé e provocar a reação de Deus como fez a mulher do fluxo de sangue, sem ajuda, sem forças, rastejando sobre o pó de suas misérias.

O cego de Jericó não importou-se ao ser intimidado e continuou a clamar pelo Filho de Davi. Sua ação provocou a reação do Senhor (Marcos 10.46-52).

Por isso, em qualquer situação, devemos usar a fé, acompanhada de submissão a Palavra de Deus, reconhecendo seu poder e habitando sempre no abrigo de sua morada. Pois a um coração contrito Ele jamais desprezará (Salmos 51.17).

Por, Rodrigo Faria.