“Vírus” e “bactérias” espirituais que se proliferam no coração

“Vírus” e “bactérias” espirituais que se proliferam no coraçãoQuando lemos o capítulo 7 de Marcos, encontramos uma passagem na qual Jesus é questionado pelos fariseus sobre o fato de seus discípulos não procederem um ritual da lavagem das mãos antes das refeições. O ato de lavar as mãos recebia um ritual completo, incluindo as mãos serem mergulhadas na água e depois retiradas de forma que a água escorresse pelos braços e cotovelos. A tradição incluía ainda o se lavar assim que voltavam do mercado. “E, quando voltam do mercado, se não se lavarem, não comem. E muitas outras coisas há que receberam para observar, como lavar os copos, os jarros, os vasos de metal e as camas” (Marcos 7.4).

Isso era para os fariseus algo fundamental. Além de serem regras exercitadas em função do que lhes fora transmitido pelos antigos, a prática dessas regras tinham finalidade de evitar possíveis doenças e manter uma aparência saudável, exaltando assim o exterior do homem. Mesmo essa cerimônia não sendo mencionada na Lei, julgavam-se cumpridores dela, pelo simples fato de manterem a tradição. Logo, aquele que não procedia de tal forma transgredia a Lei e era considerado impuro.

Jesus aproveita o momento e dá a lição de que o que contamina o homem não é o que vem de fora, mas o que procede  do coração: “Nada há, fora do homem, que, entrando nele, o possa contaminar; mas o que sai dele isso é o que contamina o homem” (Marcos 7.15).

Isso significa que estar impuro tem a ver principalmente com o nosso interior. Quando nosso coração está distante de Deus, adquirimos doenças espirituais, pois é do coração que procedem todas as “bactérias” dos maus pensamentos, das prostituições, do adultério; “os fungos” da avareza, da maldade, do engano; “os vírus” da dissolução, da inveja, da blasfêmia; “os vermes” da soberba, da loucura. Tudo isso deixa o homem doente. Todas essas vorazes, bacterioses, fungos e verminoses contaminam o caráter do homem e o impedem de servir a Deus verdadeiramente.

“Porque do interior do coração dos homens saem os maus pensamentos, os adultérios, as prostituições, os homicídios, os furtos, a avareza, as maldades, o engano, a dissolução, a inveja, a blasfêmia, a soberba, a loucura. Todos estes males procedem de dentro e contaminam o homem” (Marcos 7.21-23). Isso afasta o homem de Deus e torna-o vulnerável a inúmeras enfermidades  espirituais.

E quantos de nós estamos como os fariseus, honrando apenas com os lábios, mantendo tradições e práticas culturais, cuidando exageradamente do que é visual, do que impressiona, do que nos faz parecer cristãos? É apenas a higiene no visual: bonitinhos por fora, mas por dentro um coração com milhões de bactérias; um coração esbranquiçado pelos fungos. “Este povo me honra com os lábios, mas o seu coração está longe de mim” (Marcos 7.6b).

Assim, sem perceber, invalidamos a Palavra de Deus pelas nossas aparentes regras e tradições, quando as colocamos acima de qualquer revelação divina.

Quando um vírus ou bactéria invade o corpo do homem, ocorrem vários problemas, deixando o indivíduo doente. É preciso que ele recorra ao médico para lhe receitar os medicamentos. Se for doença por bactéria, antibiótico; se for doença viral, um antiviral, que não vai combater radicalmente o vírus, mas atenuar os desconfortáveis sintomas. Ao tomarmos os medicamentos adequados, as bactérias, os fungos e os vermes, serão disseminados e expelidos pela excreção.

O que contamina o homem, vem do próprio homem e contamina não somente ele, mas as pessoas que estão ao seu redor: seus seguidores, seus alunos, sua família, sua igreja. Somente o sangue de Jesus para limpar toda impureza. Basta a pessoa querer ser limpa de verdade em seu interior e entregar-se a Jesus para que Ele, pelo Espírito Santo, opere em nós a purificação de que necessitamos.

Quantos fariseus cheios de fungos em seu interior! Bonitinhos, limpinhos, arrumadinhos por fora, mas com o pensamento cheio de imoralidades sexuais, com devassidão, roubando o próprio irmão, cobiçando os bens terrenos, caluniando.

Quantos fariseus! Invejam tudo o que o colega possui, agem com engano, agem com soberba, podem cumprir metodicamente tantos rituais, porém o coração está distante da verdadeira Palavra de Deus. E por se distanciar, o coração torna-se a fonte e o agente de inúmeras doenças.

Sem a ação do antibiótico, a bactéria se reproduz com muita rapidez. Da mesma forma, as bactérias que provêm do coração, da velha natureza, da carne, se multiplicam em milhões e afetam o bom caráter do cristão. Quanta gente infeccionada por dentro, precisando de um bom antibiótico para ingerir diuturnamente o ano inteiro!

Quantos vírus invisíveis aos olhos humanos provêm do coração! Mas quando o microscópio de Deus faz uma análise, é possível enxergá-los e detectar quem são eles e que estão acabando com a nossa imunidade espiritual.

Que possamos honrar Deus e agradá-lo com obediência e com o nosso coração verdadeiramente puro e sarado. Que o sangue de Jesus, que a Palavra de Deus e que o Espírito Santo nos protejam contra as enfermidades que vêm do coração. Que possamos tirar a cera de nossos ouvidos espirituais e compreender as palavras de Jesus.

Por, Selma Alves.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Google Translate »