Você seria uma formiga por 33 dias?

Você seria uma formiga por 33 diasFormigas são seres interessantes, um belo exemplo de disposição aos seres humanos. Elas têm uma logística que serve de referência a muitos, como economistas, gerentes de logística, e até aos engenheiros, tendo em vista que as formigas podem construir formigueiros com até doze metros de profundidade. Além de tudo isso, uma formiga operária pode viver até sete anos, enquanto uma rainha pode viver quatorze anos. Pensando assim, talvez quando você era criança provavelmente pisou em uma formiga com mais idade que a sua.

As formigas são o exemplo que o Criador deu aos seres humanos, principalmente para os preguiçosos. Veja o que disse o sábio Salomão a este respeito: “observe a formiga, preguiçoso, reflita no caminho dela e seja sábio! Ela não tem chefe, nem supervisor, nem governante, e ainda assim armazena as suas provisões no verão e na época da colheita ajunta o seu alimento” (Provérbios 6.6-9). Acredito que se as formigas lessem essa passagem bíblica ficariam felizes em saber que são um exemplo para os vaidosos e gigantes seres humanos.

Imagine que um dia você pudesse ouvir o clamor de uma formiga lhe pedindo ajuda, no sentido de salvar um belo e profundo formigueiro que está à beira da ruína, porque no seu reino (suponho eu que seja um reino, partindo do princípio de que as formigas têm uma rainha) tudo está em crise. As formigas não compartilham mais do seu lindo trabalho em equipe para armazenar comida, não trabalham em equipe para cuidar do formigueiro, não obedecem mais a sua rainha, e não entendem mais o seu propósito de vida como formigas, perderam a amizade, o carinho, o amor que existia entre elas, tornando-se assim egocêntricas e sem compaixão pela sua comunidade. O que você faria? Deixaria sua confortável cama para dormir na terra? Abriria mão do seu trabalho para ter que trabalhar carregando dez vezes o seu peso? E pior, ainda correria o risco de ser pisado por um gigante ou não ser aceito no formigueiro e ser morto por várias formigas?

Certamente, sem hipocrisia, eu diria que não! Sei lá, inventaria uma desculpa de que tenho claustrofobia e por isso não poderia viver em um formigueiro escuro e apertado. Ou melhor, talvez para fundamentar a minha falta de interesse diria que tenho sérios problemas na coluna e que faria um grande mal carregar folhas que pesam muito mais que eu, ou talvez em um tom de grosseria diria que eu sou grande demais para me importar com elas. E você o que faria? Deixaria a sua grandeza humana para ser uma formiga e tentar salvar a vida de um formigueiro? Qual desculpa inventaria? Seria uma formiga por 33 dias?

A história que me detenho a partir de agora tem muitas coisas não obedecíamos às leis que deveríamos seguir, perdemos o sentido de viver como seres humanos, nos tornamos egoístas e sem amor. Todavia, diferente da minha atitude hipotetizada acima, um ser muito superior a nós, aceitou ser como nós, e não por 33 dias, mas por 33 anos. Habitou entre os homens como um homem. Ele não vivia preso ao tempo, mas aceitou ter hora para viver uma vida cotidiana. Ele aceitou ter que trabalhar como um simples carpinteiro, mesmo podendo criar uma galáxia com apenas uma palavra.

Essa é a história do Deus que se fez homem para nos salvar das nossas próprias falhas, do Deus que se importa com o formigueiro em que vivemos e principalmente pela angustia em que vivem as formigas desse imenso formigueiro que é a Terra. Creio que você já conheça a história de Jesus Cristo, pois é a história mais contada no mundo. Entretanto, talvez nunca parou para pensar assim: se Ele fosse humano e você a formiga. Ele seria uma formiga como você para lhe salvar, mas muito mais do que isso, Ele é um Deus que se fez homem para salva r você ! O Criador do mundo aceitou ser concebido por uma mulher. O Deus que orientou, aceitou a condição de ser orientado até chegar à maturidade. O Criador das águas e dos frutos aceitou sentir sede e fome, O Criador que estava no princípio aceitou ter uma vida de oração e jejum.

Cristo fez muito além daquilo que podíamos imaginar, Ele abriu mão da adoração que os anjos lhe fazem para vir a está terra ser injuriado por homens que são como formigas perto da Sua grandeza. Cristo trouxe um novo sentido para vida dos homens, que assim como as formigas estavam perdidas em seu sentido de viver, Cristo trouxe o amor e ensinou que o amor se basta em Si. E como Ele provou isso? Ele provou com Sua morte na cruz, aonde as formigas que Ele veio para salvar, a esmagaram sem dó e qualquer uma piedade.

Foi por você que Cristo se entregou, foi para dar um novo sentido em sua vida, foi para que você nunca mais perecesse, mas tivesse a vida eterna. “Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna” (João 3.16). Ele não disse que era grande demais para habitar em um formigueiro, não disse que era grande demais para se importar com coisas pequenas como formigas. Cristo não veio para condenar os habitantes do formigueiro. Seu único objetivo foi restaurar aquilo que o pecado destruiu. E como Ele o fez? Amando, somente amando, e ensinando o que é o verdadeiro amor.

Sua vida está parecida com a vida do formigueiro desorientado? Então deixe esse amor de Cristo contagiar você. Hoje não é necessário Ele se fazer de uma formiga para salvar, porque a salvação você já tem pelo milagre da cruz. Todavia é necessário deixar esse amor resplandecer em toda falta de propósito de vida, em toda desorganização que nós mesmos causamos. Pois Jesus Cristo veio para nos dar uma nova vida, e uma vida em abundância “Eu vim para que tenham vida, e a tenham em abundância” (João 10.10). Cristo não quer que você sobreviva neste imenso formigueiro que é a Terra, Ele quer que você viva!

Por, Fernando Willian Scholz.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Google Translate »