Um restaurador de vidas

Um restaurador de vidasEra uma cena comum na paisagem de um pequeno lugarejo na região central de Israel: uma mulher com um cântaro, indo buscar água no poço. A rotina seria quebrada por um encontro que mudaria para sempre a vida daquela mulher e daquele lugar. Uma pessoa com a vida feita em pedaços teria um encontro com um especialista em restauração de vidas.

Uma mulher samaritana residente nas proximidades dos montes Ebal e Gerizim, ia para um poço, que havia sido cavado por Jacó, buscar água para abastecer sua casa. O evangelista João nos informa que era “uma cidade de Samaria, chamada Sicar, junto da herdade que Jacó tinha dado a seu filho José. E estava ali a fonte de Jacó” (João 4.5, 6).

Chegando junto ao poço ela encontra um judeu que, cansado da viagem, aguardava ali, enquanto os Seus discípulos iam à cidade prover-se de víveres. Ela não sabia que tratava-se de Jesus, o Filho de Deus, e que aquele seria o dia mais feliz de sua vida.

O simples fato de ela ser uma mulher já lhe fazia ser vítima de preconceito, porque as mulheres não eram valorizadas no seu tempo e, durante o período menstrual, assim como após o parto, eram consideradas cerimonialmente imundas e, portanto, o contato com elas deveria ser evitado.

Não havia outras mulheres no poço, a tirar água, porque o horário não era próprio para isto, pois o texto diz que era “quase à hora sexta” (João 4.6), o que segundo a maneira de contar as horas dos judeus era quase meio-dia. Isto também pode nos mostrar que ela sofria preconceito em sua própria comunidade e, por isto, vinha buscar água naquele horário.

A Maneira como os próprios samaritanos a viam, certamente, era influenciada pela situação familiar, pois Jesus revelou que ela já vinha de cinco casamentos desfeitos e que, agora, vivia como amante de um homem que não era seu marido. Uma vida sofrida, cheia de preconceito, abandono, rejeição e vazio espiritual.

Os fariseus chamavam Jesus de “amigo de publicanos e pecadores” (Lucas 7.34), porque se aproximava de todos, entendendo que “não necessitam de médico os sãos, mas, sim, os doentes” (Mateus 9.12).

Ninguém entende melhor os anseios e necessidades da vida humana do que Jesus. Ele conhece as nossas dificuldades e sabe qual a nossa situação espiritual, por isto, está sempre pronto para restaurar todos os que crerem nEle.

A conversa iniciou tendo a água como assunto, porque este era o foco daquela mulher, naquele lugar. Mas quando Jesus revelou os segredos dela, podemos perceber o desejo daquela mulher de ter uma experiência espiritual que trouxesse solução para os seus problemas. Ela pergunta a Jesus qual o lugar correto para se aproximar de Deus.

Como aquela mulher, muitos estão desejosos de experimentar uma vida de relacionamento com Deus, mas preocupam-se com aquilo que não é importante: “Qual o lugar onde posso encontrar Deus?”; “Qual a igreja certa?”; “Que religião é a verdadeira?”. A mulher se Samaria descobriu que a solução não estava no sistema religioso, mas em conhecer e entregar a sua vida a Jesus.

Ele percebeu a sede afetiva daquela mulher, vítima de tantos abandonos e desencontros, e lhe ofereceu um relacionamento sadio com Deus que nunca lhe abandonaria. Ele percebeu a sede espiritual daquela mulher e lhe ofereceu a água viva, que é a fonte de alegria de Deus que enche a vida daquele que O encontra.

Quando ela descobriu que Ele era profeta, mostrou-se desejosa de adorara a Deus. Quando descobriu que Ele era o Messias, teve uma nova experiência espiritual. Ela largou o cântaro, mudou o foco, mudou de vida.

Ela correu para a cidade e saiu dizendo a todos: “Vinde, vede um homem que me disse tudo quanto tenho feito. Porventura não é este o Cristo?” (João 4.29).

Certamente todos perceberam a mudança na vida daquela mulher. O brilho nos olhos, a alegria com que falava do maravilhoso encontro que tivera, a mudança de postura e atitudes revelava que algo diferente havia acontecido e que ela era uma nova pessoa. Foram todos para o poço, onde Jesus estava.

Eles também queriam experimentar a transformação que a mulher havia provado e insistiram para que Jesus se demorasse com eles.

Se o teu relacionamento familiar está em ruínas, se você vive distante de Deus e reconhece que não pode resolver sozinho, tenha um encontro com Jesus e Ele perdoará seus pecados, transformará a sua alma e restaurará a sua vida.

Por, Márcio Klauber Maia (CPAD).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Google Translate »