Transformação social e espiritual

“É possível uma transformação social completa e positiva do ser humano ou de uma nação sem uma transformação espiritual em Cristo?”

Transformação social e espiritualSendo a Bíblia a revelação de Deus ao homem, é também um código de ética e concede base teológica às nossas obrigações morais. Através dela, compreendemos a necessidade de nos submetermos à vontade de Deus e, uma vez convertidos, adotarmos mudanças para pôr em prática a fé. Disse Jesus em Seu Sermão do Monte: “Vós sois o sal da terra, disse Jesus, e se o sal for insípido, com que se há de salgar?”. Como discípulos, temos a dupla função que cabe ao sal: de dar sabor, conservar e preservar contra a degeneração.

Uma transformação social completa e positiva do ser humano ou de uma nação só é possível pela transformação espiritual operada pelo Espírito Santo através da Obra de Cristo.

O Cristianismo é paradoxal, porque os critérios de Deus são distintos dos critérios humanos. “Como implantar mudanças sociais sem o apelo à força”, é o que perguntam os homens. “Que revolução é esta, que se propõe a reconstruir o homem e o mundo prescindindo dos exércitos humanos?” Esse é o Cristianismo. No deserto, em meio às agruras do êxodo, Israel pôde experimentar o poder desse Deus: Todos os dias chegava-lhe o maná, diretamente do cèu Diante dos obstáculos, lá estava Jeová-Jireh, o provedor, movendo as águas e abrindo caminhos onde eles não existiam, até chegarem a terra prometida. Quarenta anos de lutas, de tentações e de vitórias. Para a Igreja, o Reino de Deus já está entre nós. Mas, é preciso que vá crescendo nas lutas e vitórias cotidianas.

A proposta para a sua concretização é a prática do amor. Quando um escriba se aproximou de Jesus para prová-lo, indagando qual dos mandamentos considerava maior, obteve a seguinte resposta: “O primeiro de todos os mandamentos é: Ouve, ó Israel, o Senhor nosso Deus é o único Senhor. Amará, pois, ao Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu entendimento, e todas as tuas forças: este é o primeiro mandamento. E o segundo, semelhante a este, é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo. Não outro mandamento maior do que estes” (Marcos 14.29-31). E entendendo Jesus haver dado uma resposta satisfatória ao escriba, acrescentou: “Não estás longe do Reino de Deus”.

Sim, estamos perto desse Reino! Basta apenas negar-nos a nós mesmos, tomar cada dia a nossa cruz e seguir a Jesus. Assim, chegaremos à terra prometida, à Jerusalém celestial, onde Deus será tudo em todos!

Por, Paulo Ferreira.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Google Translate »