Sinais de uma geração marcada por Cristo

Sinais de uma geração marcada por CristoNão é fácil falar de uma geração comprometida com Deus e Sua Palavra nos dias atuais. Tocar neste assunto, em particular, exige uma análise e conhecimentos bíblicos a fim de destacá-lo com verdade e exatidão, haja vista, uma degradação moral e espiritual que assola a sociedade ter aos poucos influenciado a muitos cristãos do nosso século.

Com isso, muitos são os meios pelos quais tem detido o cristão de prosseguir sua busca em comunhão com o Pai. No entanto, temos visto a adoração ser trocada por momentos banais. O descaso com valores ensinados pela Palavra de Deus são cada vez mais frequentes. Há até mesmo aqueles que acreditam ser perca de tempo possuir uma fé em Deus. Não há dúvidas que o estado já deteriorado dessa geração tende a piorar.

A base bíblica para este artigo é Mateus 11.2-5, quando João Batista, mesmo preso em um cárcere, ouve relatos acerca das obras feitas por Cristo. João solicita a presença de dois de seus discípulos e lhes entrega uma sublime missão: ir até Jesus e indagá-lo se Ele era o Cristo ou deveriam esperar outro.

John MacArthur comenta que João não estava com sua fé abalada, mas sim, confuso com o desenrolar dos acontecimentos, uma vez que a mensagem pregada seria de Jesus trazendo um castigo duro e que queimaria a palha em fogo inextinguível (Mateus 3.12), e os reais acontecimentos divergiam daquilo que foi pregado, onde Cristo estava desenvolvendo seu ministério de cura e não de juízo. Em virtude desse fato, os dois discípulos de João Batista teriam que trazer sinais evidentes que Cristo era o Messias.

Os discípulos foram ao encontro de Jesus com intuito de indagá-lo e a resposta obtida para comprovar a veracidade messiânica foi dada através de sinais. Iremos, portanto, nos utilizar dos mesmos sinais para apresentar uma geração pertencente a Cristo, porém não se detendo agora no âmbito físico a que as curas e milagres se referem, mas moral e espiritual. Entendemos que uma geração marcada por Cristo precisa evidenciar um estado diferente daquele outrora vivido.

Vamos, então, apresentar sinais que devem ser visto naqueles que foram chamados para viver um novo estado moral e espiritual; estes precisam trazer consigo marcas que evidenciem essa verdade.

Em busca de sinais – O evangelista Lucas registra o encontro dos dois discípulos com Jesus (Lucas 7.20) e mostra-nos tanto a indagação quanto a resposta de Cristo, que foi de imediato: “e na mesma hora curou muitos de enfermidades, e males, e espíritos maus e deu vista a muitos cegos” (v. 21). Após esse fato, Jesus os despede com provas infalíveis a seu respeito. No versículo seguinte Ele deixa claro que sinais deveriam ser ditos a João Batista: “… os cegos veem, os coxos andam, os leprosos são purificados, os surdos ouvem, os mortos ressuscitam e aos pobres anuncia-se o evangelho” (v 22).

Estes mesmos sinais outrora realizados por Cristo são necessários hoje para uma geração cheia de enfermidades morais e espirituais. Afinal, um povo que diz ter a marca do Evangelho em seus corações precisa gozar do poder contido na Palavra de Deus.

Uma geração com visão restaurada – A Bíblia é categórica em afirmar que muitos cegos tiveram suas visões restauradas. Sem dúvidas, o dom de enxergar se torna maravilhoso em virtude de tantos sentimentos bons advindos daquilo que olhamos. Ver, por exemplo, o nascimento de um filho, sem dúvida, é excepcional, bem como tantos outros casos e fenômenos naturais que a visão nos possibilita enxergar. Se ter uma visão física já é prazeroso, mais sublime ainda é poder enxergar com os olhos espirituais, poder contemplar os milagres de Deus, ter a capacidade de ver o sobrenatural.

Sabemos que essa geração tem sido alvo de muitas moléstias, mas cabe-nos saber vigiar em relação a nossa vida espiritual, não permitindo que nossas ocupações, lazeres e muitos outros entretenimentos que preenchem nosso dia a dia se tornem motivos de tropeço em nossa trajetória. A geração de Cristo é uma geração que marcha.

Uma geração limpa – Segundo o Dicionário Almeida, a lepra é uma doença caracterizada por manchas brancas e inchações que desfigura a pele, e que alguém com tal enfermidade deveria viver afastado das outras pessoas e na aproximação deveria gritar: “imundo, imundo!”. Na Bíblia, a lepra simboliza a imundice espiritual, ou seja, o pecado. Sendo assim, uma vez que fomos purificados por Cristo, nos tornamos limpos espiritualmente. Hoje somos uma geração lavada pela Palavra de Deus (João 15.3).

Entretanto, somos alvos do destruidor que de forma continua tenta manchar a nossa integridade. Com isso, nós, povo de Deus, precisamos estar em constante vigilância a fim de não aceitarmos seus manjares, que não são poucos. Entre os recursos que mais tem contaminado essa geração está o materialismo, com ênfase nos itens tecnológicos, como acesso fácil a redes de internet, por meio de tabletes, celulares, notebooks e tantos outros, que de maneira sutil acaba dando espaço para o mundo pornográfico, sites indevidos e outros que contaminam o povo de Deus.

É urgente nos voltarmos para o ensino da Palavra a fim de instruir nossa geração sobre as armadilhas contidas nesses meios tecnológicos e outros mais, uma vez que seu uso só se torna ofensivo quando feito de forma incorreta.

Manter-se limpo em meio a uma sociedade infectada pelo pecado, sem dúvida não é uma tarefa fácil, mas necessária a quem tem por objetivo alcançar o reino de Deus. Nossa geração precisa viver debaixo da verdade de Deus, não se afastar nem por um milímetro do caminho de Cristo, e certamente por onde passarem aqueles possuidores da marca de Cristo será ouvido em alta voz: “Maranata! Ora vem Senhor Jesus”.

Uma geração capaz de ouvir a voz de Deus – O senso auditivo torna capaz a realização de grandes proezas. Quantos sermões nós já ouvimos que revigoraram nossas forças nos capacitando para continuar a jornada. Não podemos como filhos nos tornar incapazes de ouvir o conselho do pai. Sendo este o motivo de muitas falhas e decepções vividas por aqueles que não se atentaram para a voz de Deus. Nossa geração precisa ser sensível à voz do Santo Espírito, sendo por ela que iremos trilhar o caminho das grandes vitorias, assim como o rei Davi.

A surdez espiritual é um mal que tem se alastrada nessa geração. Muitas barreiras acústicas têm impedido de a voz do Pai ser ouvida. Essas são, em alguns casos, os próprios interesses que são postos em primeiro lugar, outra é simplesmente o descaso com a comunhão com Deus, pois não são poucos os que têm negligenciado uma vida de oração jejum e de meditação na Palavra. Esses, sem dúvida, se tornarão parte de uma geração surda, inapta a ouvir a voz de Deus. Busquemos sem cessar a voz do Espírito Santo em meio a tantas vozes que nos conduzem a perdição.

Uma geração ressurreta – O apóstolo Paulo, escrevendo para os irmãos em Éfeso, diz: “Ele nos deu vida, estando nós mortos em nossos delitos e pecados” (Efésios 2.1). A morte aqui está no sentido espiritual e não físico, ou seja, a condição do homem afastado de Deus.

Sendo assim, já não somos um povo que anda segundo o curso deste mundo, mas sim do reino de Deus. Se nós somos uma geração ressurreta, temos agora a mente de Cristo e por ela nos guiamos e vivemos para Deus.

É preciso considerar que a geração que vive de acordo com a vontade de Deus, desfruta de saúde espiritual abundante. Ela é, portanto, avivada em todos os seus aspectos.

O fato é que não podemos permanecer no pecado uma vez que dele nos libertamos, mas sim viver o processo de santificação requerido por Deus, somente assim poderemos ter a certeza que a vida que agora vivemos não é transitória, mas permanente, pois ultrapassa a esfera deste mundo. Em suma, uma geração portadora desses sinais irá cumprir a urgente demanda dada por Cristo, a pregação do Evangelho.

Por, Auriclessio Lima.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Google Translate »