Salvação ao alcance de todos

Salvação ao alcance de todosA Bíblia sempre aborda o tema sobre a salvação da alma humana. Para muitos é uma utopia ou algo que não chama a atenção. Os pregadores da Palavra de Deus sempre o enfocam. Os que assim procedem, é porque já provaram a experiência de serem salvos, serem uma nova criatura. Somente quem provou sabe o valor, a importância de ser salvo de uma vida comprometida com os vícios, de uma seita opressora e enganosa. Salvo de uma condenação eterna, longe de Deus, nas trevas.

Esta salvação, embora não tenha custos, teve o seu preço; custou a vida de um homem santo, irrepreensível, imaculado, o Filho de Deus, Jesus Cristo. Ele pagou este preço porque ninguém teria condições ou capacidade de pagar, mas Jesus como Filho de Deus pelo Seu sangue derramado na Sua morte, pagou, consumou, liquidou a nossa culpa de pecados. Assim escreveu o apóstolo Paulo: “Havendo riscado a cédula que era contra nós, nas suas ordenanças, a qual de alguma maneira nos era contrária, e a tirou do meio de nós, cravando-a na cruz” (Colossenses 2.14). E sendo pago o grande preço dos nossos pecados, Ele mandou anunciar a todos no mundo que já não precisam viver alienados, comprometidos, receosos, coagidos pelo medo da condenação divina. A única condição ou requerimento é que todos têm que crer unicamente no preço que Jesus pagou, para que, crendo, tenham acesso à graça de Deus e vivam uma nova vida. Jesus identifica esse processo como novo nascimento.

Não se trata de uma submissão do dogma de uma religião, ou ritual, ou obrigação. É uma ação espontânea, um desejo motivado por uma vida com Deus, uma vida segura quanto à eternidade. Quanto aos desafios que podemos enfrentar no dia a dia por causa da nossa fé, temos da parte de Deus a promessa que Ele jamais nos abandonará, pois Ele se lembra que somos pó, isto é, frágeis, tendenciosos ao pecado. Mas, se desejamos agradar a Deus, fazer a Sua vontade e abandonar antigos hábitos pecaminosos, certamente teremos vitória.

E o grande recurso que Deus nos dá é o arrependimento. Escreveu o apóstolo João: “Se confessarmos os nossos pecados, Ele (Deus) é fiel para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça” (1 João 1.9). Jesus falou sobre a importância de arrependimento. “Não, vos digo; antes, se vos não arrependerdes, todos de igual modo perecereis” (Lucas 13.5); “Digo-vos, que assim haverá alegria no céu, por um pecador que se arrepende, mais do que por noventa e nove justos que não necessitam de arrependimento” (Lucas 15.7).

Deus não requer do ser humano o que ele não pode fazer. O Senhor não aceita preço nenhum de nossa parte, nem sacrifício algum. Porque a salvação que Ele nos concedeu através da morte de Seu Filho, é gratuita. Por isso muitos não aceitam não crêem na gratuidade porque querem pagar em dinheiro, em sacrifício humano, em boas obras ao próximo. Tudo isso é importante, mas não traz benefícios quanto à salvação porque Deus é seu provedor, por isso é que somos salvos pela graça de Deus (Efésios 2.8).

Morava na cidade de Cesaréia um centurião romano muito religioso, realizava boas obras e de contínuo orava a Deus (Atos 10). Mas não havia tido ainda um encontro pessoal com o Senhor Jesus nem o arrependimento dos seus pecados, não havia nascido de novo (a experiência de uma nova vida com Deus). O Senhor estava atento à conduta sincera e piedosa do romano, portanto enviou um anjo para lhe dizer que ele buscasse um homem chamado Pedro. Cornélio obedeceu, mandou-o buscar e quando Pedro chegou à casa do centurião, ministrou a Palavra de Deus. Abordou os temas arrependimento, perdão dos pecados e a nova vida no Evangelho. E ouvindo eles (encontrava-se em sua residência as pessoas que o dono da casa havia convidado) a Palavra de Deus, receberam a promessa do Espírito Santo e aceitaram a Jesus como Salvador, descendo às águas batismais.

Então, porque não crer, não aceitar? Aproveite! Na carta aos Hebreus encontramos: “Não endureçais os vossos corações, como na provocação, no dia da tentação no deserto; Vede, irmãos, que nunca haja em qualquer de vós um coração mau e infiel, para se apartar do Deus vivo. Antes, exortai-vos uns aos outros todos os dias, durante o tempo que se chama Hoje, para que nenhum de vós se endureça pelo engano do pecado” (Hebreus 3.8, 12, 13).

Por, José Edson de Souza.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Google Translate »