Religião: conceitos e prática

Religião - conceitos e práticaExistem dois significados do que seja religião. Os significados partem de dois aspectos: o aspecto espiritual e o aspecto etimológico. No contexto espiritual, a religião significa o que parte de uma devoção pessoal do indivíduo. Exemplo: se perguntarmos o que é religião a uma pessoa convertida ao islamismo, ela responderá que é uma criação de Maomé, um projeto criador para salvar as pessoas das falsas religiões. Se perguntarmos para um judeu o que é religião, ele responderá que é uma criação de Abraão e Moisés, considerados precursores do judaísmo, e que para eles o texto Sagrado é apenas o Antigo Testamento e não o Novo Testamento.

Se perguntarmos o que é religião para um católico romano, ele responderá que é aquela praticada por eles. E acrescentará: “religião é tudo na vida de um homem. Ou seja, religião é aquela na qual os nossos pais nos criaram”.

Como o leitor pode observar, estes significados são espirituais e devocionais, que partem da própria pessoa. Porém, existe outra interpretação do que é religião. Esta interpretação vem de sua etimologia. Vejamos.

Neste aspecto complexo, a religião não se limita apenas devocionalmente, mas vai muito além do que pode imaginar pensar ou opinar sobre este assunto. Nesta área a religião tem um significado mais fiel, próximo do real e que é ilimitada. Nesta segunda parte, religião significa: “religação”, “religar”, “recomeçar”. Neste segundo aspecto a palavra “religião” vem do latim e significa “religar”. Mas religar o quê? Alguma coisa que estava ligada e com o passar dos tempos foi desligada. Esta ligação era do homem com Deus. Havia uma ligação íntima do homem com Deus e isto aconteceu no período no qual Adão morava no Jardim do Éden, mas com o pecado consumado a comunhão com Deus foi totalmente perdida. Em outras palavras, pode-se dizer que religião é a vida do homem nas suas relações humanas, isto é, a vida do homem em relação ao poder que o criou à Autoridade Suprema acima dele, o Ser invisível com quem é possível o homem ter comunhão. Esta religação é algo urgente, que os seres humanos precisam possuir. É necessário religar a comunhão perdida no passado. É preciso recomeçar.

A religião é vida em Deus. É relacionamento com Ele. É conhecimento dEle. E conhecê-lO, na genuína expressão do termo, é ter vida com Ele e para Ele, não é apenas pronunciar o Seu nome, mas sim, viver somente para Ele. A religião é sempre a vida do homem como um ser dependente de um poder, responsável para com uma autoridade e adaptável a uma comunhão íntima com uma realidade invisível. Esta definição exclui a ideia que prevalece de que a religião é um corpo de doutrinas ou ensinamentos, que na verdade não é. Quem assim define a religião confunde-se com ensinamentos antropocêntricos, que vem do homem e não de Deus. Enfim, religião é vida! O que se passar disso pode ser algo um pouco contraditório daquilo que pensamos ou imaginamos ser o que é. “Se alguém se considera religioso, e não refreia a sua língua, mas engana o seu próprio coração, a sua religião não tem nenhum valor. A religião pura e imaculada para com Deus e Pai, é esta: Visitar os órfãos e as viúvas nas suas tribulações, e guardar-se da corrupção do mundo” (Tiago 1.26, 27).

Por, Romário Galdino.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Google Translate »