Quem é a pessoa sem veste nupcial?

Na Parábola das Bodas em Mateus 22, quem é o personagem que não estava trajado com veste nupcial? Seria Satanás? Provavelmente não, pois a festa acontece no Céu. Quem é então?

Quem é a pessoa sem veste nupcialEsta parábola (Mateus 22) evidencia de um determinado grupo de pessoas que perdem a posição privilegiada e são substituídos por aqueles a quem supostamente desprezavam. Jesus quer apresentar quem é o verdadeiro povo de Deus, mas ele inverte o modo como os mestres da tradição entendiam o assunto. O único critério para selecionar os convidados era a sua disponibilidade: “convidai para as bodas a quantos encontrardes” (Mateus 22.9), apontando para a grande misericórdia de Deus.

A festa era para convidados importantes, mas o rei teve que substituí-los por outros que estavam dispostos a participar da festa. No entanto, o rei verificou que um dos convidados não apresentava as vestes nupciais que lhe habilitavam a estar na festa. Apesar de ser feito o convite aos bons e maus, ao chegar à festa era necessário que os convidados estivessem vestidos com roupas limpas e brancas como era de costume em uma festa nupcial. Deixar de cumprir esse requisito era insultar o anfitrião da festa.

O Reino de Deus é apresentado como um banquete, um lugar festivo, um espaço onde as pessoas se alegram, comem e bebem. Portanto, o Evangelho é o anuncio desse Reino, é o convite para a participação dessa celebração festiva. O Rei convida as pessoas em suas mais profundas incoerências e pecados, convida pobres, ricos, pequenos e grandes, homens e mulheres, crianças e adultos, corruptos e justos. É um convite que quebra as expectativas de religiosos, pois aceita aqueles que não são aceitos nem são merecedores de serem convidados por conta de suas perversidades. Essa, na verdade, é a natureza do Reino de Deus: aceitar quem não é merecedor e, rejeitar quem por sua própria consciência religiosa se sente merecedor de fazer parte do Reino. Apesar de o convite ser para todos, ao fazer parte da festa é necessário estar de acordo a vontade do anfitrião. Isto não é responsabilidade de quem convida. É, antes de tudo, responsabilidade de quem é convidado e decide fazer parte da festa.

Embora aberto a todos, o Reino de Deus exige a abnegação da vida pecaminosa marcada pela injustiça, corrupção, mentira, arrogância, orgulho, dominação e opressão dos mais fracos e exploração dos pobres. As vestes do Reino não se identificam com a violência, com a destruição do outro, com condenação, com a maledicência e com os engajamentos políticos que ultrajam a verdade, a honestidade, a sinceridade e o serviço verdadeiro ao próximo. Estas não são as vestes próprias para fazer parte do Reino de Deus. Jesus deixa claro que o Reino altera a lógica da vida no mundo, exige que os que nele participam tenham vestes novas, vestes adequadas, as vestes do Cordeiro.

Por, Claiton Ivan Pommerening.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Google Translate »