Quantas e quais são as arcas?

A arca de madeira de cetim de Êxodo 25.10-16 é a mesma arca citada em Hebreus 9.4 pelo nome de Arca do Concerto? É também a mesma arca vista pelo apóstolo João no céu, como está escrito em Apocalipse 11.19? Há alguma diferença entre elas? Se sim, quais?

Quantas e quais são as arcasVemos em Êxodo 25.10, 16, Deus ordenando a Moisés que fosse construída a Arca da Aliança, também chamada de Arca do Concerto. Ela deveria seguir as dimensões exatas estipuladas pelo Senhor: um metro e dez de comprimento, por sessenta e seis centímetros de largura e sessenta e seis de altura. Era uma caixa revestida de ouro puro por dentro e por fora. Em cada extremidade haveria um anel de ouro, para que varas pudessem passar pelos anéis para carregá-la. Em cima, haveria uma espécie de tampa chamada de propiciatório.

Esta é a mesma arca citada em Hebreus 9.4 como a Arca do Concerto. Percebemos que este mesmo nome usado em Hebreus é citado várias outras vezes, como em Números 10.33; Deuteronômio 10.8; Josué 3.6; 1 Samuel 4.5. No entanto, existem outras vinte e duas designações diferentes, como Arca do Senhor, Arca de Deus, Arca do Testemunho, etc.

O livro de Apocalipse (11.19) nos fala desta Arca do Concerto nos céus, no Templo de Deus. Assim, a Arca do Concerto aparece tanto em Êxodo, como em Apocalipse. Mas o que aconteceu ao longo da história com a Arca do Concerto constitui-se um grande mistério.

Existe uma tradição apócrifa que diz que o profeta Jeremias teria escondido a arca em uma caverna no monte Nebo (ou no Sinai, segundo outra variante), antes da destruição de Jerusalém. Contudo, o profeta Jeremias (3.16) dá a entender que ela teria sido destruída ou capturada pelos babilônicos.

Atualmente, na Etiópia, a Igreja Ortodoxa sustenta uma tradição, que vem desde o século 14, na qual a rainha de Sabá teria tido um filho do rei Salomão chamado Menelik, e os reis da Etiópia seriam descendentes deste homem. Ainda segundo esta tradição, a Arca do Concerto teria sido levada para a Etiópia, para cidade de Axum (ou Aksum), e estaria numa capela no complexo da igreja de Santa Maria de Sião. O que é interessante é que a arca estaria guardada, mas ninguém jamais a viu.

Deixando as tradições extra bíblicas de lado, após a destruição de Jerusalém, a Arca do Concerto volta a aparecer no livro de Apocalipse, ao soar da sétima trombeta. O capítulo 11 de Apocalipse nos mostra vários aspectos da revelação de Cristo para a terra, e, como ápice, o céu se abre e João vê o Templo de Deus e a Arca do Concerto.

Há quem veja um literalismo nesta passagem, acreditando que a Arca do Concerto foi milagrosamente resgatada e está nos céus. Mas é bem provável que temos aqui uma linguagem simbólica sobre a vinda do Reino de Deus, onde a presença divina está aberta a todos os homens. A Arca da Aliança representava a presença de Deus e aqui ela aparece como sinal da confirmação da aliança entre Deus e o Seu povo.

Desde o desaparecimento da Arca do Concerto, quando os babilônicos conquistaram Jerusalém em 586 a.C. até os dias de hoje, o que realmente aconteceu com a arca é um grande mistério. Acredito que ela tenha sido realmente destruída. Mas, sem sombra de dúvidas, em toda a Bíblia Sagrada, temos apenas uma Arca do Concerto.

Por, David Baptista de Mattos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Google Translate »