Preparando a Igreja para o Arrebatamento

Preparando a Igreja para o ArrebatamentoEm 23 de julho de 2017, comecei escrever a mensagem do Requerimento do Senhor Jesus no tocante à Revitalização Doutrinária da Igreja no Brasil e no Exterior onde temos missionários, o qual foi apresentado e aprovado na 40ª AGO da CGADB de 12 a 14 de abril de 2011 em Cuiabá (MT).

Nos anos de 2009, 2010 e 2011, o Senhor me inquietou para que eu falasse aos pastores de Cuiabá, de todo o Estado de Mato Grosso, de todo Brasil e no Exterior onde temos missionários, no sentido de ensinar a Palavra de Deus com todos os detalhes que ela impõem. Exemplo: Sã doutrina, os usos e bons costumes que a Bíblia ensina, e a prática da santificação para pastores e obreiros em geral, obviamente; e para toda a Igreja, cada um por sua vez. Exemplo: “Portanto, tornai a levantar as mãos cansadas e os joelhos desconjuntados, e fazei veredas direitas para os vossos pés, para que o que manqueja se não desvie inteiramente; antes, seja sarado. Segui a paz com todos e a santificação, sem a qual ninguém verá o Senhor, tendo cuidado de que ninguém se prive da graça de Deus, e de que nenhuma raiz de amargura, brotando, vos perturbe, e por ela muitos se contaminem” (Hebreus 12.12-17).

Irmãos pastores e Igreja, vejam como o Senhor Deus Pai, e Deus Filho, e Deus Espírito Santo é um Deus Triuno misericordioso e bondoso. Pois é Deus onipotente, onipresente e onisciente; Ele domina sobre todo o universo e se inclina para nós, nos aconselhando a usar a Sua Palavra como espelho para ver nela como está a nossa vida diante dEle, o Criador (Salmo 119.9,10). É muita misericórdia para conosco, não querendo que nenhum de nós fique no seu arrebatamento; quer tenhamos morrido, quer estejamos vivos.

“Não quero, porém, irmãos, que sejais ignorantes acerca dos que já dormem, para que não vos entristeçais, como os demais, que não tem esperança. Porque, se cremos que Jesus morreu e ressuscitou, assim também aos que em Jesus dormem Deus os tornará a trazer com ele. Dizemos-vos, pois, isto pela palavra do Senhor: que nós, os que ficarmos vivos para a vinda do Senhor, não precedermos os que dormem. Porque o mesmo Senhor descerá do céu com alarido, e com voz de arcanjo, e com a trombeta de Deus; e os que morreram em Cristo ressuscitarão primeiro; depois, nós, os que ficarmos vivos, seremos arrebatados juntamente com eles nas nuvens, a encontrar o Senhor nos ares, e assim estaremos sempre como Senhor. Portanto, consolai-vos uns aos outros com estas palavras” (1 Tessalonicenses 4.13-18).

Por tudo isso, observais o quanto o Senhor Jesus Cristo nos ama. Ele faz tudo para que obedeçamos a Sua Palavra; porque se formos obedientes, alcançaremos a Salvação Eterna e na Sua Vinda seremos arrebatados e levados pelo Espírito Santo para estarmos com Jesus nos ares.

Estamos estudando exatamente o convite do Senhor Jesus que nos adverte: O dia está chegando! Preparem-se porque não há mais tempo a perder. O mundo é alvissareiro, mas passa; a salvação impõe renúncia, mas é eterna.

“Eu vos escrevi, pais, porque já conhecestes aquele que é desde o princípio. Eu vos escrevi, jovens, porque sois fortes, e a palavra de Deus está em vós, e já vencestes o maligno. Não ameis o mundo, nem o que no mundo há. Se alguém ama o mundo, o amor do Pai não está nele. Porque tudo o que há no mundo, a concupiscência da carne, a concupiscência dos olhos e a soberba da vida, não é do Pai, mas do mundo. E o mundo passa, e a sua concupiscência; mas aquele que faz a vontade de Deus permanece para sempre” (1 João 2.14-17).

Ainda com relação ao perigo do mundo com suas vaidades, nós lemos: “Portanto, qualquer que quiser ser amigo do mundo constitui-se inimigo de Deus” (Tiago 4.4b). Sobre tudo isso, nós lemos em Lucas 21.25,26, o seguinte: “E haverá sinais no sol, e na lua, e nas estrelas, e, na terra, angústia das nações, em perplexidade pelo bramido do mar e das ondas; homens desmaiando de terror, na expectação das coisas que sobrevirão ao mundo, porquanto os poderes do céu serão abalados.”

Observemos os versos 28 a 33 nos quais lemos: “Ora, quando essas coisas começarem a acontecer, olhai para cima e levantai a vossa cabeça, porque a vossa redenção está próxima. E disse-lhes uma parábola: Olhai para a figueira e para todas as árvores. Quando já começam a brotar, vós sabeis por vós mesmos, vendo-as, que perto está já o verão. Assim também vós, quando virdes acontecer essas coisas, sabei que o Reino de Deus está perto. Em verdade vos digo que não passará esta geração até que tudo aconteça. Passará o céu e a terra, mas as minhas palavras não hão de passar.”

Os governantes mundiais, não sabem mais o que fazer, pois não encontram soluções para os problemas das nações. Sobre tudo isso, observe o verso 32 que diz: “Em verdade vos digo que não passará esta geração até que tudo aconteça!” Estamos chegando ao fim!

Vamos agora para o arrebatamento da Igreja

Observe o verso 27 de Lucas 21, que diz: “E, então, verão vir o Filho do Homem numa nuvem, com poder e grande glória”. Esta vinda de Jesus com poder e grande glória se refere ao término da grande festa das Bodas do Cordeiro na Nova Jerusalém.

Consideremos o que nos fala Paulo em 1 Tessalonicenses 4.16: “Porque o mesmo Senhor descerá do céu com alarido, e com voz de arcanjo, e com a trombeta de Deus; e os que morreram em Cristo ressuscitarão primeiro” (grifo meu).

Para fazermos parte desse maravilhoso evento, precisamos viver em santificação e estarmos em comunhão com o Espírito Santo de Deus, porque Ele mesmo é quem nos levará ao encontro do Senhor Jesus nos ares. Por isso vivamos de tal forma que não venhamos entristecer o Espírito Santo de Deus, no qual estamos selados para o Dia da redenção (Efésios 4.30).

A partir desse encontro com o Senhor nos ares iremos à Grande Festa das Bodas do Cordeiro na Santa Cidade, a Nova Jerusalém, cuja festa durará sete anos. Nesse período o nosso gozo vai ser tamanho encontrando com os nossos entes queridos que hoje estão com o Senhor no paraíso.

Meus irmãos, precisamos demover-nos de toda vaidade, de todo orgulho e de todo sentimento mundano para não perdermos essa grande e eterna benção que o Senhor está nos proporcionando.

Observação: Nesse período que a Igreja goza com o Senhor Jesus na grande festa, o mundo entrará no período conhecido biblicamente como “A Grande Tribulação”, conforme lemos em Apocalipse 7.14: “E eu disse-lhe: Senhor, tu sabes. E Ele disse-me: Estes são os que vieram de grande tribulação, lavaram as suas vestes e as branquearam no sangue do Cordeiro”.

A grande tribulação iniciará após o arrebatamento da Igreja, de acordo com Ezequiel 39.1-7: “Tu, pois, ó filho do homem, profetiza ainda contra Gogue e dize: Assim diz o Senhor Jeová: Eis que eu sou contra ti, ó Gogue, príncipe e chefe de Meseque e de Tubal. E te farei voltear, e te porei seis anzóis, e te farei subir das bandas do Norte, e te trarei aos montes de Israel. E tirarei o teu arco da tua mão esquerda e farei cair as tuas flechas da tua mão direita. Nos montes de Israel, cairás, tu, e todas as tuas tropas, e os povos que estão contigo; e às aves de rapina, e às aves de toda a asa, e aos animais do campo, te darei por pasto. Sobre a face do campo cairás, porque eu falei, diz o Senhor Jeová. E enviarei um fogo sobre Magogue e entre os que habitam seguros nas ilhas; e saberão que eu sou o Senhor. E farei conhecido o meu santo nome no meio do meu povo de Israel e nunca mais deixarei profanar o meu santo nome.”

Conforme lemos em Ezequiel 39.11,15: “E sucederá que, naquele dia, darei ali a Gogue um lugar de sepultura em Israel, o vale dos que passam ao oriente do mar; e se espantarão os que por ele passarem; e ali sepultarão Gogue e toda a sua multidão e lhe chamarão o vale da Multidão de Gogue”; “E os que passam pela terra a atravessarão, e, vendo alguém o osso de um homem, lhe levantará ao pé sinal, até que os enterradores o enterrem no vale da Multidão de Gogue.” Com a finalidade de purificar a terra (Ezequiel 39.9-22).

Observação: Perto do fim da Tribulação haverá o grande dia do Deus Todo Poderoso, que entrará em guerra com as nações que virão destruir Jerusalém e o povo de Israel. O Armagedom, que está localizado no centro-norte da Palestina e significa Vale de Megido, será o ponto central da batalha. Como dissemos, essa guerra será travada perto do fim da Tribulação e acabará quando Cristo voltar para destruir os ímpios, para libertar o Seu povo e para inaugurar Seu Reino Messiânico, como lemos em Lucas 21.27: “E, então, verão vir o Filho do Homem numa nuvem, com poder e grande glória.”; lemos também em Mateus 25.31: “E, quando o Filho do Homem vier em sua glória, e todos os santos, com ele, então, se assentará no trono da sua glória.” Fim da Grande Tribulação.

O fim do sermão profético. A vida eterna e o castigo eterno.

“E, quando o Filho do Homem vier em sua glória, e todos os santos anjos, com ele, então, se assentará no trono da sua glória; e todas as nações serão reunidas diante dele, e apartará uns dos outros, como o pastor aparta dos bodes as ovelhas.”

“E porá as ovelhas à sua direita, mas os bodes à esquerda. Então, dirá o Rei aos que estiverem à sua direita: Vinde, benditos de meu Pai, possuí por herança o Reino que vos está preparado desde a fundação do mundo; porque tive fome, e destes-me de comer; tive sede, e destes-me de beber; era estrangeiro, e hospedastes-me; estavas nu, e vestistes-me; adoeci, e visitastes-me; estive na prisão, e fostes ver-me. Então, os justos lhe responderão, dizendo: Senhor, quando te vimos com fome e te demos de comer? Ou com sede e te demos de beber? E, quando te vimos estrangeiro e te hospedamos? Ou nu e te vestimos? E, quando te vimos enfermo ou na prisão e fomos ver-te? E, respondendo o Rei, lhes dirá: Em verdade vos digo que, quando o fizestes a um destes meus pequeninos irmãos, a mim o fizestes” (Mateus 25.31-40).

“Então, dirá também aos que estiverem à sua esquerda: Apartai-vos de mim, malditos, para o fogo eterno, preparado para o diabo e seus anjos; porque tive fome e não me destes de comer; tive sede, e não me destes de beber; sendo estrangeiro, não me recolhestes; e estando enfermo e na prisão, não me visitastes.”

“Então, eles também lhe responderão, dizendo: Senhor, quando te vimos com fome, ou com sede, ou estrangeiro, ou nu, ou enfermo, ou na prisão e não te servimos? Então, lhes responderá, dizendo: Em verdade vos digo que, quando a um destes pequeninos o não fizestes, não o fizestes a mim. E irão estes para o tormento eterno, mas os justos, para a vida eterna” (Mateus 25.41-46).

Vitórias de Cristo sobre a Besta e sobre o Falso Profeta

“E vi o céu aberto, e eis um cavalo branco. O que estava assentado sobre ele chama-se Fiel e Verdadeiro e julga e peleja com justiça. E os seus olhos eram como chama de fogo; e sobre a sua cabeça havia muitos diademas; e tinha um nome escrito que ninguém sabia, senão ele mesmo. E estava vestido de uma veste salpicada de sangue, e o nome pelo qual se chama é a Palavra de Deus. E seguiram-no os exércitos que há no céu em cavalos brancos e vestidos de linho fino, branco e puro. E da sua boca saía uma aguda espada, para ferir com ela as nações; e ele as regerá com vara de ferro e ele mesmo é o que pisa o lagar do vinho do furor e da ira do Deus Todo-poderoso. E na veste e na sua coxa tem escrito este nome: REI DOS REIS E SENHOR DOS SENHORES. E vi um anjo que estava no sol, e clamou com grande voz, dizendo a todas as aves que voavam pelo meio do céu: Vinde e ajuntai-vos à ceia do grande Deus, para que comais a carne dos reis, e a carne dos tribunos, e a carne dos fortes, e a carne dos cavalos e dos que sobre eles se assentam, e a carne de todos os homens, livres e servos, pequenos e grandes. E vi a besta, e os reis da terra, e os seus exércitos reunidos, para fazerem guerra àquele que estava assentado sobre o cavalo e ao seu exército. E a besta foi presa e, com ela, o falso profeta, que, diante dela, fizera os sinais com que enganou os que receberam o sinal da besta e adoraram a sua imagem. Estes dois foram lançados vivos no ardente lago de fogo e de enxofre. E os demais foram mortos com a espada que saía da boca do que estava assentado sobre o cavalo, e todas as aves se fartaram das suas carnes” (Apocalipse 19.11-21).

Satanás é preso por mil anos. Os fiéis reinam com Cristo.

“E vi descer do céu um anjo que tinha a chave do abismo e uma grande cadeia na sua mão. Ele prendeu o dragão, a antiga serpente, que é o diabo e Satanás, e amarrou-o por mil anos. E lançou-o no abismo, e ali o encerrou, e pôs selo sobre ele, para que mais não engane as nações, até que os mil anos se acabem. E depois importa que seja solto por um pouco de tempo. E vi tronos; e assentaram-se sobre eles aqueles a quem foi dado o poder de julgar. E via as almas daqueles que foram degolados pelo testemunho de Jesus e pela palavra de Deus, e que não adoraram a besta nem a sua imagem, e não receberam o sinal na testa nem na mão; e viveram e reinaram com Cristo durante mil anos. Mas os outros mortos não reviveram, até que os mil anos se acabaram. Esta é a primeira ressurreição. Bem- -aventurado e santo aquele que tem parte na primeira ressurreição; sobre estes não tem poder a segunda morte, mas serão sacerdotes de Deus e de Cristo e reinarão com ele mil anos” (Apocalipse 20.1-6).

Satanás é solto e depois vencido para sempre

“E, acabando-se os mil anos, Satanás será solto da sua prisão, e sairá a enganar as nações que estão sobre os quatro cantos da terra, Gogue e Magogue, cujo número é como a areia do mar, para as ajuntar em batalha. E subiram sobre a largura da terra, e cercaram o arraial dos santos e a cidade amada; e de Deus desceu fogo, do céu, e os devorou. E o diabo, que os enganava, foi lançado no lago de fogo e enxofre, onde estão a besta e o falso profeta; e de dia e de noite serão atormentados para todo o sempre” (Apocalipse 20.7-10)

O Juízo Final

“E vi um grande trono branco e o que estava assentado sobre ele, de cuja presença fugiu a terra e o céu, e não se achou lugar para eles. E vi os mortos, grandes e pequenos, que estavam diante do trono, e abriram-se os livros. E abriu-se outro livro, que é o da vida. E os mortos foram julgados pelas coisas que estavam escritas nos livros, segundo as suas obras. E deu o mar os mortos que nele havia; e a morte e o inferno deram os mortos que neles havia; e foram julgados cada um segundo as suas obras. E a morte e o inferno foram laçados no lago de fogo. Esta é a segunda morte. E aquele que não foi achado escrito no livro da vida foi lançado no lago de fogo” (Apocalipse 20.11-15 – grifo meu).

“E, naquele tempo, se levantará Miguel, o grande príncipe, que se levanta pelos filhos do teu povo, e haverá um tempo de angustia, qual nunca houve, desde que houve nação até àquele tempo; mas, naquele tempo, livrar-se-á o teu povo, todo aquele que se achar escrito no livro. E muitos dos que dormem no pó da terra ressuscitarão, uns para a vida eterna e outros para vergonha e desprezo eterno. Os sábios, pois, resplandecerão como o resplendor do firmamento; e os que a muitos ensinam a justiça refulgirão como as estrelas, sempre e eternamente” (Daniel 12.2,3 – grifo meu).

“Em verdade, em verdade vos digo que vem a hora, e agora é, em que os mortos ouvirão a voz do Filho de Deus, e os que a ouvirem viverão. Porque, como o Pai tem a vida em si mesmo, assim deu também ao Filho ter a vida em si mesmo. E deu-lhe o poder de exercer o juízo, porque é o Filho do Homem. Não vos maravilheis disso, porque vem a hora em que todos os que estão nos sepulcros ouvirão a sua voz. E os que fizeram o bem sairão para a ressurreição da vida; e os que fizeram o mal, para a ressurreição da condenação” (João 5.25-29).

No Juízo Final, como lemos, tem o Livro da Vida, onde estarão escritos os nomes daqueles, que mesmo sem terem ouvido falar de Jesus, foram tementes a Deus e fizeram o bem, baseados em seu sentimento de temor a Deus e à Santíssima Trindade. Esses sairão para a ressurreição da vida, enquanto que os que fizeram o mal e os que ouviram a Palavra e não aceitaram, serão lançados nas trevas exteriores onde haverá pranto e ranger de dentes. Portanto, não haverá mais recursos para estes.

Não sejamos ouvintes esquecidos

Prezados irmãos, uma vez que somos sabedores da vontade de Deus para a nossa vida, devemos esforçar ao máximo para cumpri-la. A Palavra de Deus nos exorta a não sermos ouvintes esquecidos, dizendo: “Porque, se alguém é ouvinte da palavra, e não cumpridor, é semelhante ao homem que contempla ao espelho o seu rosto natural; porque se contempla a si mesmo, e vai-se, e logo se esquece de como era. Aquele, porém, que atenta bem para a lei perfeita da liberdade e nisso persevera, não sendo ouvinte esquecido, mas fazedor da obra, este tal será bem-aventurado no seu feito” (Tiago 1.23-25).

Devemos então, colocar em prática aquilo que entendemos, pela Palavra de Deus, ser necessário para herdarmos a vida eterna. Como diz o escritor aos Hebreus: “Portanto, convém-nos atentar, com mais diligência, para as coisas que já temos ouvido, para que, em tempo algum, nos desviemos delas” (Hebreus 2.1).

O Senhor Jesus, após concluir o Sermão da Montanha, exorta todos os ouvintes a praticarem o que ouviram, dizendo: “Todo aquele, pois, que escuta estas minhas palavras e as pratica, assemelhá-lo-ei ao homem prudente, que edificou a sua casa sobre a rocha” (Mateus 7.24). Porém, ao que ouve as suas palavras e as não cumpre, Ele diz: “…compará-lo-ei ao homem insensato, que edificou a sua casa sobre a areia” (Mateus 7.26).

Consideremos o fato de que para os que morreram sem Cristo, tendo conhecimento da Palavra, não resta mais nada a ser feito. Estão eternamente perdidos. Entretanto, aqueles que morreram sem ter conhecimento da Palavra de Deus, mas em vida praticaram o bem, serão julgados pelas obras no dia do Juízo Final, e alcançarão a vida eterna, como vemos em Daniel 12.2: “E muitos dos que dormem no pó da terra ressuscitarão, uns para vida eterna, e outros para vergonha e desprezo eterno.”

Em Lucas 16 o Senhor conta-nos sobre “O rico e Lázaro”. Após a morte, Lázaro era consolado no seio de Abraão, enquanto o rico, no Hades, era atormentado. Ao pedir ao pai Abraão para que Lázaro molhasse a ponta do dedo na água para lhe refrescar a língua, o rico recebe esta resposta de Abraão: “…está posto um grande abismo entre nós e vós, de sorte que os que quisessem passar daqui para vós não poderiam, nem tampouco os de lá passar para cá” (v.26). Portanto, fica claro que, após a morte aqueles que tiverem vivenciado o Evangelho, vendo e ouvindo todas essas coisas e não forem achados dignos da vida eterna, estarão irremediavelmente perdidos.

“Porque eis que aquele dia vem ardendo como fornalha; todos os soberbos, e todos os que cometem impiedade, serão como a palha; e o dia que está para vir os abrasará, diz o SENHOR dos Exércitos, de sorte que lhes não deixará nem raiz nem ramo”; “Mas para vós, os que temeis o meu nome, nascerá o sol da justiça, e cura trará nas suas asas; e saireis e saltareis como bezerros da estrebaria” (Malaquias 4.1,2).

Sã doutrina, usos e costumes e santificação

Para as mulheres:

Sobre o dever da mulher de ter cabelos crescidos, a Palavra de Deus afirma: “Mas ter a mulher cabelo crescido lhe é honroso, porque o cabelo lhe foi dado em lugar de véu. Mas, se alguém quiser ser contencioso, nós não temos tal costume, nem as igrejas de Deus” (1 Coríntios 11.15,16). A expressão “cabelo crescido” se refere a não ir tesoura ou qualquer outra ferramenta que o corte, mas que ele cresça naturalmente conforme a força do próprio cabelo.

“Semelhantemente, vós, mulheres, sede sujeitas ao vosso próprio marido, para que também se algum não obedece à palavra, pelo procedimento de sua mulher seja ganho sem palavras, considerando a vossa vida casta, em temor. O enfeite delas não seja o exterior, no frisado dos cabelos, no uso de joias de ouro, na compostura de vestes, mas o homem encoberto no coração, no incorruptível trajo de um espírito manso e quieto, que é precioso diante de Deus” (1 Pedro 3.1-4). Esse termo referindo-se a vida casta significa: pureza, abstinência total de pensamentos, palavras e atos sexuais.

Sobre a maneira como as mulheres devem se vestir, lemos em Deuteronômio 22.5: “Não haverá trajo de homem na mulher, e não vestirá o homem veste de mulher; porque qualquer que faz isto abominação é ao Senhor, teu Deus.” Lemos também em 2 Timóteo 2.9,10: “Que do mesmo modo as mulheres se ataviem em traje honesto, com pudor e modéstia, não com tranças, ou com ouro, ou pérolas, ou vestidos preciosos, mas (como convém as mulheres que fazem profissão de servir a Deus) com boas obras.”

Considerando os textos bíblicos citados acima, entendemos que não convém às mulheres servas de Deus, usarem calça comprida, roupas com rendas transparentes, decotes ousados, ombros e braços descobertos, ou minissaia e roupas semelhantes a estas que expõe partes do corpo sem pudor algum.

Para os homens:

“Todavia, o fundamento de Deus fica firme, tendo este selo: O Senhor conhece os que são seus, e qualquer que profere o nome de Cristo aparte-se da iniquidade” (2 Timóteo 2.19).

A recomendação Divina para aqueles que professam a fé em Jesus Cristo é: “aparte-se da iniquidade”. Dentre as diversas definições que temos para a palavra iniquidade, temos a seguinte: “Ato ou comportamento contrário à moral, à religião, à igualdade.” Observemos o seguinte: muitas coisas que são aprovadas e tidas pela sociedade atual como lícitas e legais, diante de Deus são moralmente reprovadas.

O apóstolo Paulo afirma: “Todas as coisas me são lícitas, mas nem todas as coisas convêm; todas as coisas me são lícitas, mas eu não me deixarei dominar por nenhuma”; “Todas as coisas me são lícitas, mas nem todas as coisas convêm; todas as coisas me são lícitas, mas nem todas as coisas edificam” (1 Coríntios 6.12; 10.23). Note bem as palavras “lícitas” e “convêm”, empregadas no texto acima: as coisas lícitas falam daquilo que é legal e aceitável de acordo com a moralidade da sociedade, enquanto que as coisas que convêm falam daquilo de podemos concordar, aceitar ou admitir baseados em nossas convicções pessoais. Nesse sentido, não podemos concordar, aceitar ou admitir muitas coisas que para a sociedade não tem importância ou problema algum. As Escrituras deixam bem claro essa questão das convicções pessoais, quando nos exorta dizendo: “Bem-aventurado aquele que não se condena a si mesmo naquilo que aprova” (Romanos 14.22b).

Portanto, entendemos, pela Palavra do Senhor, que muitos procedimentos aprovados e aceitos pelos homens de forma geral, são reprovados e condenados diante de Deus e da Sua Palavra. Por exemplo: não convém ao homem, que professa a fé em Jesus Cristo, usar short ou bermudas, camisetas regatas, cavadas ou sem magas, ou mesmo usar pijamas de calça curta e coisas semelhantes a essas que para a sociedade são lícitas e aprovadas, mas diante de Deus, o Senhor de toda a terra, são reprovadas.

Sobre televisão:

Por volta do ano de 1945, eu era adolescente com cerca de catorze anos de idade e estava na casa de uma prima minha na cidade de Pirajuba, Minas Gerais. A casa estava cheia de pessoas e o assunto era sobre a televisão. Embora ninguém ali possuísse o aparelho e nem mesmo o conhecesse, pois somente nas grandes capitais existiam aparelhos de televisão, trazidos da Europa ou dos Estados Unidos por pessoas que viajando para esses lugares os traziam em suas bagagens. Eu, como adolescente, estava ouvindo o assunto, mas sem interesse; estava apenas “sapeando” (termo usado muito naquele tempo para expressar “observar, sem tomar parte”).

De repente, o Espírito Santo abriu o meu tórax e falou contundentemente no meu coração: “Televisão não é para crente”. Esperei uns dois minutos, aproximadamente, para ver se alguém tinha ouvido aquela repreensão também. Eu estava tremendo e atônito. Ao notar que ninguém, além de mim, tivesse ouvido, pedi licença e fui para minha casa. Chegando lá contei o ocorrido aos meus pais. Posteriormente, contei à igreja e a diversas pessoas ao longo desses anos.

O tempo passou e no princípio de 2005, já em Cuiabá, eu estava sozinho no alpendre na minha casa descontraído, vendo os carros que desciam a rua, observando os prédios e as nuvens, quando o Espírito Santo me chamou a atenção, dizendo: “Lembras aquele dia em que o Senhor te chamou à atenção e só você, dentre os que estavam na casa, ouviu?” Eu disse: “Lembro sim, Senhor”. Então, o Espírito Santo reiterou: “Lembras que estavas na casa cheia de gente e só você, como crente, ouviu a repreensão? Assim será também no dia do arrebatamento. Só será arrebatado aqueles que ouvirem o som da trombeta e só ouvirão o som da trombeta aqueles que estiverem salvos.” Exemplo: Aqueles que estão “em cima do muro” com um pouco do coração na igreja e outro pouco do coração no mundo, não ouvirão o toque da trombeta e consequentemente não serão arrebatados.

Mais tarde, aqui em Cuiabá, eu fui orar para um doente em sua casa em um domingo. Na segunda-feira, quando estava em um culto de oração na sede, Deus usou alguém em profecia e falou comigo: “Orastes por um enfermo na última casa que visitastes. Não o curei. Mas, o curarei se ele tirar de sua casa aquele ‘aparelho maldito’”.

No dia seguinte, terça-feira, ele estava no culto e eu falei com ele sobre o que o Senhor me havia dito. Ele pediu para que eu falasse com sua esposa, que estava no culto também. Eu falei com ela em continente, porém notei que ela não gostou. Logo depois, eles se mudaram para outro Estado e finalmente, eu soube que ele havia falecido.

Baseado nessas experiências que o Senhor me deu sobre a televisão eu reitero o que o Senhor disse: “Televisão não é para crente” e peço a todos que ponderem em seus corações e lutem pela sua salvação pessoal, deixando tudo aquilo que o Senhor rejeita, para que possas naquele dia, ouvir o toque da última trombeta e ser arrebatado para estar com o Senhor para sempre no Seu Reino e na Sua Glória.

Estamos encerrando a mensagem de Cristo para a Igreja e ministério da Assembleia de Deus no Brasil e Exterior onde temos missionários, na expectativa de que estejamos fazendo tudo na orientação do Espírito Santo. Sendo assim, já falamos sobre a sã doutrina, sobre os bons costumes e agora falaremos sobre a santificação, lendo em 1 Pedro 1.13ss:

Exortação à santidade

“Portanto, cingindo os lombos do vosso entendimento, sede sóbrios e esperai inteiramente na graça que se vos ofereceu na revelação de Jesus Cristo, como filhos obedientes, não vos conformando com as concupiscências que antes havia em vossa ignorância; mas, como é santo aquele que vos chamou, sede vós também santos em toda a vossa maneira de viver, portanto escrito está: Sede santos, porque eu sou santo.”

Diante de tudo isso, para que não aconteça com nenhum de nós o que aconteceu com o rico; enquanto viveu não atentou para os detalhes; quando morreu estando no Hades, apelou para o pai Abraão sem que ele pudesse resolver o problema. Portanto, aconselho a todos nós indistintamente, pastores, obreiros irmãos, irmãs, moços e moças em geral, que atentemos para esses detalhes e mesmo com sacrifício, sejamos obedientes à Palavra do Senhor Deus, para que sejamos vitoriosos para sempre e por toda a eternidade.

Maranata! O Senhor vem! (1 Coríntios 16.22)

Cuiabá, em 03 de setembro de 2017

Por, Sebastião Rodrigues de Souza.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Google Translate »