Pastor morre na igreja e volta à vida com oração da filha e irmãos

João Neto, da Assembleia de Deus em Tucuruí (PA), estava com bloqueio no coração, mas foi totalmente curado após resposta de Deus

Pastor morre na igreja e volta à vida com oração da filha e irmãosNo ano de 2005, o pastor João Neto Rodrigues, hoje supervisor da Área 6 da Assembleia de Deus em Tucuruí (PA), liderado pelo pastor Océlio Nauar de Araújo, descobriu que estava com um bloqueio de átrio-ventricular de primeiro grau no coração.

Para quem não sabe, essa é uma doença do sistema de condução elétrica do coração na qual o intervalo do impulso elétrico fica prolongado. Nesses casos, a condução do impulso dos átrios aos ventrículos é atrasada, viajando mais lentamente do que o normal. O maior risco é que, apesar de raro, esse quadro evolua para os graus seguintes, chegando até uma arritmia grave que afeta a capacidade de bombeamento do coração, colocando, portanto, a vida do paciente em perigo. Um agravante no caso do pastor João é que ele também desenvolveu uma hipertensão – que por si só, isolada, já está entre as principais causas de infarto no Brasil.

Em 2007, a doença piorou, e no dia 4 de novembro daquele ano, data inesquecível para o pastor, em um culto de Santa Ceia à noite na Congregação Monte Hermon, ele conta que começou a passar muito mal. Segundo o pastor João, a igreja estava cheia e a presença divina era real. O culto estava tão animado que a programação excedeu o horário de encerramento, normalmente às 21 horas. Mesmo com fortes dores, ele tentou resistir, até que, próximo da meia noite, enquanto alguns adolescentes eram batizados com o Espírito Santo, ele não pôde mais suportar. Mesmo sendo o dirigente do trabalho, teve que descer do altar para ir embora.

“Ao passar pelos jovens, vi uma mão que se estendeu para mim. Então, percebi que era a minha filha, Karlla Jeanne, na época com 16 anos. Ela olhou para mim com os olhos cheios de lágrimas e, tendo revelação de Deus, disse: ‘Papai, o senhor vai morrer!’. Naquele momento, senti meus pés saírem da terra e não foi mais possível falar. Sentia que estava acontecendo algo diferente em mim. A dor no peito apertou e eu fiquei fraco. Ela me deixou por um instante, chamou sua mãe (Maria do Amparo) que veio em minha direção e me deu um abraço. Senti que estava me despedindo de minha família e da minha igreja”, narra o pastor.

Ele recorda que, nesse momento, caiu prostrado próximo ao altar. Sua filha Karlla então chamou os obreiros e desesperada buscou o socorro de Deus. Enquanto a filha clamava, pastor João ia sentindo a vida se esvair, um frio nos pés que começava a subir pelo seu corpo.

A irmã Iraci da Conceição, que congregava no Monte Hermon na época era do Círculo de Oração, presenciou todo o ocorrido e em entrevista testifica: “Ele estava morto! Depois que ele caiu, quando chegamos até ele, tentamos levantá-lo, e ele já estava muito gelado, enrijecido, pálido. Morto mesmo!”

A filha Karlla conta: “Eu clamei ao Senhor pela vida do meu pai. Falava com Deus sobre sua dedicação fazendo a obra, os momentos que tivemos juntos e que eu não estava pronta para viver sem ele. Eu pedia mais tempo com ele. Foi quando vi o céu se abrindo e contemplei um coral cantando um lindo hino, com um corredor em seu meio e, no final desse corredor, tinha uma cadeira que brilhava muito. Naquele momento, me prostrei, pedi ainda mais, com todo meu coração, com muita persistência pela vida do meu pai”, testemunha.

Karlla conta que o Senhor lhe respondeu de uma forma que não esperava, pois em meio a seu clamor pela vida do pai, ouviu de Deus: “Eu quero a tua vida”, no sentido de entregar-se ao Seu serviço.

“Eu lhe disse: ‘Senhor, eu não sou nada, mas o que eu sou entrego a ti’. Houve então um grande silêncio e eu chorava muito e continuava a insistir na  petição e uma forte voz respondia: ‘Eu quero a tua santidade!’ Eu fiquei com muito temor e tremor, mas disse ‘Sim’ ao Seu pedido”, acrescenta a jovem.

Segundo ela lembra, só então viu Deus lhe mostrar seu pai participando da sua formatura e de momentos que ela ainda há de viver no futuro. Então, entendeu e creu que o Senhor dera “Sim” ao  seu pedido e bradou: “Papai, levante do chão que Deus te dá vida!”

O pastor João diz que até ele voltar a si sentiu um calor intenso descendo sobre sua cabeça, como que expulsando a morte e o frio que, antes de perder a consciência, ele sentia tomar conta de seu corpo. Toda igreja orava com minha filha, e, para a glória do Senhor, eu levantei! E mesmo ainda um pouco zonzo, eu saí correndo até a estrada, gritando de alegria, louvando ao nosso Deus. O milagre foi confirmado depois pelos médicos e aquele menina, de 16 anos, ficou uma semana falando em línguas estranhas!”

Segundo a irmã Iraci, a igreja, que já era fervorosa, ficou ainda mais. Ela conta que nos dias seguintes muita gente que visitava a congregação aceitou Jesus, e os que estavam distantes retornaram para o Senhor. “Foi algo tremendo. A igreja viveu um grande mover espiritual”, conta.

O pastor ainda passou alguns dias debilitado, mas tão logo fez o eletrocardiograma e demais exames, os médicos atestaram que o bloqueio havia desaparecido, seu coração estava “perfeito”, conforme palavras do próprio cardiologista.

“Irmãos, quero dizer a todos que estão lendo esta página, talvez alguém até enfrentando um diagnóstico de uma fase terminal: não desista! Jesus vive! Ele nos ouve! E se você clamar, Ele mostrará a Sua glória. Coloque sua esperança no Senhor! Não há problema, doença, nada que seja difícil ou impossível para Ele! Como diz o Senhor Jesus em João 11.4: ‘quem crê em mim, ainda que esteja morto viverá’”, conclui pastor João.

Por, Mensageiro da Paz.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Google Translate »