Os perigos do vício no trabalho

Os perigos do vício no trabalhoOs olhos da garota brilham enquanto corre para a biblioteca fazer um pedido especial ao seu pai. “Papai, como o meu aniversário está muito perto, eu queria saber se posso fazer uma grande festa, chamar todas as minhas amigas, organizar um grupo musical e […] vai sair um pouco caro, mas esperei por esse dia a minha vida inteira [a voz ofegante dá lugar à preocupação]!”, diz a filha. O pai, olhando por baixo dos óculos pergunta perplexo: “Quantos anos vai fazer minha filha?”. Responde a filha: “15 anos, papai!” Ele então coloca o livro sobre a mesa e responde paralisado: “Sim, sim, tudo o que você quiser meu amor!” O pai recebe um abraço de muito obrigado e vê a filha sair correndo pelo corredor. Seus pensamentos então regridem pelo tempo afora, não acredita que a sua menina se transformou em uma linda jovem, não se lembra de ter participado dos seus anos escolares, nem de seus aniversários compensados com presentes, não sabe quem a ensinou andar de bicicleta, ou quando aprendeu a ler…; enfim, continuou refletindo, e pensou sobre como andava o seu filho e a sua esposa.

Tomado pelas divagações do passado que afetavam o seu presente, começou a interrogar a si mesmo: “O que perdera da essência da vida? Qual a recompensa por ter colocado o trabalho duro e incessante na frente da vida familiar?” Eles não são objetos inanimados, são pessoas que possuem necessidades físicas, emocionais e espirituais, porém, vivem de migalhas pelo ego de um pai que só pensa na vida material! Porventura o corpo, a alimentação e as vestimentas valem mais do que a vida?

Neste artigo, somos levados a uma reflexão sobre workaholic, que é uma gíria em inglês empregada para designar o vício em trabalho, uma compulsão praticada seja por preocupação com o futuro (Mateus 6.25) ou por ambição (Romanos 12.2). É chamado de vício em termos psicológicos, por condicionar a mente a algo, ou seja, ao trabalho; não é o prazer naquilo que está executando, mas sim, em estar fazendo algo produtivo. O portador desse vício trabalha pensando estar fazendo o melhor para a família, dedica todo o tempo disponível para o trabalho, a mente não descansa à noite, nos feriados e nem em finais de semana, a pessoa sempre acha que precisa produzir; o medo em fracassar ou falhar em seus objetivos faz com que o cérebro fique integralmente “trabalhando pelo trabalho”, mesmo que não goste do que esteja fazendo, o que importa é o resultado do que se faz!

A mulher com esse comportamento, geralmente é muito organizada, tem mania de limpeza e possui regras para o convívio familiar e fora dele porque ambos (homens e mulheres) são perfeccionistas e sempre acham que fazem melhor que os outros! O workaholic possui intensa disposição; aproveita o tempo o máximo que puder, faz horas extras e sempre aumenta expediente; trabalha em qualquer hora e em qualquer lugar e sempre se sai bem naquilo que faz. Ao contrário do preguiçoso que sempre cansa, ele nunca descansa!

Os perigos para esse vício são cruciais para o futuro em virtude da finitude e efemeridade da vida. No geral, os workaholic são estressados e impacientes somando pontos negativos para o desenvolvimento de desequilíbrios mentais no futuro (busque a paz); não cuidam da saúde, pois os hábitos alimentares e do ciclo do sono são afetados pela falta de tempo; ignoram os momentos com a família; desprezam o lazer, pois o julga sem importância ou quando o fazem levam trabalho junto; o cônjuge vive sempre frustrado e os filhos vivem ou debaixo de regras rígidas desprovidos de carinho ou a mercê de suas próprias escolhas e concepções de vida.

Um cristão com esse tipo de comportamento descentraliza Deus dos seus objetivos, não leva em consideração o “viver para Cristo” e nunca segue as orientações do Espírito Santo, que é reprimido pelos argumentos: “quem paga minhas contas sou eu, se eu não trabalhar, quem vai sustentar minha família?” ou “estou pensando no futuro de vocês!” O problema não está em trabalhar, é fazer do trabalho a prioridade da vida! Essa é uma porta aberta para o Inimigo derrotar a fé cristã, ele sabe que mantendo um cristão sobrecarregado com outras ocupações ele passará o dia, a semana e até o mês sem tempo para a comunhão com Deus, para a leitura da Bíblia e a prática cristã, este negligencia a própria vida espiritual em detrimento do trabalho.

Se não formos fiéis no pouco dificilmente seremos na abundância! Sabemos que estamos nesta terra a serviço do reino de Deus, porém, há pessoas com o pensamento errôneo de Marta (Lucas 10.41,42), cristãos workaholics, pastores, cantores, mestres e pregadores que não ouvem a voz do mestre porque se empenham tanto em desenvolver um trabalho para o Reino de Deus que negligenciam seus deveres e obrigações familiares “Em nome de Deus”, se esquecem que a família faz parte do Reino, são co-herdeiros da graça e prioridade no cumprimento da Lei do amor! O preço pago no futuro é muito caro e Deus não é o culpado pela insensatez de servos descuidados que infringiram a sua Lei!

Toda ação de uma pessoa cristã precisa ser executada com decência e ordem, tudo coerentemente equilibrado, as coisas Dele em primeiro lugar sabendo que as demais serão acrescentadas: “Que vantagem tem o trabalhador naquilo em que trabalha? Tenho visto o trabalho que Deus deu aos filhos dos homens, para com ele os afligir. Tudo fez formoso em seu tempo; …Já tenho conhecido que não há coisa melhor para eles do que se alegrarem e fazerem bem na sua vida; e também que todo homem coma e beba e goze do bem de todo o seu trabalho. Isso é um dom de Deus.” Esse vício suga a saúde física, mental e espiritual do cristão, favorecendo enfermidades diversas a curto ou longo prazo, sem benefício ou lucro para uma vida tão efêmera e passageira como a do ser humano nessa terra. “Portanto, vede prudentemente como andais, não como néscios, mas como sábios, remindo o tempo, porquanto os dias são maus. Pelo que não sejais insensatos, mas entendei qual seja a vontade do Senhor” (Efésios 5.15-17).

Referências Bibliográficas

PATI, Camila. Seis sinais de que você é um workaholic. <https://exame.abril.com.br/carreira/6-sinais-de-que-voce-e-um-workaholic> Acesso em: 11 de março de 2018
UNIVERSIA PORTUGAL. 10 sinais de que você é workaholic. Disponível em: <http://noticias.universia.pt/destaque/noticia/2012/06/18/941468/10-sinais-voce-e-workaholic.html> Acesso em: 5 de julho de 2017

Por, Vânia Nunes Pires.

One Response to Os perigos do vício no trabalho

  1. Luiz Henrique Santos de Lima disse:

    Parabéns por suas materias

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Google Translate »