O valor de um missionário

Investindo no Reino de Deus para o resgate e salvação de vidas

O valor de um missionárioA obra missionária é reconhecidamente aceita por todos os salvos como a suprema tarefa da Igreja aqui na Terra. Esta, de forma ampla, tem compreendido os princípios bíblicos que geram motivação a obra missionária. Todos aqueles que tiveram o privilégio de ter um encontro pessoal com Deus, creram, porque alguém lhes apresentou o Evangelho da salvação e o Espírito Santo o convenceu do pecado da justiça e do juízo; o processo de ouvir aconteceu porque alguém se dispôs a pregar as Boas Novas de salvação; o mensageiro que levou a Palavra também só o fez porque alguém o enviou.

A missão da Igreja deve ser a missão de Jesus. A tarefa foi delegada ao Corpo Místico de Cristo para esse objetivo, Deus através do Espírito Santo, dotou a Igreja de poderes sobrenaturais tornando-a poderosa, eficiente e vitoriosa através dos séculos, entretanto, o Adversário tem tentado imobilizá-la tornando-a acomodada e indiferente ao clamor do mundo. O movimento salvífico, que parte do coração e vontade do Pai Celestial, está revelado nas Escrituras Sagradas, onde Ele deseja que todos se salvem através do conhecimento de Jesus Cristo, Seu Filho amado, sendo extensivo a todos os povos e etnias da Terra. Isto não é só um fato histórico, é bíblico e irreversível porque é divino (Mateus 16.18).

Quando em Seu encontro com os discípulos após Sua ressurreição, Jesus deu-lhes instruções sobre a Grande Comissão. Observe que o foco do Salvador Jesus era, de fato, a Grande Comissão. Os Evangelhos registram:

1 – Em Mateus 28.18-20 Jesus explicita como será Sua participação com Seus discípulos presentes e futuros. Toda autoridade – pode (a soberania do Rei dos reis); fazei discípulos (o propósito do Rei dos reis); ir, batizar e ensinar (o preceito do Rei dos reis); estou convosco (a presença do Rei dos reis).

2 – Em Marcos 16.14-20, determina veementemente sobre a missão da Sua querida Igreja. É como se Ele dissesse: “Vos capacito para ir a todas as etnias, línguas e povos, aos necessitados; asseguro minha presença convosco”.

3 – Em Lucas 24.13-35 fica claro o valor que o missionário tem. O evangelista lança luz sobre dois discípulos que regressavam para sua aldeia, que praticamente tinham desistido da Seara, porém o Mestre amorosamente foi em busca deles, os exortou, levantou sua auto-estima e os animou a serem anunciadores de Boas Novas; mostrou-lhes o valor do investimento em suas vidas.

Jesus disse aos Seus discípulos: “Assim como o Pai me enviou, também envio a vós” (João 20.19-23); Ele nos envia para curar Beduínos da Argélia e do Egito, onde Seu nome ainda não é conhecido; envia-nos a libertar do budismo os povos esquecidos das terras frias do Tibet e Cordilheira do Himalaia; aos Badjaos das Filipinas, os chamados ciganos do mar, presos por animismo e oprimidos pelo Adversário e que vivem em situação subumana; aos malaios das ilhas Filipinas; aos Tuaregues do norte da África; aos Mouros da Mauritânia; aos Fulanis, maior tribo nômade do mundo, habitantes da África Ocidental; aos Zulus da África do Sul.

Considero Atos dos Apóstolos o livro modelo de envio de missionários e implantação de igrejas. Nele é registrado o texto áureo da obra da Grande Comissão, e o evangelista registra o assim afirmativa de Jesus Cristo: “Mas recebereis virtude do Espírito Santo, que há de vir sobre vós; e ser-me-eis testemunhas tanto em Jerusalém como em toda a Judéia e Samaria e até aos confins da terra” (Atos 1.8).

Os envolvidos com Missões sabem que os países mais difíceis de proclamar o Evangelho são: Coréia do Norte, Arábia Saudita e Irã; as regiões Sudeste da Ásia, Norte da África, Oriente Médio e Ásia Central.

O valor do missionário não é calculado em termos de investimento financeiro e sim no valor que cada alma representa para o Reino de Deus. O apóstolo Pedro afirma o seguinte: “Sabendo que não foi com coisas corruptíveis, como prata ou ouro que fostes resgatados da vossa vã maneira de viver que, por tradição, recebestes de vossos pais, mas com o precioso sangue de Cristo, como de um cordeiro imaculado e incontaminado” (1 Pedro 1.18, 19). Como vemos o valor é imensurável.

Ao ser chamado para levar a Palavra de Deus a outros povos, o missionário se lança ao campo não questionando a respeito de sua vida profissional e financeira, deixando para trás familiares, amigos, irmãos e em alguns casos sua pátria.

Ao partir o missionário deposita inteiramente sua confiança no Senhor que o chamou em relação a sua saúde física e espiritual, provisão e prosperidade ministerial. Lá ele precisará de todo apoio da igreja e cuidado pastoral, pois enfrentará lutas diárias e guerra espiritual, tendo a certeza que o Senhor dos Exércitos o conduzirá em triunfo por Cristo Jesus (1 Pedro 5.7; 2 Coríntios 2.14).

Vinte anos atrás não se ouvia falar de igrejas nos antigos países da ex-União Soviética, hoje o cenário é bem diferente. Na Europa Oriental, por exemplo, uma igreja localizada num determinado país passou de recebedora para enviadora de missionários.  Este é um dos países mais pobres da região. Seu pastor nos relatou o que Deus está fazendo. Seus 45 missionários estão nos países mais fechados ao Evangelho: Afeganistão, Cazaquistão, Kosovo, Sudão, China, Norte da África, Etiópia, Namíbia, Macedônia, Bulgária, Albânia, Turquia e Moçambique. Mas para que isso acontecesse um missionário foi enviado ao país e dedicou-se inteiramente ao ministério nos campos brancos daquela nação. Em Bangladesh país com 85% de muçulmanos e o restante da população hindu, a igreja dessa nação constrói três igrejas a cada semana. Realiza um Congresso de Missões a cada seis meses, mesmo estando num contexto muçulmano e hindu. Isso só se tornou possível por que alguém foi enviado, comprovando o valor de um missionário!

Há países em que pastores e missionários correm risco de morte a todo instante e alguns já estão na lista dos radicais para serem mortos na primeira oportunidade; eles não valorizam sua segurança física (Atos 20.24). Sabem do valor que representa para o Reino de Deus sua presença no país ou etnia, cujo alvo é tirar o povo das trevas para a luz, proclamar liberdade espiritual, desenvolver maior integração na comunidade e na família. Esse fato por si confirma o valor de um missionário.

A Assembleia de Deus na Nigéria é a maior enviadora de missionários do continente africano. Qual estratégia? No primeiro domingo de cada mês todas as igrejas ministram sobre Missões, todas as ofertas deste dia são destinadas exclusivamente a Missões. Eles descobriram o valor de um missionário!

A World Aseemblies of God Fellowship – WAGF (Confraternidade Mundial das Assembleias de Deus), conta com 65 milhões de membros, considerando os 83 países que integram esta fraternidade. A meta é implantar 150 mil novas igrejas até o ano de 2020, e alcançar 100 milhões de membros. Só com a ajuda irrestrita do Espírito Santo, obediência total da igreja do Senhor (Romanos 10.14, 15) e reconhecimento do valor de um missionário é possível atingir o alvo (Lucas 10.2).

A Igreja do Senhor tem a tríplice missão de ir: com os pés dos que vão; com as mãos dos que contribuem e com os joelhos dos que intercedem. Até aos Confins da Terra!

Por, Anisio do Nascimento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Google Translate »