O profeta Isaías passou três anos sem roupas?

O texto de Isaías 20 é literal ou figurativo? Como entendê-lo?

O profeta Isaías passou três anos sem roupasO pano de fundo do capítulo 20 de Isaías é o Egito e a Etiópia, nações creditadas por Israel e historicamente dominadas pelos assírios, cujos cativos foram saqueados, brutalmente humilhados e tangidos de suas pátrias, cumprindo-se a predição do profeta: “Assim como meu servo Isaías andou três anos nu e descalço, por sinal e prodígio sobre o Egito e sobre a Etiópia, assim o rei da Assíria levará em cativeiro os presos do Egito e os exilados da Etiópia, tanto moços como velhos, nus, e descalços, e com as nádegas descobertas, para vergo0nha do Egito” (Isaías 20.3, 4).

Subjugar nações vencidas, desponjando-as de suas riquezas, além de impor tributos e comportamentos degradantes aos sobreviventes, era prática comum dos impérios dominantes, conforme o capítulo 5 de Lamentações de Jeremias, e os assírios não se furtavam dessas atitudes.

O versículo anterior do texto em questão esclarece possíveis dúvidas ou curiosidades sobre Isaías ter passado três anos despido: “Vai, solta o silício [material feito de pelos de animais, usado nos trajes de profetas] de teus ombros e descalça os sapatos dos seus pés. Assim o fez, indo nu e descalço” (Isaías 20.2b). Na tradução da Bíblia Judaica, se lê: “Vá e desamarre o pano de saco da cintura e tire as sandálias dos pés. Então ele o fez, passando a andar sem roupas e descalço”. Historicamente, os sacerdotes, os reis e os profetas usavam trajes especiais que os identificavam nos seus ofícios (vide Êxodo 28.32; 1 Reis 22.10 e 2 Reis 1.7,8).

Por oportuno, o uso de adicionais no vestuário, distinguindo um personagem, é um modal convencionado nas respectivas culturas, desde épocas remotas, a exemplo dos parâmetros, das togas e de outros ornamentos  hodiernos, cujo uso pode significar gosto, evento ou autoridade do protagonista. Compreende-se, portanto, que Isaías abdicou da veste de profeta, durante três anos, usando trajes sumários, prenunciando com esse gesto ou sinal de calamidade que assolaria as nações acima referidas.

Os originais “arôm” (hebraico do VT) e “gynnos” (grego do NT) estão traduzidos para o português como nu total ou parcial, dai ser necessário compreender suas eventuais citações, como exemplo: a nudez de Adão e Eva e Jó referindo-se ao seu nascimento eram nus totais (Gênesis 2.25; 3.2; Jó 1.22); mas Josias, quando “rasgou as suas vestes”, despiu-se só do traje real (2 Reis 22.11); e Pedro, quando lançou-se ao mar “porque estava nu”, usava roupa sumária (João 21.7); um anônimo “fugiu nu” quando Jesus foi preso, ou seja, com pouca roupa (Marcos 14.52); duas vezes despiram Jesus, exceto suas partes íntimas (Mateus 27.28 e João 19.23). Considerados os aspectos acima referidos, concluímos que Isaías passou os três anos usando apenas roupas íntimas, desprovido das vestes características de um profeta, fato imitado por Miquéias: “Por isso, lamentarei, e uivarei, e andarei despojado e nu…” (Miquéias 1.8a), ressalvadas as razões de cada um.

Por, Kemuel Sotero Pinheiro.

One Response to O profeta Isaías passou três anos sem roupas?

  1. Luiz disse:

    Achei muito interessante e esclarecedora a explicação. Pois realmente sem um esclarecimento mais abarcante e profundo seria difícil de aceitar e entender e explicar ao cer que Deus agiria de tal forma ainda que sendo uma questão de guerra onde tudo podia ser feito e os vitoriosos extravasavam seus ódios em nome da força e Vitória.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Google Translate »