O mundo de Maria e o mundo de Marta

O mundo de Maria e o mundo de MartaNo Evangelho de Lucas, no capítulo 10, versículos 38 a 42, relata um fato interessante ocorrido no ministério de Jesus: “E aconteceu que, indo eles de caminho, entrou Jesus numa aldeia; e certa mulher, por nome Marta, o recebeu em sua casa; e tinha esta uma irmã chamada Maria, a qual, assentando-se também aos pés de Jesus, ouvia a sua palavra. Marta, porém, andava distraída em muitos serviços; e, aproximando-se, disse: Senhor, não se te dá de que minha irmã me deixe servir só? Dize-lhe que me ajude. E respondendo Jesus, disse-lhe: Marta, Marta, estás ansiosa e afadigada com muitas coisas, mas uma só é necessária; e Maria escolheu a boa parte, a qual não lhe será tirada”.

Betânia era um povoado que ficava a cerca de três quilômetros da cidade de Jerusalém, e nela residia uma família muita amiga do Senhor Jesus: os irmãos Marta, Maria e Lázaro (aquele que Jesus ressuscitou – João 11.1-45).

Ao entrar na aldeia de Betânia, o Mestre foi recebido primeiramente por Marta, e esta, preocupada com os afazeres domésticos, se descuidou, dando sua atenção mais às coisas supérfluas desta vida do que Àquele que ela mesma havia recebido em sua casa: Jesus. Ao contrário dela, sua irmã Maria não perdeu tempo, reconhecendo que aos pés de Jesus era o melhor lugar e a melhor ocupação para atender às necessidades da alma. Ela ouvia atentamente os ensinamentos do Mestre.

Talvez Marta tivesse uma boa intenção, porém não estava dando a primazia para o Reino de Deus. O próprio Mestre falou: “Estás ansiosa e afadigada com muitas coisas, mas uma só é necessária”.

Estamos vivendo em um mundo cheio de preocupações e ansiedades. É o mundo das “Martas”. Marta representa a humanidade que vive ansiosa e preocupada somente com as coisas efêmeras desta vida e esquece-se de buscar as coisas que jamais serão tiradas. O Senhor Jesus, em Mateus 6.25, disse: “Por isso vos digo: Não andeis cuidadosos quanto à vossa vida, pelo que haveis de comer ou pelo que haveis de beber; nem quanto ao vosso corpo, pelo que haveis de vestir. Não é a vida mais do que o mantimento, e o corpo mais do que o vestuário?”. E no mesmo capítulo, versículo 33, afirma: “Mas, buscai primeiro o reino de Deus, e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas”.

Será perda de tempo – e, em alguns casos, até de uma eternidade com Deus – priorizarmos os negócios desta vida colocando Jesus no final da lista ou excluindo-o dela. Não adianta querermos administrar nossa vida sem a presença do Mestre. E nesse cenário, a ansiedade tem sido uma das grandes causas.

No dicionário secular, a ansiedade é apresentada como sinônimo de angústia, aflição e desejo ardente; já nos dicionários teológicos, além de inquietação e preocupação, a ansiedade é um estado que induz o ser humano a projetar no futuro perigos irreais, nascidos, via de regra, das interrogações do dia a dia. Ela leva o homem a querer diminuir o tempo de Deus e a fazer com que as coisas aconteçam do seu jeito e não segundo a vontade do Criador, levando a pessoa até mesmo a desacreditar em Deus.

Prevendo problemas que afetam à saúde, problemas estes gerados pela a ansiedade, Jesus advertiu para que não andássemos ansiosos por coisa alguma. A ansiedade, segundo a medicina, pode levar ao estresse, e este à depressão e daí em diante desencadear inúmeros outros problemas, dentre eles o cardíaco (problemas no coração).

Diante do “Mundo de Marta”, Jesus nos ensina como viver “O mundo de Maria”. O segredo está no último versículo (v.42): “E Maria escolheu a boa parte, a qual não lhe será tirada”. A boa parte é escolher, mesmo diante das nossas obrigações como pais, servos, empregados etc., priorizar e servir ao Senhor, colocando-O acima de tudo, conforme escrito em Mateus 22.37: “E Jesus disse-lhe: Amarás o Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu pensamento”; abandonando o pecado que nos afasta de Deus, como diz o profeta Isaías no capítulo 59, versículo 2: “Mas as vossas iniquidades fazem separação entre vós e o vosso Deus; e os vossos pecados encobrem o seu rosto de vós, para que não vos ouça”; e vivendo uma vida inteiramente para Ele, pois essa escolha jamais será tirada; ou seja, no mundo, tudo passa, mas o que faz a vontade de Deus permanece para sempre. 1 Pedro 1.24-25 afirma: “Porque toda a carne é como a erva, E toda a glória do homem como a flor da erva. Secou-se a erva, e caiu a sua flor; mas a palavra do Senhor permanece para sempre. E esta é a palavra que entre vós foi evangelizada”. Maria estava ouvindo a Palavra de Deus, que permanece para sempre.

A vida de hoje não é tão diferente da vida de Maria e Marta. Na nossa época agitada e corrida, podemos nos aproximar do Senhor, pois, com ternura, Ele nos convida para escolhermos “a melhor parte”. Deixe seus problemas, angústias e ansiedades nas mãos de Deus, pois Ele cuida de você!

Escolher a melhor parte é colocar Jesus em primeiro plano, conforme Colossenses 1.17-18, que diz: “E ele é antes de todas as coisas, e todas as coisas subsistem por ele. E ele é a cabeça do corpo, da igreja; é o princípio e o primogênito dentre os mortos, para em todas as cousas ter a primazia”.

O Espírito Santo, através do rei Davi, em Salmos 37.35, diz: “Confia no SENHOR e faze o bem; habitarás na terra, e verdadeiramente serás alimentado. Deleita-te também no SENHOR, e te concederá os desejos do teu coração. Entrega o teu caminho ao SENHOR; confia nele, e ele o fará”. E o apóstolo Pedro afirma: “Humilhai-vos, pois, debaixo da potente mão de Deus, para que a seu tempo vos exalte; lançando sobre ele toda a vossa ansiedade, porque ele tem cuidado de vós” (1 Pedro 5.6-7). Amém!

Por, Deuramar Ribeiro Leite.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Google Translate »