O cristão e a obediência às autoridades

O texto de Atos 5.29, que diz que “mais importa obedecer a Deus que aos homens”, fere o princípio cristão de obediência às autoridades constituídas?

O cristão e a obediência às autoridadesTudo transcorria muito bem naquele culto. A igreja atenta ouvia minha exposição bíblica a respeito da origem da liderança. Era uma Escola Bíblica aberta ao público. Percebi a avidez do povo pelo assunto e estava contente ao deparar-me com essa situação; afinal, infelizmente, o retrato hodierno da igreja para com o estudo bíblico é entediante. E é bom ensinar para quem, de fato, quer aprender. Abri espaço para as perguntas. Havia chegado o tempo para sanar as dúvidas que por via das vezes poderiam ter surgido. No último banco da igreja, uma mão levantada. Direcionei-me à pessoa e ouvi atentamente à sua pergunta. Basicamente era uma tentativa de justificar a não submissão à liderança. Inclusive, para basear sua posição, citou o texto de Atos 5.29, que origina a pergunta que dá tema a este artigo: “Porém, respondendo Pedro e os apóstolos, disseram: Mais importa obedecer a Deus do que aos homens”. Após esse episódio, percebi o quanto estamos bons para justificar as nossas faltas, até citando textos da Bíblia para suavizar os nossos erros. Não estou dizendo com isso, porém, que essa seja a mesma intenção do irmão que fez esta pergunta ao MP.

Mas, afinal, seria esse texto um pretexto para desobedecermos às autoridades constituídas por Deus (Romanos 13.1)? Naquele dia, expus para o irmão e à igreja o que de fato significava o aludido texto. Quero convidar você para meditarmos no que de fato essa perícope significa à luz do seu contexto. Antes de tudo, quero ressaltar que há uma crise de liderança. O desrespeito a qualquer autoridade constituída é alarmante em nossos dias, não só no mundo, mas também em igrejas. Muitos crentes criaram a mentalidade de que é preciso “obedecer somente a Deus e não aos homens”. Daí os gemidos de muitos lideres.

Porém, ao estudarmos o referido texto, perceberemos que não era o objetivo do apóstolo Pedro e muito menos dos demais passar uma ideia de insubmissão e desobediência às autoridades. Isso fica claro quando lemos os textos dos próprios apóstolos concernentes ao assunto (1 Pedro 5.5). O que então Pedro e os demais apóstolos estavam dizendo? Quando lemos o contexto da passagem, vemos que, após testificarem publicamente sobre Jesus Cristo e por este nome fazerem muitos sinais e prodígios, levantou-se contra eles uma grande perseguição ao ponto de o sinédrio ordenar sua prisão. Ao serem novamente encontrados testemunhando no templo, foram apresentados diante do conselho dos religiosos da época, que os açoitaram e os advertiram a não mais falarem do Senhor Jesus. Foi neste contexto de perseguição e proibição que Pedro e os demais apóstolos disseram que “importava mais obedecer a Deus do que aos homens”. Observemos então que o texto não é base para nenhuma desobediência ou insubmissão à liderança. O texto em tela mostra que a lei de Deus está acima da lei dos homens e se, porventura, a lei dos homens chocar-se frontalmente com a lei de Deus, nós, enquanto servos de Jesus, priorizaremos o obedecer à lei de Deus.

Portanto, definitivamente, esta perícope não nos dá o direito de desobedecermos aos nossos pastores e líderes de uma forma geral. A desobediência do cristão só é aceitável em uma única hipótese: quando a lei dos homens fere as ordenanças daquilo que Deus disse.

Jesus ordenou: “Ide por todo mundo e pregai o evangelho a toda criatura” (Marcos 16.15). Esta é a ordem de Deus. A ordem dos homens aos apóstolos era: “Não vos admoestamos nós expressamente que não ensinásseis nesse nome?” (Atos 5.28). Ora, a lei dos homens impedia os apóstolos de cumprirem a lei de Deus, então, mediante isso, era necessário desobedecê-los para priorizar a lei de Deus.

O que de fato precisamos é aprender a parar de justificar as nossas faltas, pois é impossível obedecer a Deus, que não vejo, se não obedeço ao líder, que vejo. O que nos falta é obedecer aos nossos líderes. Se assim o fizermos, então não teremos dificuldades em obedecer a Deus.

Por, Weder F. Moreira.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Google Translate »