O chamado de Deus na vida de Jeremias

O chamado de Deus na vida de JeremiasO título de “homem enviado de Deus” (João 1.6) é o mais honroso que alguns podem receber, porque ele aponta para a escolha soberana de Deus e para a verdade de que esse alguém possui a responsabilidade de representá-Lo, cooperando assim na execução de Seu plano redentor. Temos muitos outros exemplos na Bíblia de homens e mulheres que com um chamado específico, puderam estar envolvidos na grande história de Deus, e que no poder deste Deus realizaram grandes obras e proezas.

Nesta oportunidade, abordarei o tema da chamada ministerial a partir da vida e do momento em que o profeta Jeremias recebeu seu chamado, faremos isso com base no seguinte texto bíblico: “Ora, veio a mim a Palavra do Senhor, dizendo: Antes que eu te formasse no ventre te conheci, e antes que saísses da madre te santifiquei; à nações te dei por profeta” (Jeremias 1.4, 5).

Assim como João Batista, o profeta Jeremias foi um “enviado de Deus”, isso fica claro com as palavras do próprio Deus, ao afirmar que estava entregando Jeremias às nações como profeta, palavras que lhe serviriam de grande segurança durante a execução de seu ofício profético. Observando a vida e o ministério de Jeremias, podemos perceber a importância, não somente dessa parte do texto, mas toda a declaração de Deus a ele.

As palavras ditas a Jeremias são de grande importância, principalmente pela fonte da mesma, ou seja, a grande relevância dessas palavras se dá pelo fato de que foi o Deus Todo-Poderoso quem as falou. Nessas palavras, além de falar sobre a chamada de Jeremias e seu futuro, o Senhor lembrou o profeta de Seu poder e soberania, ensinado-lhe grandes lições que lhe serviriam de diretrizes por toda a vida.

A experiência vivida por Jeremias e as palavras por ele ouvidas, sem dúvida, podem servir de lição e também de orientação àqueles que possuem uma chamada específica da parte de Deus. Portanto, vejamos algumas dessas lições:

Na declaração “te formei”, Deus estava afirmando a Jeremias que a fonte e a origem de sua vida era Ele e não seus pais, conforme alguém poderia pensar, e por isso poderia fazer dela o que desejasse, podendo assim, dizer: “às nações te dei”, o que dá também a conotação de presenteá-lo a alguém e isso porque a vida do profeta era propriedade do Senhor. Nesse caso, é importante que se destaque o papel dos pais de Jeremias, de acordo com a afirmação divina a ele, pois os mesmos foram instrumentos usados por Deus para materializarem aquilo que já existia nos planos eternos de Deus.

Além disso, essa declaração e esse entendimento encerram a ideia de que, a vida de Jeremias não se tratava de um acidente ou obra do acaso, antes, sua vida possuía um propósito definido e pré-estabelecido por Deus. Com isso percebemos que Jeremias não tinha outra alternativa a não ser cumprir a missão de sua vida, mesmo porque Deus não lhe deu essa possibilidade, e isso fica claro em Suas próprias palavras: “Mas o Senhor me respondeu: Não digas: Eu sou menino; porque a todos a quem eu te enviar, irás; e tudo quanto te mandar dirás” (Jeremias 1.7).

Outra grande lição que podemos extrair das palavras ditas a Jeremias, no momento da sua vida ministerial, é a partir da expressão “antes”, utilizada pelo Senhor por duas vezes nesse texto, fazendo referência à formação e nascimento de Jeremias. Com essa informação, verdades estavam sendo apresentadas ao recém chamado profeta, a fim de orientá-lo, quanto ao poder de quem o chamava, podendo assim estar seguro durante sua trajetória como profeta.

Ao afirmar por duas vezes a mesma palavra “antes”, Deus estava afirmando que se tratava de uma verdade absoluta e indestrutível, ou seja, repetir a mesma palavra foi uma forma de confirmar e fundamentar o que estava sendo dito. Sendo assim, Jeremias poderia ter a certeza de pelo menos três grandes verdades: que Deus o havia formado, que sua vida pertencia àquele que o chamava e que sua existência se tratava de um projeto divino e não humano.

A expressão “antes” pode nos ensinar ainda que, desde o início – no momento da formação no ventre e no dia do nascimento – Deus esteve presente na vida de Jeremias, ou seja, o Senhor estava afirmando que sempre esteve e ainda estava presente na história do profeta. Que verdade gloriosa! Deus está sempre presente em todos os momentos da vida e história dos Seus escolhidos.

Algo maravilhoso a ser destacado aqui é a presença da misericórdia de Deus, pois Ele afirma conhecer o ser humano Jeremias, e isso implica, é claro, em conhecer suas qualidades e defeitos, pontos fortes e fracos, e mesmo sabendo de tudo, o Senhor ainda o chama de profeta, isso é ainda mais acentuado ao observarmos a expressão “te santifiquei”, o que dá-nos a entender ser declarado já pronto para ser o que deveria ser. Como explicar isso, já que o próprio Jeremias se julgava despreparado para tamanha tarefa?

O nosso Deus está acima do tempo, isso significa dizer que, para Ele não existe a separação entre passado, presente e futuro. Sendo assim, mesmo conhecendo as limitações de Jeremias e sabendo que ele não estava pronto para a execução do ministério profético, Deus ao dizer “te santifiquei”, estava apontando para o momento em que ele estaria pronto, e também no aspecto de tê-lo separado para aquele serviço.

De todos os profetas, Jeremias é o que mais demonstra sua natureza humana, principalmente ao enfrentar as dificuldades inerentes a um ministério profético. Porém, todas essas palavras serviram de sustento ao ministério e à vida de Jeremias, haja vista que atravessou situações extremamente adversas, e que somente a convicção de uma chamada poderia mantê-lo em pé e cumprindo seu ministério.

Atentemos para o texto sagrado, contendo as palavras de Jeremias: “Se eu disser: Não farei menção dele, e não falarei mais o seu nome, então há no meu coração um como fogo ardente, encerrado nos meus ossos, e estou fatigado de contê-lo e não posso mais” (Jeremias 20.9).

Em resultado às muitas adversidades, Jeremias literalmente desejou abandonar seu ministério, demonstrando assim sua humanidade, unindo-se aos milhares de homens e mulheres que cooperam com o Senhor em Sua Seara e que também enfrentam seus dramas. No entanto, o profeta aprendeu e expôs nesse texto a grande verdade de que lhe seria impossível abandonar sua chamada, apresentando a causa: “há no meu coração um como fogo ardente, encerrado nos meus ossos…”.

O fogo ardia no coração e também nos ossos do profeta, e bem sabemos que ambos compõem a essência humana, sendo um a estrutura física e o o outro a base dos sentimentos. Sendo assim, mesmo que ele desejasse abandonar sua chamada – como o fez –, lhe seria impossível, porque a razão de sua vida era seu ministério.

Querido(a) Leitor(a), assim como as palavras do Senhor a Jeremias, serviram para ele como inspiração a prosseguir, mesmo quando tudo o levava a desistir, permita que o Espírito de Deus, que também te chamou, lhe anime com essas mesmas Palavras, pois sua vida é um plano de Deus e foi Ele quem te formou. Deus em Cristo, pelo Seu Espírito Santo, conserve aceso o fogo que arde pelo desejo em cumprir sua chamada.

Por, Elias Torralbo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Google Translate »