Jesus foi pregado nas mãos ou nos punhos?

Ouvi dizer que as mãos não aguentariam o peso. Isso contradiz o texto bíblico ou não?

Jesus foi pregado nas mãos ou nos punhosO relato dos Evangelhos não descreve com precisão o local dos cravos nas mãos ou nos punhos de Jesus. Isso acontece porque o termo usado para “mão”, yad, no Antigo Testamento hebraico e cheir, grego, que na Septuaginta e no Novo Testamento tem significado amplo, além de “mão” e “braço” (Êxodo 4.2; Jeremias 38.12; João 20.25).

Primeiro é necessário identificar a forma da cruz em que o Senhor Jesus foi crucificado. O termo grego stauros, usado no Novo Testamento para “cruz” pode ser uma viga transversal apenas ou uma estaca, ou ainda os dois juntos, levando em conta data, local e governo. Nos dias de Cristo existiam três tipos de cruz, a saber: cruz de Santo André, do formato de um “X”; cruz comisa, ou de Santo Antônio, da forma de um “T”, e a cruz immissa, a mais familiar no simbolismo cristão.

O livro De Cruce Libri Tres, escrito em latim por Justo Lipsio, publicado em Antuérpia, em 1629, apresenta cerca de 15 ilustrações para mostrar as várias formas de crucificação na antiguidade. Plauto, teatrólogo romano (254-184 a.C.), foi quem mais escreveu sobre a cruz e a crucificação em Roma. Em sua peça, Miles Gloriosus, “O Soldado Fanfarrão”, descreve o processo de crucificação aplicado pelos romanos. Ele faz menção a duas peças de madeira, o stipes, tronco, estaca vertical, fincada no solo e o patibulum, a viga transversal: “a ti, que hás de morrer fora da porta, de mão estendida, depois de trazeres o patibulum” (359, 360).

Essa descrição de Plauto é confirmada, mais tarde, pelo apologista Justino, o Mártir (100-165 d.C.). Ele compara a cruz com o cordeiro assado na instituição da páscoa, Êxodo 12 (Diálogo com Trifão 40.3), com a posição de Moisés de braços estendidos, na guerra contra os amalequitas, Êxodo 17 (90.4) e, finalmente, descreve a forma da cruz de Cristo: “Com efeito, uma haste da cruz se ergue verticalmente e dela surge a parte superior, quando se ajustou a haste transversal” (91.1).

Um pesquisador francês, Rohault de Fleury, ajudou a esclarecer muita coisa sobre a cruz em que Jesus foi crucificado. Ele fez viagens e consultas em obras antigas, descrições e iconografias, o resultado de sua pesquisa foi publicado em Paris, em 1870. Segundo ele, a madeira da cruz era uma espécie de pinheiro oriental e consistia numa haste vertical e outra transversal. Sua altura era de 4,80m e a viga transversal de 2,30m e as duas partes juntas pesavam cerca de 100 quilos (Mémoire sur les Instruments de la Passion de N.-S. J.-C., p. 73). É considerado o estudo mais completo sobre o assunto.

A estaca, como querem as Testemunhas de Jeová, está completamente descartada. Resta saber como os cravos nas mãos podem suportar o peso do corpo. Há diversas explicações na obra de Justo Lipso. Mas, uma tese recente apresentada por um pesquisador de Israel é que os braços do Senhor Jesus teriam sido colocados por trás da viga transversal. Nesse caso, o peso estaria apoiado nos seus braços e não necessariamente nos punhos ou na palma das mãos. É uma possibilidade, mas não é possível saber como exatamente como tudo isso aconteceu, contudo, nenhum cristão deve questionar o fato de que se trata de algo perfeitamente exequível.

Por, Esequias Soares.

10 Responses to Jesus foi pregado nas mãos ou nos punhos?

    • Antonio Timbó Farias disse:

      EU ACREDITO QUE JESUS FOI CRUCIFICADO CONFORME DIZ A BÍBLIA EM JO.20:25-27; EM UMA CRUZ, COM CRAVOS NAS MÃOS, A ESPREMEÇÃO DE JESUS PATA TOMÉ FOI: POM O DEDO NAS MINHAS MÃO, E NÃO NOS MEUS PULSOS. SERÁ QUE JESUS NÃO SABIA O QUE ERA MÃO, E CONFUNDIU PULSOS COM MÃOS? CUIDADO COM O QUE ESTÁ ESCRITO NO APOCALIPSE 22:18-20;

  1. Gostei muinto desse assunto e importante reconhece que no evangelho falar das mão furadas mas as pesquisa são muito importante para debater e comparar eu creio na bíblia se Abiblia diz tá dito agora aminha opinião e que eles amarraram os pulso com cordas e colocaram pregos nas mãos

  2. Gil disse:

    Gostei, mas ainda achei vago. Pq não conhecemos as fontes e nem os autores. Mas, de fato o que realmente aconteceu de verdade se tornou um mistério.

    • Everton disse:

      Eu, ouvi uma vez uma pregaçao, que nao abordava exatamente esse assunto, mais me esclareceu, do meu ponto de vista. Que a maioria pensava que Barrabás ia ser crucificado, entao a cruz foi.feita nas medidas para o mesmo, e ele era um homem grande, e quando foi dada a sentença, nao havia mais tempo de fabricar outra para Jesus, entao eles esticarao seus braços ate one deu, e amarraram seus pulsos e perfuraram suas maos, ja que seus pulsos nao alcaçaram os furos ja feitos na cruz. Foi isso que eu entendi,Q Deus tenha piedade de mim se escrevi algo que nao seja verdade, mais diante disso, vejo q Cristo sofreu muito mais do que qualquer outro ja crucificado la na cruz.

  3. luiz Paulo De Bithencourt disse:

    muito interessante, este artigo, mas o que nãqo podemos é ficar disputando entre religiões o fato da crucificação, como sendo mérito de alguma religião, tendo em vista que muitas se preocupam muito com isso, e acabam confundindo seus fiéis. Devemos tratar com seriedade e não com considerações sem uma profunda pesquiza, para justificar diferenças entre uma igreja e outra, e muitas cruxificarem a igreja católica por estar errada ou manipulando a fé das pessoas. Respeito é algo muito importante, e principalmente colocar Deus em prtimeiro lugar.

    u

  4. Osiel Ribeiro. disse:

    Um dia, saberei toda essa história, com opulência de minuciosos detalhes, pela fonte mais segura possível. Depois disso, sim, eu me atrevo a dá a minha inquestionável opinião, tendo em futura vista, recebido-a, do próprio protagonista.

    “Não devemos nos preocupar com o que não sabemos à respeito dEle, e sim, com o que sabemos, e não fazemos por Ele e para Ele.”

  5. Joseir disse:

    É bom termos essas curiosidade, porque nos faz pesquisar, mais a forma como Jesus foi pregado na cruz e o que menos importa, o que importa é crermos que ele nasceu, morreu, é ressuscitou é está vivo para se o aceitarmos tenhamos direito a salvação.

  6. Valdécio Galeão disse:

    Concordo com o fato de que, para nossa fé, esse certame é irrelevante e serve apenas para atender nossa curiosidade. Gosto desse tipo de discussão orque nos remete às pesquisas, mas o que importa é que o Filho de Deus morreu em nosso lugar. Aleluias!!

  7. Pedro disse:

    Não vejo o porquê desse “A estaca, como querem as Testemunhas de Jeová, está completamente descartada.” Elas não querem nada, apenas usam como argumento o que referiu no inicio deste artigo “O termo grego stauros, usado no Novo Testamento para “cruz” pode ser uma viga transversal apenas ou uma estaca, ou ainda os dois juntos, levando em conta data, local e governo.” mas não afirmam tal coisa, apenas especulam, porque na realidade ninguém sabe com exatidam como jesus morreu.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Google Translate »