Jarro menciona Isbosete e seu pai Saul

Isbosete, cunhado de Davi, reinou em Israel por 2 anos após morte de Saul

Jarro menciona Isbosete e seu pai SaulFragmentos de um vaso de argila, encontrados durante escavações realizadas em Khirbet Qeiyafa em 2012, e trazendo inscrições muito antigas despertaram a atenção dos estudiosos pelo conteúdo da mensagem do recipiente. Em junho, os arqueólogos israelenses confirmaram duas informações: a vasilha de argila tem cerca de 3 mil anos e a inscrição traz o nome de “Eshbaal Ben Shaul” em letras antigas.

A região onde o artefato foi encontrado fica próxima a cidade israelense de Beit Shemesh, local onde aconteceu o combate entre Davi e Golias. Pesquisadores do Instituto de Arqueologia da Universidade Hebraica de Jerusalém e da Autoridade de Antiguidades de Israel se dedicaram ao estudo do objeto e disseram que o achado pode comprovar a existência do rei Saul, uma vez que o objeto pertenceu a um de seus filhos. “Trata-se da primeira vez que aparece o nome Eshbaal em uma inscrição antiga no país. Eshbaal Ben Shaul (“Isbosete, filho de Saul”), que governou Israel na mesma época que Davi, é citado pela Bíblia.

“É interessante destacar que o nome Eshbaal aparece na Bíblia, e agora também em um documento arqueológico. Este nome só foi usado durante a era do rei Davi. O nome Beda é único e não aparece em inscrições antigas ou na tradição bíblica”, afirmou Yosef Garfinkel pesquisador da Universidade Hebraica.

Para os estudiosos, a descoberta é importante por se tratar da primeira inscrição encontrada que remonta o século 10 a.C. no antigo Reino da Judeia. “Isto muda totalmente nosso entendimento da expansão da escritura no período do reino e agora fica claro que estava muito mais estendida do que pensávamos”, comentam os arqueólogos.

Quem era Eshbaal Ben Beda ou Esbaal Ben Shaul? Na língua hebraica, a palavra ben significa “filho” e era utilizada com o propósito de identificar a família da pessoa. Agora, o Ministério dos Negócios Estrangeiros de Israel explica que o Eshbaal citado no jarro era proprietário de uma grande extensão agrícola cujos produtos eram transportados em frascos com seu nome escrito. Além do jarro, outras relíquias foram encontradas: uma fortificação, duas portas, um palácio, armazéns, quartos e salas de culto que integravam parte de um assentamento do final do século 11 e princípio do século 10 a.C.

A Bíblia Sagrada revela em 1 Crônicas 8.33 que “Ner gerou a Quis, e Quis gerou a Saul; e Saul gerou a Jônatas, a Malquisua, a Abinadabe, e a Esbaal”. Este nome é encontrado na Bíblia apenas no livro de Crônicas, mas o filho de Saul também é chamado de Isbosete ao longo de sua trajetória na condução do reino de Israel após a morte de seu pai (2 Samuel 2.8). O nome original traz conexões com o nome de Baal, divindade fenícia.

Mas qual foi o destino do Esbaal (Isbosete) bíblico? As Sagradas Escrituras revelam que ele herdou o reino de Israel e governou por dois anos nos quais as forças leais à Davi (seu cunhado), que foi coroado rei da tribo de Judá, e seu exército mediram forças em campo aberto.

O rei acabou sendo assassinado enquanto dormia em seus aposentos. Os dois soldados que o mataram foram até Davi com a sua cabeça decapitada, na esperança de serem recompensados, mas foram considerados traidores e mortos por ordem do próprio rei de Judá.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Google Translate »