Espírito mau “da parte de Deus”?

Como entender a expressão bíblica “espírito mau da parte do SENHOR”, conforme vemos registrado em 1 Samuel 16.14?

Espírito mau “da parte de Deus”A controvérsia deste texto está em torno da expressão “espírito mau da parte do Senhor”, conforme a questão formulada. Do ponto de vista do texto hebraico, a expressão trata de um espírito mau vindo de Deus ou enviado por Deus. Na concepção dos israelitas sobre a soberania de Deus, entendia-se que tanto o mal quanto o bem vem do Senhor. Eles consideravam que qualquer bem ou mal que os acometia era oriundo de Deus.

O fato de se dizer que esse espírito vinha do Senhor pode ser entendido como juízo ou castigo de Deus sobre Saul por conta da sua desobediência, considerando que na perspectiva israelita toda realidade estava sob controle divino. O controle divino sobre tudo também está presente no livro de Jó, onde vemos que o próprio Satanás está plenamente sujeito à vontade de Deus. Isso reafirma o fato de que não há dualismo entre Deus e o Diabo, como alguns crentes acreditam, se deixando levar pelo medo. Deus é soberano e não está em disputa com o mal.

Também devemos atentar para o efeito psicológico da rejeição na vida de Saul. Afinal de contas, ele havia sido o primeiro rei da monarquia israelita. A rejeição por Samuel também deve ter afetado diretamente o seu estado de espírito, minando tanto sua posição quanto sua paz, pois o texto em algumas versões diz que “da parte […] do Senhor […] um espírito maligno o atormentava”. Considerando que em algumas versões lê-se “veio da parte do Senhor um espírito deprimente”, podemos considerar que Saul foi tão abalado com a rejeição que um espírito de desânimo, de depressão aguda, se apossou dele. Saul estava à mercê de seu próprio temperamento incontrolável, seu estado mental de ansiedade. Sua mente desordenada o lançou em sombria depressão, fazendo com que ele agisse de forma violenta.

Em parte, isso justifica o fato da música ou o instrumento musical que Davi tocava ter sido usado para acalmar Saul todas as vezes que esse espírito se apossava dele, pois sabemos do profundo efeito psicológico da música no estado de espírito do ser humano. A Bíblia afirma que “toda a boa dádiva e todo dom perfeito vem do alto, descendo do Pai das luzes, em quem não há mudança nem sombra de variação” (Tiago 1.17). A partir desse texto atentamos para a graciosidade da natureza divina. Deus é essencialmente bom, a bondade pura o descreve. DEle provem apenas coisas de ordem da bondade, do belo, do agradável, da perfeita vontade, mesmo que sejam coisas ruins, pois elas, quando enviadas por Deus, têm caráter pedagógico.

Então, tudo nos leva a crer que o “espírito mau” da parte do Senhor que atormentava Saul, era um espírito de juízo, de punição por sua desobediência e não pode ser visto necessariamente como uma possessão demoníaca, mas como um estado de ânimo incontrolável, impossível de ser domado pelo próprio Saul, necessitando da intervenção divina por meio de Davi. Seguindo esse pensamento, o termo hebraico ruach também poderia ser traduzido como estados de humor. Talvez uma tradução mais adequada poderia ser: “E a alegria do Senhor deixou de estar com Saul. E ele era tomado por medo, uma depressão vinda da parte de Deus.”

Por, Claiton Ivan Pommerening.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Google Translate »