Erros de tradução na Bíblia

Ouvindo um professor de Escola Dominical, ele afirmou que existem erros de tradução na Bíblia. Afinal de contas, existe isso mesmo, erro de tradução na Bíblia Sagrada?

Erros de tradução na BíbliaAntes de responder sobre a existência de erros na Bíblia, é preciso entender o significado de tradução. Em termos comuns, traduzir uma palavra significa interpretá-la e substituí-la por outra que mantenha a mensagem. Por exemplo, “solteiro” pode ser trocado por “não casado”. O objetivo da tradução é transmitir o significado da mensagem original de maneira clara na língua a que se traduz. Pela natureza da atividade de tradução, em que a pessoa interpreta e reapresenta um texto, e pela riqueza das estruturas das línguas, existe mais de uma maneira de se expressar a mensagem do texto, o que pede uma classificação mais abrangente do que a dicotomia “acerto-erro”.

Existem princípios que fundamentam a tradução. Um deles é o literal, ou seja, traduzir palavra por palavra. Nesse caso, o texto fica pouco compreensível porque são palavras soltas, dispostas na sequência da oração na língua original que, muitas vezes, difere da estrutura da língua a que se traduz. Além disso, esse tipo de tradução pode distorcer o significado original se não for adaptado adequadamente à “gramática” da língua. Daí existe outro princípio que foca no significado da mensagem e não nas palavras; a finalidade é garantir a reprodução da ideia do texto dentro da estrutura da língua a que se traduz, porque cada uma se organiza de acordo com suas regras.

No caso das Escrituras Sagradas, o objetivo é apresentar a Palavra de Deus de modo que as pessoas entendam a mensagem de salvação com clareza. A Bíblia tem uma natureza de ser traduzível, o que facilita que seu texto possa alcançar diferentes povos. A primeira tradução é a Septuaginta (c. 280 a.C.), que trouxe para o grego o texto da Bíblia Hebraica, que é para nós o Antigo Testamento. Os textos cristãos, o que chamamos hoje de Novo Testamento, também logo cedo foram traduzidos do grego para o latim, depois siríaco. A transmissão dos textos bíblicos ao longo do tempo pode ser acompanhada nos milhares de manuscritos existentes, o que também reafirma a credibilidade das Escrituras. E é impressionante observar a fidelidade dos copistas e tradutores nesse processo para preservar o texto.

Embora nenhuma tradução seja perfeita, é possível rever com frequência a qualidade das versões bíblicas. As línguas são dinâmicas, o vocabulário e o uso das palavras variam ao longo do tempo, por isso, é necessário que de tempos em tempos haja revisão a fim de assegurar a compreensão da mensagem e manter a linguagem atualizada. Não está claro o que o professor de Escola Dominical quis dizer com “erro de tradução na Bíblia”, isso soa um pouco vago. O importante, no entanto, é perceber que a mensagem das Escrituras Sagradas é a mesma em qualquer que seja a versão e vem sendo anunciada há milhares de anos, o desafio é apresentá-la de maneira clara aos leitores.

Por, Daniele Soares.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Google Translate »