Diz o Senhor: “Aquietai-vos”

Diz o Senhor - “Aquietai-vos”Ao lermos o salmo 46.10, vemos o Senhor nos chamando à quietude, mesmo diante das grandes tormentas da vida: “Aquietai-vos e sabei que eu sou Deus”. O poeta romântico brasileiro, Castro Alves, diz em seu livro “Espumas Flutuantes”, que “Deus fala, quando a turba está quieta”. A essência desse fragmento corrobora com o tema deste artigo que irei desenvolver. O que na verdade depreendemos das palavras do poeta, é que há momentos em que Deus precisa de nosso silêncio e nossa atenção para que Sua voz faça-se ouvir dentre a multidão ou particularmente. O silêncio abre espaço para se raciocinar e dar ouvidos a voz do Criador.

Ressalto que não tratarei criticamente acerca dos famosos “movimentos” do nosso século, embora esse texto possa se referir aos mesmos indiretamente, no entanto, essa não é a nossa real intenção.

Naturalmente, estamos muito propensos a falar e falar. Queremos expor nossas ideias, nossos pensamentos e nosso ponto de vista acerca de muitas coisas. Fazemos isso diariamente também em nossas orações. Já pensou no fato de alguém lhe convidar para conversar e simplesmente não deixar você em nenhum momento fazer qualquer espécie de comentário? Pois é, na oração estabelecemos um diálogo com Deus, no entanto, nem sempre O deixamos falar conosco.

Uma voz mansa e delicada

Quando nos pré-disponibilizamos para ouvir Deus falar, geralmente pensamos que Ele virá de uma maneira extraordinária, causando um verdadeiro estrondo e um barulho ensurdecedor. Eliminamos qualquer fato de o Senhor vir de mansinho, com Sua voz suave e calma. Na verdade, como pentecostais que somos, ligamos aos movimentos quaisquer manifestações de Deus em relação ao Seu povo, no entanto, não é só desta maneira que Ele se reporta aos Seus.

A Bíblia faz menção do caso de Elias, quando ameaçado por Jezabel foi parar em uma caverna. Elias estava se escondendo e foi chamado à atenção pelo próprio Deus (1 Reis 19.9). Deus, então, ordenou a Elias que saísse da caverna e se colocasse diante dEle (1 Reis 19.11). Neste mesmo momento, a Bíblia diz que o Senhor passava como também um grande e forte vento, que quebrava as penhas e fendia os montes, porém, Deus não estava no vento. Depois do vento, sobreveio um terremoto, mas também, o Senhor não estava no terremoto. Veio também o fogo – os sensacionalistas com o uso da palavra fogo, diriam: “agora sim! Deus estava no fogo” –, mas Deus não se manifestou por meio dele. Quem sabe Elias, assim como nós, também esperasse uma manifestação de Deus em um desses elementos, contudo, veio logo após uma voz mansa e delicada (1 Reis 19.12).

O Senhor age e fala na calmaria e no silêncio também. Ouvi-lO é arte para os que desejam desfrutar de Sua presença. Quando nos colocamos a Sua inteira disposição e nos calamos, Ele fala.

Quem não gosta de trabalhar sem que haja interrupções? É evidente que a produção é bem melhor e com maiores resultados quando não há pressões. Nosso Deus trabalha quando encontra o ambiente favorável para isso. Não são poucos os exemplos bíblicos que nos revelam Seu agir na vida dos homens, quando esses abrem espaço para a manifestação sobrenatural do Criador ao seu favor. Como homens, estamos acostumados a fazer de acordo com as nossas possibilidades, e quando não vemos mais saída nos desesperamos. Foi isso que aconteceu com os hebreus quando se viram diante do Mar Vermelho e nenhuma embarcação para conduzi-los até a outra margem, o povo então murmurou e questionaram intensamente o líder Moisés. Entretanto, Moisés estava consciente de que eles precisavam dar lugar para a operação de Deus, então disse: “Não temais; estai quietos, e vede o livramento do Senhor, que hoje vos fará; porque aos egípcios, que hoje vistes, nunca mais os tornareis a ver” (Êxodo 14.13). Estar quieto é condição indispensável à manifestação do agir de Deus em nossas vidas.

Quem confia nEle acredita irremediavelmente que nada pode ir contra a Sua vontade e que mesmo em meio as mais terríveis adversidades, Ele não desampara os que confiam em Seu poder.

Deleitar-se – Já sentiu prazer em algum sofrimento pelo qual passou? É complicado pensar pelo menos em sorrir quando tudo está difícil ao seu redor, isso parece até estranho aos que vêem. No entanto, você já percebeu que o povo de Deus é o único que faz festa em meio à guerra? Quem entra em nossos templos em cultos festivos, jamais imagina que tem pessoas ali passando por algum tipo de dificuldade financeira, no lar, na empresa ou enfrentando alguma enfermidade. Porém, em meio a tudo isso, o povo se alegra na presença do Senhor, isso é deleite, é sentir prazer mesmo em meio às lutas. Não é sentir prazer na luta, mas em estar protegido nos braços dAquele que pode nos ajudar.

Entregar – Só entrega quem confia. Nenhum de nós tem a coragem de entregar nas mãos de qualquer pessoa algo muito valioso. Há, mais uma vez, uma relação de confiança nas palavras do salmista nesse texto. Entregar o teu caminho ao Senhor é muito mais do que simplesmente lhe pedir ajuda, é depositar aos pés dEle toda a sua confiança e deixar que a partir daquele momento Ele tome as decisões e as direções para sua vida.

Descansar – Em nosso tempo, descansar é uma necessidade gritante do corpo humano. Quem está envolto de muitas atividades e acostumado a correria da vida nas cidades sabe muito bem do que eu estou falando. Na verdade, nossa necessidade de descanso vai muito além do corpo, em certas ocasiões nossa mente é que precisa descansar. Descansar no Senhor é certeza de que sua alma estará segura mesmo em meio aos mais turbulentos vendavais. É, também, repousar das suas lutas diárias e deixar que o Senhor peleje por você.

Esperar – Ninguém gosta de esperar. Isso é um fato incontestável. Quão difícil é suportar a longa espera nas mais diversas filas que sempre estão nos aguardando para resolver qualquer tipo de problema. No entanto, esperar em Deus nunca é danoso. É de fato, a única espera que quanto mais o tempo passa mais forte você fica. O profeta Isaias, falando acerca da espera em Deus disse: “Mas os que esperam no Senhor renovarão as forças, subirão com asas como águias; correrão, e não se cansarão; caminharão, e não se fatigarão” (Isaías 40.31). Esperar em Deus é a certeza de que seremos renovados continuamente e que ao seu tempo desfrutaremos da sua maravilhosa graça e do seu agir.

Por, Edeilson Santos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Google Translate »