Deus quis matar o filho de Moisés?

“O texto de Êxodo 4.24 dá a entender que Deus quis matar o filho de Moisés. Por que Deus pretendeu matá-lo?”

Deus quis matar o filho de MoisésO texto em foco constitui-se um dos mais intrigantes do Antigo Testamento e, por decorrência, suscita de sua apreciação algumas inevitáveis inquirições. O contexto imediato de êxodo 4.24 nos mostra que Moisés toma a sua esposa e filhos e os faz montar sobre um jumento e empreende uma viagem rumo ao Egito (Êxodo 4.20). Como de costume, entre os antigos viajantes, Moisés e sua família pernoitam em um local estabelecido para esse fim, junto às fontes de água. Nessa hospedaria, registra-se a ocorrência de um conjunto de ações divinas e humanas dignas de compreensão.

Esse relato bíblico abriga em seu conteúdo algumas relevantes dificuldades textuais, a partir das quais surgem alguns questionamentos fundamentais para a compreensão desse perícope. A seguir, me atenho a duas dessas interrogações: 1) A quem alude o pronome “o”? 2) Aos pés de quem lança Zípora?

Primeiro, o pronome “o” se refere a Moisés ou ao filho? Entendo que a alusão seja o filho, então surge a pergunta: “A referência é a Gérson (Êxodo 2.22) ou a Eliézer (18.4)? Em resposta a essas questões, entendo que, apesar do contexto da morte dos primogênitos parecer produzir uma ligação com a ideia do filho de Zípora, a alusão é mesmo a Moisés. Embora o texto hebraico deixe oculta a identidade da pessoa, a Almeida Revista e Atualizada, com propriedade, visto as causas da ação de Deus, substitui o pronome “o” por “Moisés”.

E aos pés de quem lança Zípora?

O texto hebraico omite a identificação de a quem Zípora se dirige, de modo que a referência possa ser ao filho, a Moisés ou mesmo ao agressor. Pelo fato da circuncisão ter sido realizada no filho, bem como pela expressão em apreço se tratar de um eufemismo para os órgãos genitais, penso que Zípora tenha se dirigido a Moisés. Assim sendo, entende-se que a mulher de Moisés tomou sua faca de sílex (Josué 5.2-3), pedra comum no deserto, e circuncidou o menino e com essa pele tocou em seu marido. Há quem julgue que Moisés foi alvo dessa ação de Zípora por ele não ter sido circuncidado, mas, particularmente, julgo essa hipótese improvável pela razão da circunstância ser um rito de prática comum tanto no Egito como no lar israelita onde ele fora instituído.

Então, a pergunta certa é: Por que Deus quis matar Moisés?

Por que o Deus que acabara de chamar Moisés e expressar-lhe a garantia de vida no Egito (Êxodo 4.19) agora o deseja matar? Fica-nos evidente que Moisés sofre um golpe divino, possivelmente tenha sido acometido de uma gravíssima doença, por não ter circuncidado seu filho. Compreendo que o filho aqui circuncidado seja Eliézer, haja vista que Gérson já era um homem formado nessa época, pois havia nascido a quase quarenta anos, de acordo com Êxodo 2.22.

A circuncisão para além de ato higiênico e de prática comum no médio-oriente antigo, em Israel tratava-se de um sinal de aliança estabelecida entre Deus e Abraão (Gênesis 17.12-14). No caso de Moisés, o mais importante não era propriamente a natureza do ato, mas, sim, o significado dele, pois agora, em um papel de mediador da aliança, ele precisa antes cumpri-la. Deus almejava com essa ocorrência conduzir Moisés à plena obediência e à dedicação absoluta, a fim de fazê-lo compreender a superior intenção divina com a circuncisão (Deuteronômio 30.6), algo plenamente corroborado pelos ensinos neo-testamentários (Romanos 2.29).

Por, Jesiel Paulino.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Google Translate »