Deus, pessoas e coisas: o que temos colocado como prioridade?

Deus, pessoas e coisas - o que temos colocado como prioridadeTodos os dias tomamos decisões, fazemos escolhas. A vida é um reflexo das decisões que tomamos, e por esta razão devemos ter cuidado para tomarmos decisões acertadas e escolher as coisas certas. Na busca das primeiras coisas, devemos estabelecer as prioridades corretas. No mundo, há Deus, as pessoas e as coisas. Devemos adorar a Deus, amar as pessoas e usar as coisas.

Devemos amar a Deus sobre todas as coisas. Ele deve ocupar o primeiro lugar em nossa vida, agenda e sonhos (Marcos 6.33). Ainda quanto à questão das prioridades, devemos buscar primeiro as pessoas em vez das coisas. O mundo presente inverte, valorizando mais o ter do que o ser. As pessoas valem o quanto têm, mas a verdade é que não podemos sacrificar nossos relacionamentos por causa das coisas. As pessoas valem mais do que as coisas. O trabalho é uma coisa boa, ganhar dinheiro para o sustento da família é uma necessidade básica, mas não devemos sacrificar nosso relacionamento com a família, nem desprezar o cônjuge e os filhos por causa das coisas. A ordem é esta: primeiro as pessoas; depois, as coisas. Vejamos outras ordens de prioridade.

Primeiro o cônjuge, depois os filhos – Os filhos são herança de Deus, mas não devem ocupar o lugar do cônjuge. O maior bem e a maior lição dada aos filhos é ver a vida feliz dos pais; assim, eles se sentem seguros e protegidos. A desagregação do casal é um desastre na vida emocional dos filhos. Um grande número dos meninos de rua é produto de casais separados

Os filhos antes dos amigos – Os pais precisam investir no tempo, cuidado, amizade, carinho e educação dos filhos. Nossos filhos devem ser educados não só com palavras e repreensão, mas com exemplo de vida, amor, respeito e fidelidade. Eles precisam de muito mais do que presentes: necessitam da presença dos pais, física, moral, educacional e espiritualmente. Sejamos amigos dos nossos filhos. Eles precisam confiar que os seus maiores amigos são os seus pais.

O cônjuge primeiro que nós mesmos – Disse certo filósofo que o amor não é ego centralizado, mas outro centralizado. Casamos não apenas para ser felizes, mas para fazer o nosso cônjuge feliz. O outro vem antes do eu. Renunciar o eu é investir na felicidade do cônjuge.

Por fim, revisito o que disse no início do texto: precisamos entender que acima das pessoas e das coisas está Deus, e é a Ele que devemos dar prioridade máxima em nossa vida.

Por, José Wellington Bezerra da Costa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Google Translate »