Depósito de bebês abortados nos EUA

Depósito de bebês abortados nos EUAAgentes federais norte-americanos descobriram em um armazém na cidade de Detroit, no estado de Michigan, nos Estados Unidos, quatro corpos de bebês abortados. Os cadáveres foram encontrados durante uma incursão realizada pela polícia no ano de 2013 cujos detalhes foram revelados somente agora pelas autoridades. O local onde foram encontradas as crianças mortas pertencia ao empresário Arthur Rathburn. Segundo os especialistas que examinaram os corpos, os bebês pareciam ter sido abortados no segundo trimestre de gestação, e estavam submersos em um líquido que incluía tecido cerebral humano.

O empresário é acusado de vender partes do corpo humano. Perante as autoridades, ele se declarou inocente, mas como Rathburn adquiriu os bebês abortados e o que pretendia fazer com os corpos não ficou esclarecido por ele. Por sua vez, os advogados do empresário também evitaram comentar o assunto, bem como a acusação e os outros documentos que mencionam os bebês abortados encontrados.

Diante da revelação do caso, a deputada republicana norte-americana Marsha Blackburn (foto) afirmou que “isso precisa ser revisado”. Ela presidiu recentemente um comitê especial da Câmara dos Representantes dos Estados Unidos sobre o uso de tecido de bebês abortados. A deputada, inclusive, teve acesso a algumas fotografias tiradas por funcionários do governo que atuaram na incursão policial.

Em uma das fotos exibida em coletiva pela deputada, um investigador utiliza um fórceps para retirar um dos corpos de um líquido acastanhado e outra foto revela um bebê ao lado de um marcador que inclui um número de identificação de evidência do governo.

“As ações retratadas nessas fotos são um insulto à dignidade humana”, indignou-se o deputado norte-americano Bob Goodlatte, que também preside o Comitê Judiciário da Câmara. Goodlatte também é republicano e acrescentou que aqueles que “violarem as leis federais e praticarem o tráfico de partes de corpos de crianças abortadas devem ser responsabilizados”.

No território dos Estados Unidos, é regulamentada por lei a compra e venda de cadáveres e outras partes do corpo humano, exceto os órgãos utilizados em transplantes, porém o comércio de tecidos e órgãos de bebês abortados viola as leis do país.

Os vendedores de bebês abortados recebem os corpos que são vendidos ou mesmo doados para pesquisas científicas, e os desmembram para vendê-los no mercado negro. Tal situação mostra até que ponto a humanidade se degenerou moral e espiritualmente. Além do absurdo de assassinar bebês no ventre, ainda há quem tenha a disposição maligna de fazer dinheiro vendendo partes dos corpos dessas vítimas inocentes, vítimas de tamanha brutalidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Google Translate »