Convite aos cansados e oprimidos

Convite aos cansados e oprimidosVocê aceitaria um convite? Nos dias de hoje andando pelas ruas de grandes cidades, ou mesmo ao ler nossos e-mails, recebemos vários convites. Muitos querem nossa atenção e prometem um presente ou uma boa oportunidade. Hoje há outra voz chamando, convidando. É Jesus! Você aceita sua proposta: “Vinde a mim, todos vós que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei” (Mateus 11.28)?

Um convite para todos. Em um mundo que valoriza excessivamente os bens materiais, em algumas situações pessoas são selecionadas por sua renda, propriedades, saldo bancário, além de outros critérios. Ainda que da mesma espécie, em meio aos homens há severas separações e grupos que não se dão uns com outros, infelizmente. Para muitos, o sentido da palavra “todos” aplica-se tão somente aos que lhe são iguais em condições financeiras, ideológicas etc. Jesus, porém, ao vir ao mundo de forma humilde o fez para alcançar todos, sim, no sentido pleno da palavra: todos os seres humanos, de todos os lugares da terra, de todas as etnias, com ou sem instrução acadêmica, abastados ou à beira da miséria.

Jesus, em um diálogo com um religioso chamado Nicodemos disse: “Porque Deus enviou o seu Filho ao mundo não para que condenasse o mundo, mas para que o mundo fosse salvo por ele” (João 3.17).

Jesus chama a todos, Jesus chama você. Mas, qual Seu convite?

Um convite para os cansados. Em regra não se vê um homem levando um fardo pelas costas, literalmente, pelas ruas de nossas cidades. No entanto, quantos não estão insatisfeitos com a própria vida, quantos não estão esgotados por carregar um peso emocionalmente insuportável? O escritor americano Max Lucado em seu livro “Aliviando a Bagagem” fala de alguns fardos que o homem carrega: da autoconfiança, do descontentamento, do cansaço, da preocupação, do desespero, da culpa, da arrogância, da aflição, do medo, da solidão, da vergonha, do desapontamento, da inveja, da dúvida e da saudade. Você leva nos ombros algum destes? Não quer deixar esse peso?

O convite de Jesus foi inicialmente dirigido aos seus contemporâneos que historicamente eram religiosos. Sim, os judeus em sua maioria eram zelosos na tentativa de observar a Lei de Moisés. Contudo, como os oficiais da religião é que ditavam quais ações eram boas e quais não, acabaram fazendo da religião um fardo sobre o povo, uma carga pesada com inúmeras sentenças de “pode” e “não pode”. Um povo religiosamente aflito precisa do alívio oferecido por Jesus. O brasileiro não é assim? Há muita “fé em Deus”, mas milhares cansados e distantes de um contato real com Cristo.

Jesus chama os cansados e sobrecarregados, Jesus chama você.

Um convite para os oprimidos. Mesmo podendo contar com muitos avanços científicos que nos trazem benefícios, mais acesso à tecnologia, mais interação com outros por meios eletrônicos vivemos em uma sociedade com inúmeras pessoas oprimidas. Junto com os avanços o presente século também trouxe muitos males, dentre eles a tentativa de estabelecer um padrão de beleza, de condição financeira e social dentro dos quais todos deveriam se encaixar. Ocorre que a busca incessante para satisfazer padrões humanos tem levantado um exército de oprimidos, de solitários, de homens sem vigor, abatidos, prostrados. Para estes também há um convite gracioso de Jesus. Ele não diz enquadre-se neste ou naquele padrão, mas Ele chama: venha! Posso e quero aliviar-te!

A alma do homem clama por alívio e por descanso, nada disto, porém, pode ser encontrado nas passageiras propostas humanas de lazer e felicidade superficial.

Jesus chama aos oprimidos, Jesus chama você.

Um benefício imediato. Àqueles que vêm a Jesus há uma promessa insuperável: “eu vos aliviarei”. Pense na figura de um homem carregando sobre os ombros um peso maior do que o próprio corpo, algo insuportável de forma que suas pernas vacilam, seus lombos doem horrivelmente, não há qualquer perspectiva de encerrar a caminhada, pois não sabe ao certo seu destino; na caminhada tem lampejos de alento, mas nunca alívio certo.

Em todo o tempo o convite de Jesus é o mesmo a todos que desejam deixar o fardo e clamam por alívio. Neste caso, agora cabe ao homem mover-se em Sua direção: “Tomai sobre vós o meu jugo, e aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração, e encontrareis descanso para a vossa alma” (Mateus 11.29). Tomar o jugo de Jesus significa aceitá-lo como Salvador, significa decidir ser seu discípulo, implica em deixar aos pés da cruz toda carga trocando-a pelo favor gracioso do Salvador. Cristo já proporcionou a você descanso à sombra da cruz, para isto vá até ele, mova-se, corra, ore agora e derrame perante Ele a tua alma e todo fardo.

Não espere mais, atenda ao convite de Jesus.

Por, João Paulo da Silva Mendes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Google Translate »