Consertando as redes

Consertando as redesO texto de Mateus 4.21 fala sobre dois pescadores que consertavam suas redes; costurando, reparando, tapando os furos que as comprometiam, pois poderiam invalidar horas de pescaria. O objetivo do conserto era evitar a evasão dos peixes que as redes haveriam de recolher. Hoje, devemos pensar um pouquinho em nossas redes, nas redes com que estamos trabalhando.

Muitas frustrações seriam evitadas se parássemos um pouco nossas atividades febris e intensas para fazermos uma avaliação do que estamos fazendo em prol da Obra de Deus, e do que estamos realizando como obreiros da Sua seara. Parece que muitos de nós estamos pescando com redes rasgadas, furadas, esfarrapadas, sem condições alguma de manuseio.

Nosso ativismo é quase mórbido, fazemos tudo apressadamente, vivemos preocupados com um desejo cego de conseguir as coisas com facilidade e cansados de tudo. Estamos fazendo parte de uma geração angustiada e estafada. Não paramos para revermos nossos conceitos e atitudes. Quase tudo que realizamos tem interesses próprios e resultados financeiros. Muitos de nós já perdemos a alegria da vida cristã, não temos mais a convicção e nem a certeza de nossa salvação.

Como seria bom se aproveitássemos os momentos de aprendizagem que temos para consertar nossas redes, pois são grandes os desafios que nos esperam nestes novos tempos de transformações que estão ocorrendo em todo o mundo. Devemos nos preparar, isto é, consertar nossas redes, verificar como está nossa vida diária diante de Deus.

Alguns tipos de redes que precisam ser consertadas

A rede dos votos assumidos com Deus. “Quando a Deus fizeres algum voto, não tardes em cumpri-lo; porque não se agrada de tolos. Cumpre o voto que fazes. Melhor é que não votes do que votes e não cumpras” (Eclesiastes 5.4,5).

O voto é uma forma de promessa solene diante de Deus, que deve ser cumprido. O crente ao participar da Ceia do Senhor está também fazendo um voto de viver em santidade e dedicação a Deus. Buscar os prazeres do pecado depois de fazer tal voto a Deus atrai para si ira e juízo, pois significa que aquele voto era realmente mentiroso. Mentir a Deus pode ter como resultado um castigo severo (Vide Ananias e Safira – Atos 5.1-11).

A rede da oração, isto é, uma vida de comunhão com Deus. “Orai sem cessar” (1 Tessalonicenses 5.17). Isso significa permanecer na presença do Pai pedindo continuamente Sua graça e benção, isto é, a comunhão com Ele, pois orar significa conversar com o Criador.

A rede da meditação diária com Deus. “Bem-aventurado o homem que não anda no conselho dos ímpios, não se detém no caminho dos pecadores, nem se assenta na roda dos escarnecedores. Antes, o seu prazer está na lei do SENHOR, e na sua lei medita de dia e de noite” (Salmos 1.1,2)

Os santos de Deus não somente evitam o mal, como também edificam a sua vida em torno da Palavra do Senhor. Sabemos que ao orarmos conversamos com Ele e quando lemos Sua Palavra é Ele que fala conosco, pois aqueles que procuram viver na benção de Deus meditam na Sua Lei, isto é, na Sua Palavra, a fim de moldarem seus pensamentos e ações.

A rede da paixão pelas almas. “Deus amou ao mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo o que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna” (João 3.16). Perdemos a paixão (sensibilidade) de mostrar ao ser humano as dádivas outorgadas por Deus de nascer de novo, de ser liberto do poder do pecado e de Satanás; e que o homem pode ser afastado daquilo que é puramente terreno para conhecer a Deus, o Eterno.

A rede do altar doméstico que se encontra em ruínas. “Elias disse ao povo: Chegai-vos a mim. E todo o povo se chegou a ele; Elias restaurou o altar do SENHOR, que estava em ruínas” (1 Reis 18.30). O altar do Senhor havia sido destruído pelos adoradores de Baal. E o nosso está destruído por quê? Por falta de amor, compreensão, união? Quando estamos reunidos podemos afirmar que também estamos unidos em nossos lares, com nossa família ou o altar está em ruínas?

A rede das boas obras. “Porque, assim como o corpo sem espírito é morto, assim também a fé sem obras é morta” (Tiago 2.26). A fé verdadeira sempre se manifesta em obediência para com Deus e atos compassivos para com os necessitados. O único tipo de fé que salva é “a fé que opera por caridade” (Gálatas 5.6).

A rede da fidelidade. Atributo do que é fiel, do que demonstra zelo, respeito quase venerável por alguém. “A minha fidelidade e a minha bondade o hão de acompanhar, e em meu nome crescerá o seu poder” (Salmos 89.24). A fidelidade é a observância da fé jurada ou devida. A constância nos compromissos assumidos com outrem. O compromisso que pressupõe dedicação amorosa à pessoa com quem se estabeleceu um vínculo afetivo de alguma natureza – a esposa, os filhos, isto é, à família. Como também é a característica de um sentimento que não esmorece com o decorrer do tempo, mas permanece, embora as dificuldades.

Nos dias em que vivemos precisamos consertar tantas “redes” em nossa vida as quais estão defeituosas, às vezes até sem uso. Precisamos rever tantas coisas que consideramos não serem mais importantes.

Que Deus possa nos ajudar a consertar nossas redes.

Por, Paulo Ludwig Batista.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Google Translate »