Conhecereis a Verdade e ela vos libertará

Conhecereis a Verdade e ela vos libertaráConceito de liberdade: “Designada, de uma maneira positiva, liberdade é a autonomia e espontaneidade de um ser racional. Isto é, ela qualifica e constitui a condição dos comportamentos humanos voluntários. Liberdade, em filosofia, pode ser compreendida positivamente, como a autonomia, e a espontaneidade de um ser racional; elemento qualificador e constituidor da condição dos comportamentos humanos voluntários.”

Conceitos bíblicos:

Na criação, o Criador (Deus), mantinha com o homem uma liberdade nunca mais experimentada após a queda. Concedeu ao homem, na criação, plena liberdade de vivência, inclusive a de dar nomes a cada um dos animais criados.

O relacionamento entre o Criador e o homem era constante e com total liberdade. Havia comunicação diária entre Criador e criatura, que durou enquanto o homem não ultrapassou a linha de liberdade traçada por Deus. Ultrapassada a linha marcadora, isto é, “comer do fruto da árvore da ciência do bem e do mal”, a liberdade ficou comprometida. O relacionamento passou a ter restrição estabelecida mais pelo homem (pecado) que pelo próprio Criador. Foi o homem quem se escondeu (afastou-se) do Criador e passou a ter vergonha, em virtude de sua condição pecaminosa.

Esta condição do relacionamento, a liberdade de o homem relacionar-se com o Criador, como Pai, foi devolvida pelo sacrifício de nosso Senhor Jesus Cristo, efetuado na cruz do Calvário. Decorrente desse sacrifício o véu que tirava a liberdade dos homens entrarem no Lugar Santo para comunicar-se com Deus foi rasgado (Marcos 15.38). Por Cristo Jesus, os verdadeiros adoradores têm plena liberdade de comunicar-se com o Pai, com o seu Criador. Ele está interessado em dar aos homens, novamente, aquela primeira liberdade, a qual se pode alcançar através do conhecimento da Verdade. Sua Palavra diz: “E o Senhor me livrará de toda má obra e guardar-me-á para o seu Reino celestial; a quem seja glória para todo o sempre. Amém” (2 Timóteo 4.18).

A liberdade prometida ao homem na Palavra do Criador, nosso Deus, trata do livramento da escravidão a que foi o homem submetido pelos seus pecados. Esses pecados colocaram nos homens um fardo pesado e duro de ser levado, além de lhe causar uma cegueira crônica, privando-os de enxergar o seu destino. No final de sua vida, se viveu sem a liberdade ofertada por Cristo, vera que a vida não teve sentido; os prazeres foram ilusórios e passageiros; a angústia bateu-lhe todo tempo à porta do seu coração; e, o sabor da vida sentido foi falso e, agora, tornou-se amargo e indesejado.

O pecado muda o destino da criação feita pelas próprias mãos do Criador. Além de ter recebido dEle o sopro, que gerou vida ao corpo, recebeu o homem a alma e o espírito, e estes almejam e desejam contato com seu Criador. Entretanto, a vaidade do pecado os separa cada vez mais.

Os que conhecerem a Verdade e a abrigarem em seus corações, alcançarão a remissão dos seus pecados e, portanto, a verdadeira liberdade. Experimentarão nova vida vivida, compartilhada com seu Criador, e terá prazer em submeter-se cada dia à Sua vontade, buscando a santificação e procurando agradá-Lo.

O apóstolo Paulo: “Mas, agora, libertados do pecado e feitos servos de Deus, tendes o vosso fruto para santificação, e por fim a vida eterna” (Romanos 6.22). Leia também Romanos 6.11-14; 1 Coríntios 6.18 e 2 Coríntios 3.17.

A liberdade alcançada através do conhecimento da Palavra traz responsabilidade, pois ela é a Luz que alumia o caminho, é a bússola que orienta a rota a seguir, uma liberdade consciente e responsável, além de muito agradável, prazerosa e poderosa de confiança especial.

Depois de alcançar a Liberdade, deve-se ter o cuidado de mantê-la sempre viva e atuante dentro do coração, de forma que se tenha condições de testificar através do viver de que é portador de verdadeira Liberdade, que o faz livre de preconceitos, livre de qualquer jugo, livre do ódio, livre da indiferença com o próximo, livre da vaidade irracional, livre do orgulho que faz sentir-se melhor que outros.

Deve-se seguir avançando na conquista dessa Liberdade, até que seja completa, quando o Senhor promoverá à liberdade celestial, ocasião em que, transformados, e perdidas as características deste corpo pecaminoso e morta, tornará, os libertados pelo seu sangue, em corpos celestes.

Não desprezes as pequenas coisas, se alcançastes a a Liberdade. Ela está contida muitas vezes em pequenas coisas. Cuide, pois para não perdê-la e com ela chegar ao final das coisas, ao final do nosso tempo, de nossa tarefa. Retenhamos firmemente aquilo que descobrimos e alcançamos. Aproxime-nos ainda mais do Senhor jesus, servindo-O, mesmo através de pequenas coisas, tais como um gesto, um abraço, um sorriso. Nós estamos habilitados para tais tarefas. Recebemos poder sobre as coisas, pois Ele mesmo disse: “colocarão as mãos sobre os enfermos e eles serão curados; expulsarão demônios”. Mostre ao mundo que você encontrou a Liberdade contida na Palavra. Através dela você está pronto a servir. “E, assim, com confiança, ousemos dizer; o Senhor é o meu ajudador, e não temerei o que me possa fazer o homem” (Hebreus 13.6). Medite em Gálatas 5.1-13 e 2 Coríntios 5.17.

Seja livre, e mostre ao mundo que verdadeiramente encontrou a Liberdade através da Palavra e por Cristo Jesus. Deus vos abençoe.

Por, Elizeu Martins.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Google Translate »