Confiança na salvação do Senhor

Confiança na salvação do SenhorTomando o texto de Salmos 3.1-8, meditemos. A primeira coisa considerada aqui é o fato de o rei Davi ter muitos inimigos (Salmos 41.5, 6, 9), até mesmo dentro de sua própria família, como Absalão, seu filho (2 Samuel 15.1–18). Um dos traidores já tinha sido amigo íntimo de Davi. Joabe é o nome do fiel servo do rei. Ele reconcilia Davi com seu filho Absalão, mas depois o mata.

Sempre existiu e existirão pessoas que têm esse espírito de difamar, caluniar e ofender, mas há uma promessa da parte de Deus que nos garante uma defesa e posterior vitória. Sobre esta questão, lemos na Bíblia: “Ao que às ocultas calunia o próximo, a esse destruirei” (Salmos 101.5a). Na TEB (Tradução Ecumênica da Bíblia) diz: “Aquele que difama os outros em segredo, reduzi-lo-ei ao silêncio”.

Ninguém se perturbe com sua própria situação se seu coração estiver firmado em Deus e na Sua Palavra, pois quem conhece as Escrituras sabe que Ele verifica tudo, isto é, “passa em revista Seu exército”.

Assim sendo, podemos confiar nas promessas de Deus, pois dEle teremos:

1 – Proteção – Davi deixa bem claro a nós que embora haja problemas e dificuldades temos em quem confiar. “Tu, SENHOR, és o meu escudo” (Salmos 3.3). O salmista sabia que Deus lhe supriria cada necessidade, e por isso recorreu a Deus em oração na hora difícil. Devemos nós também proceder como Davi, isto é, colocar nossa confiança em Deus, dizendo: “O SENHOR é a minha rocha, a minha cidadela, o meu libertador; o meu Deus, o meu rochedo em que me refugio; o meu escudo, a força da minha salvação, o meu baluarte” (Salmos 18.2). Rocha e rochedo são figuras poéticas comuns para representar Deus, que simboliza Sua força invencível como refúgio e fortaleza ou como libertador.

2 – Supridor – Quando colocamos nossa confiança inteiramente em Deus, podemos sofrer reveses em nossa vida, mas a promessa de Deus para nós é de bênçãos sem medida. “Pois o supres das bênçãos de bondade” (Salmos 21.3).

Tendo esta promessa sobre nós, podemos então clamar, pois Ele é nosso ouvidor.

3 – Ouvidor – “Com a minha voz clamo ao SENHOR, e Ele do Seu santo monte me responde” (Salmos 3.4). Ainda o salmista nos diz: “De manhã, SENHOR, ouves a minha voz; de manhã te apresento a minha oração e fico esperando” (Salmos 5.3). Muita coisa depende de como começamos nosso dia. Davi está firmemente resoluto a buscar a Deus de todo o coração.

Se mantivermos nossa vida voltada para Deus, orar de manhã será uma prática natural. Cada novo amanhecer nos conclama a uma renovada dedicação a Deus e a uma comunhão mais íntima com Ele. Pois quando assim agimos temos uma certeza de que Ele ouve nossas orações. “O SENHOR ouviu a minha súplica; o SENHOR acolhe a minha oração” (Salmos 6.9).

Podemos ter uma expressão final da confiança jubilosa, porque o crente deve enfrentar seus inimigos com a certeza de que Deus já ouviu suas orações e as atendeu. Deus sempre atende a uma oração sincera e de coração compungido (pesar profundo; contrição). Colocando nossa confiança em Deus, teremos então tranquilidade.

4 – Tranquilidade – “Deito-me e pego no sono” (Salmos 3.5; ver também Salmos 4.8). Aquele que confia em Deus durante o dia pode depender da proteção divina durante a noite. Quem tem fé quando as coisas vão bem, verá que essa fé é uma fortaleza na hora da dificuldade. Confiando inteiramente em Deus, podemos afirmar que Ele nos abençoará como também fortalecerá a nossa esperança.

5 – Esperança – “Porque, quando meu pai e minha mãe me desampararem, o Senhor me recolherá” (Salmos 27.10). Implorando a presença divina mesmo em horas difíceis, reavivaremos nossa esperança e, com certeza poderemos afirmar que Deus nunca nos abandonará. E isso acontecendo em nossa vida poderemos proclamar a muitos que nEle temos confiança.

6 – Confiança – “porque o SENHOR me sustenta” (Salmos 3.5). Vemos que Davi afirma ter um grande e sublime Pastor que vive por Suas ovelhas, quando afirma dizendo “O SENHOR é o meu pastor, nada me faltará” (Salmos 23.1). Podemos então, como Davi, confiar plenamente de que temos, para cada um de nós, a mesma promessa.

7 – Destemor – “Não tenho medo de milhares do povo que tomam posição contra mim de todos os lados” (Salmos 3.6; ver também Salmos 27.1-3)

Assim como Davi foi abençoado e protegido, podemos também enfrentar nossas ansiedades, nossos problemas e nossas adversidades confiantes de que Deus pelejará por nós, mas para que isto aconteça teremos que perder o medo de enfrentar os reveses do dia a dia, pois só assim teremos vitórias. Seja destemido, pois “a vitória é do povo de Deus”.

8 – Salvação – “Levanta-te, SENHOR! Salva-me, Deus meu” (Salmos 3.7). Deus, além de conceder- -nos proteção também nos salva de todas as astutas ciladas de Satanás. Vemos Davi dizendo: “Eu sou pobre e necessitado, porém o Senhor cuida de mim” (Salmos 40.17)

9 – Redenção – “Do SENHOR é a salvação, e sobre o Teu povo, a Tua bênção” (Salmos 3.8). Davi sabia que Deus lhe supriria cada necessidade, e por isso recorria a Deus em oração nas horas mais difíceis de sua vida. Ele tinha tanta fé em Deus que podia confiar inteiramente nEle nas circunstancias mais difíceis que estivesse passando, pois sabia que a vitória pertence a Deus e também aos que nEle confiam. Assim também devemos agir por mais difícil que seja nossa situação, pois assim como Deus foi com Davi também conosco será.

Com tudo o que escrito está devemos simplesmente acreditar e aceitar em nosso coração o que Davi, neste salmo, quis nos dizer. Como é bom termos confiança em Deus na adversidade, pois Ele promete estar conosco todos os dias para nos proteger, suprir, ouvir e nos tranquilizar. Quando confiamos nEle e somos destemidos para enfrentar os reveses da vida passamos a obter vitórias diárias, pois Deus peleja por nós. Devemos confiar sempre no Senhor, pois Ele é a nossa Salvação.

Por, Paulo Ludwig Batista.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Google Translate »