Como conservar o fogo do Espírito Santo sempre aceso em nossas vidas

Como conservar o fogo do Espírito Santo sempre aceso em nossas vidasO grande desafio hoje para o crente pentecostal é conservar a chama do Espírito Santo sempre acesa. Há muitos crentes que ainda não foram batizados no Espírito Santo. A ordem de Deus é: “O fogo arderá continuamente sobre o altar e não se apagará” (Levítico 6.13). Isso inclui a busca pelo batismo no Espírito Santo.

No Antigo Testamento, Deus determinou conservar três fogos acesos:

1) O fogo no altar do sacrifício. Nós também temos o nosso altar. É necessário que o fogo do Espírito Santo esteja sempre aceso, para que possamos sentir renovação continuada em nossas vidas.

2) O fogo do castiçal. Este fogo simboliza a luz de Cristo em nossa vida. Ela deve estar sempre acesa.

3) O fogo do altar de incenso. Sem esse fogo a fumaça do incenso não subirá. Assim também deve ser a nossa vida de oração diante de Deus.

A orientação do Senhor para Sua Igreja também é: “Sede fervorosos no espírito servindo ao Senhor” (Romanos 12.11).

O fogo do Espírito Santo representa nossa comunhão com Deus. Precisamos do fogo do Espírito para a nossa vida particular.

Precisamos do fogo do Espírito Santo para o nosso trabalho.

O fogo estando apagado é sinal de perigo, pois quando o fogo apaga, o amor esfria. Lembremos que quando o sacerdote Eli deixou o fogo apagar, perdeu o seu ministério; perdeu o discernimento das coisas de Deus; perdeu o zelo contra o pecado; perdeu o temor; morreu tragicamente, e a Arca do Senhor foi roubada.

O que pode apagar o fogo do Espírito Santo em nossas vidas? Entre outras coisas, a desobediência a Deus, permitir o domínio da carne em nossas vidas (exemplo: Sansão) e o orgulho.

No Templo do Senhor, era necessário renovar o fogo continuamente. Era obrigação do sacerdote cuidar diariamente do fogo do Templo. Havia uma renovação diária. O sacerdote tinha que tirar a cinza do altar diariamente. Devia ter o cuidado para não sujar sua veste, e não inalar cinza. Era obrigação do sacerdote colocar lenha. “Sem lenha o fogo se apaga”. O fogo do castiçal era renovado a cada manhã quando o sacerdote colocava incenso sobre ele.

Estejamos atentos quanto à nossa postura no trato com as coisas de Deus para que o fogo do Espírito não apague. Vivamos o genuíno pentecostes!

Por, José Wellington Bezerra da Costa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Google Translate »