Coisas boas que deixam o homem fora do Céu

Coisas boas que deixam o homem fora do CéuAcredite ou não, muitas pessoas de bem que estão envolvidas em realizar coisas maravilhosas não irão para o Céu. Pior que isso: muitos que se consideram cristãos e estão convencidos de que irão para o Céu ficarão de fora – mesmo não estando eles envolvidos em pecados grosseiros ou em qualquer tipo de coisa errada. O cristãos a respeito dos quais eu falo não usam drogas e nem álcool. Não jogam. Não se entregam à pornografia ou à perversão sexual. Não estão entre aqueles que são corruptos ou vis. Na verdade, você pode encontrar muitos deles na igreja nos domingos pela manhã. E eles gastam a maior parte do seu tempo livre com os amigos e a família, desfrutando de coisas agradáveis. Mas, desejo fazer uma declaração ainda mais ousada, que poderá ofender alguns – contudo, eu a faço com interesse amoroso por aqueles da Igreja de Cristo que não enxergam que estão caminhando em direção ao desastre: alguns correm o perigo de perderem suas próprias almas, apesar de se assentarem na igreja absolutamente convencidos que estão a caminho do Céu.

O conjunto dessa ideia pode lhe parecer paradoxo. Mas, desejo provar isso a você com as Escrituras.

Se você deseja levar a sério uma mensagem que lhe venha proveniente do Espírito Santo, que seja esta. O meu ponto é o seguinte: alguns crentes ficarão de fora do Céu, não devido às coisas más que fizeram, mas porque ficaram tão preocupadas em realizar coisas que em si são boas e legítimas, que negligenciaram aquelas que realmente contam: as coisas eternas. O zelo pelas coisas boas do mundo fez com que pusessem de lado as coisas de Deus. Essas pessoas ficam tão ocupadas com cada detalhe do dia-a-dia, que literalmente não têm tempo para as coisas mais profundas da vida espiritual. Elas estão dando o seu suor para construir seus negócios, fazer progredir suas carreiras, sustentar suas famílias, mas esqueceram do alvo principal.

A Bíblia diz: “Mas buscai primeiro o seu reino e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas” (Mateus 6.33). Estas são palavras do próprio Cristo, e não uma sugestão, mas um mandamento. Jesus está dizendo: “Se vocês buscarem primeiro o Senhor, Ele vai tomar conta de todas as coisas pelas quais vocês têm trabalhado duro: carreira, negócios, lar, família. Mas vocês precisam fazer dEle a sua prioridade número um!”.

O apóstolo Paulo acrescenta: “Pensai nas coisas que são de cima, e não nas que são da terra. Pois morrestes, e a vossa vida está oculta com Cristo em Deus” (Colossenses 3.2-3). Mais uma vez, isso não é uma sugestão, mas um mandamento. Em grego, o significado é: “Concentre a sua atenção, ou interesses, nas coisas de cima”. Em outras palavras: “Leve a sua concentração – semelhante ao aço, ao concreto – a ser direcionada às coisas de Deus. Torne-se inabalável, imbatível”. Entenda por favor: Deus nunca pediu que todos vendêssemos as nossas casas, terras e propriedades; nunca disse que precisamos deixar os nossos empregos e nos tornarmos monges, passando a nos dedicar inteiramente à meditação e ao estudo bíblico. Jesus só disse isso a um homem apenas e porque as possessões desse homem haviam se tornado seus ídolos (Mateus 19.16-22). Deus não diz isso para todos.

Algumas pessoas me dizem: “Deus me mandou deixar esposa e filhos para entrar no ministério”. Olho essas pessoas diretamente nos olhos e digo: “Deus não lhe disse para fazer isso. Foi a sua própria mente ou então o Diabo. O Senhor não se dedica a destruir casamentos!”. Deus jamais lhe pedirá que faça algo desse tipo. Mas Ele insiste em ser o centro da sua vida, em torno do qual tudo o mais gira. Ele exige que os Seus interesses, a Sua igreja  e as Suas coisas tenham prioridade. É necessário que Ele seja o centro! A maior indignidade que qualquer cristão pode cometer contra o Senhor é deixá-lO em uma posição secundária. Isso é um tapa na face de Deus.

Você pode achar que não é culpado de tamanha afronta contra Ele, mas como você prioriza o seu tempo? Por exemplo, quantas vezes você faltou à igreja em benefício dos seus negócios? Nessas, ocasiões não foram os direitos dos clientes que ficaram aguardando. Foi Deus. Eles foram postos em primeiro lugar, acima dos Seus interesses. Compreendo que você não pode evitar faltar à igreja se você tem um trabalho que o impede de ser assíduo – se for, por exemplo, uma enfermeira ou um trabalhador noturno. Mas estou falando das pessoas que podem escolher, aquelas que dirigem o seu próprio negócio, por exemplo, e que optam por trabalhar em vez de frequentar a Casa de Deus.

A Bíblia adverte: “Não deixemos de congregar-nos, como é costume de alguns” (Hebreus 1025). Esse é outro mandamento do Senhor. Porém, qual é a prioridade da vida? Quem fica esperando: os seus negócios ou o Senhor? Se não guardarmos esses mandamentos, enfrentaremos consequências horríveis.

Atente para o que Jesus diz a respeito dos dias de Noé e Ló: “Assim como foi nos dias de Noé, será também nos dias do Filho do homem; comiam, bebiam, casavam e davam-se em casamento, até o dia em que Noé entrou na arca, e veio o dilúvio e destruiu a todos. O mesmo aconteceu nos dias de Ló: comiam, bebiam, compravam, vendiam, plantavam e edificavam; mas, no dia em que Ló saiu de Sodoma, choveu do céu fogo e enxofre e destruiu todos. Assim será no dia em que o Filho do Homem de manifestar” (Lucas 17.26-30).

Preste atenção nas coisas que as pessoas faziam naquele tempo. Sabemos que havia violência tal como o mundo nunca havia visto, bem como imoralidade grosseira, tal como sodomia e homossexualismo; mas, Jesus não fala de nenhuma dessas coisas aqui. Também não menciona alcoolismo ou perversões. Em vez disso, Ele diz que, imediatamente antes de a condenação cair, as pessoas estavam comendo, bebendo (Ele não menciona embriaguez), casando-se, noivando, comprando, vendendo, plantando, construindo. Não há nenhum pecado nesta lista. Todas essas coisas são boas, legítimas. Na verdade, tudo que Jesus relaciona aqui é recomendado na Palavra de Deus para aqueles que desejam ser fiéis no cultivo da família.

Sobre o casamento, por exemplo, Paulo diz: “…mas, se te casares, com isso não pecas” (1 Coríntios 7.28). Em outro lugar, as Escrituras dizem: “Digno de honra entre todos seja o matrimônio” (Hebreus 13.4). Provérbios 31 nos diz que a esposa virtuosa “examina uma propriedade e adquire-a; planta uma vinha com as rendas do seu trabalho” (Provérbios 31.16). Desde os tempos de Josué, quando Israel se mudou para a terra prometida, Deus incentivou as pessoas a plantar nos campos e a construir edifícios para Sua glória. Não há absolutamente nada de errado nessas atividades. Por que, então, Jesus se refere a essas coisas boas e legítimas que as pessoas faziam nos dias anteriores ao julgamento?

É porque Ele está tentando nos dizer algo vital. Ele está nos alertando sobre o perigo de nos tornarmos completamente absorvidos por nossos próprios interesses. A pregação de Noé se perdeu no meio de um grande atropelo de negócios.

Posso escrever livros e pregar mensagens a respeito de julgamentos vindouros, porém, com exceção de um pequeno remanescente de crentes, poucos ouvem e guardam minhas palavras. As massas de cristãos não se interessam. Por quê? Porque estão envolvidos em seus próprios planos para casamento, trabalho, carreira. Não tem tempo para ouvir mensagens a respeito da Vinda do Senhor. “Assim será no dia em que o Filho do homem se manifestar” (Lucas 17.30). Jesus está prevenindo: “Sucederá o mesmo com a última geração. Estarão tão ocupados, tão envolvidos com seus próprios interesses, que deixarão de lado todos os Meus interesses”.

Tem sido assim por séculos. Muitos estão convencidos que estão destinados para o Céu, porém, semana após semana, negligenciam a Casa de Deus, a Palavra de Deus, a oração, a adoração, e esse procedimento não é pecaminoso aos seus próprios olhos: “Por que, pois, diz o meu povo: (…) Jamais tornaremos a ti? (…) o meu povo se esqueceu de mim por dias sem conta (…) Ainda dizes: Estou inocente” (Jeremias 2.31, 35).

Essas pessoas podem estar fazendo coisas legítimas, mas o Senhor não é o primeiro para elas. Ele não é o centro de suas vidas. Se fosse, não O colocariam de lado, mas achariam tempo para ficar com Ele. Nos tempos de Jeremias, todos estavam se mexendo, muitos ocupados em obras legítimas e até mesmo religiosas. Porém, estavam negligenciando a Deus. Não tinham tempo para buscar o Senhor, não tinham tempo para assentar aos Seus pés e aprender. Hoje também as pessoas estão preocupadas com seus próprios interesses e são tão ocupadas que negligenciam suas próprias almas. Tornemos os interesses de Deus uma prioridade nossa.

Por, David Wilkerson (1931-2012).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Google Translate »