Cirurgia espiritual: prática pagã ou cristã?

Cirurgia espiritual - prática pagã ou cristãUm dos maiores enfrentamentos que a fé cristã bíblica tem no quadro dos últimos dias é o desafio de conviver com posições que não se encaixam naquilo que a Bíblia ensina, ou seja, modismos extravagantes e distorções supersticiosas, inovações hodiernas que têm o objetivo de promover o marketing religioso e/ou pessoal.

Entre todas essas manifestações, está, sem dúvida, o que se convencionou chamar por alguns no meio evangélico de “cirurgia espiritual”. Digo convencionou-se porque essa nomenclatura é originaria das ações terapêuticas praticadas em centros espíritas, espiritualistas e de umbandas, e não é um termo de uso expansivo dentro do contexto evangélico. Lá, a intervenção é feita em tratamento de doenças manifestas no corpo ou na mente, que ali estão, mas não têm causas físicas, suas origens são espirituais e se localizam em uma parte do indivíduo que os espíritas chamam de períspirito, uma espécie de substância formada por elementos químicos desconhecidos que só existem no plano espiritual. No âmbito evangélico, entra como uma das áreas daquilo que é denominado batalha espiritual.

Ao mesmo tempo que essas práticas no meio evangélico não têm recebido esse mesmo nome, suas maneiras de ação são muito parecidas e às vezes até literalmente iguais. O primeiro contato é feito quase sempre por uma “divina revelação”, onde é anunciada a presença de um mal no corpo físico da pessoa, às vezes pode ser dito a origem daquele mal e muitas vezes o mal é atribuído a demônios ou a contatos anteriores com práticas dessa natureza, ou seja, é uma aproximação muito grande do períspirito do espiritismo, mas geralmente conhecido nesse meio como uma maldição que pode ter diversas origens, conhecidas como “base de legalidade”, que é o dia em que o sujeito ou algum dos seus antepassados ofereceram condições para que Satanás, através dos seus demônios, coloca-se aquele mal de ordem física, mas de origem espiritual, no corpo ou na mente do indivíduo, tornando-se, assim, uma forma de maldição hereditária. Essa, sem muito esforço, pode ser refutada à luz da Palavra de Deus, o que já tem sido feito a contento. Basta lembrar o fato de que a Palavra de Deus deixa claro que o Senhor Jesus já se fez maldição por nós, e que as coisas que trazíamos conosco oriundas de práticas pessoais do passado foram definitivamente despojadas na cruz, e o cristão é templo do Espírito Santo, e Este não divide habitação com espíritos imundos, e a purificação pelo sangue de Jesus exclui por inteiro toda ação de demônios que tiveram qualquer tipo de intervenção na vida do homem antes desse receber a Cristo como Salvador, e depois de ter sido alcançado pelo Senhor ele está totalmente isento dessa ação, pois o que “é nascido de Deus, o maligno não o toca”.

Mas, prosseguindo nessa sessão, em um segundo momento, é feito o “toque”, que é muito semelhante ao “passe” dado no espiritismo e que os médiuns realizam com o fim de liberar sobre o indivíduo os “fluidos espirituais benéficos”. No meio evangélico, isso tem sido feito pela imposição das mãos, mas também é feito pelo olhar, pelo sopro e até à distância através de “irradiações espirituais”. A imposição de mãos é bíblica, mas tem havido uma exacerbação e distorção no seu uso. Cabe salientar aqui que todas essas formas de ação são incrivelmente similares às práticas ocorrentes nos seguimentos kardecistas.

Segue-se, então, a cirurgia propriamente dita, onde, usando de diferentes formas – uns untando com muito óleo, outros sem acréscimo de nada –, dá-se nesse momento a extração de tumores, caroços e canceres, e muitas vezes são extraídos objetos os mais diversificados possíveis, tais como tufos de cabelos, pedaços de ossos, pregos ou coisa do gênero.

A pergunta é: qual a relação disso tudo com o milagre? Ou ainda: até que ponto a Bíblia, que é o instrumento normativo para toda pratica da vida cristã, legitima tal prática?

Se partirmos de uma definição simples para milagre, ou seja, um acontecimento fora das – e inexplicável pelas – leis naturais, veremos então uma relação muito grande entre as cirurgias espirituais e os milagres, e ainda os milagres têm como características o fato de serem fora da classificação do que é ordinário, ou seja, são extraordinários e diferentes do que é natural; ou seja, são sobrenaturais. Tudo isso, poderia ser dito, torna mais evidente o fato de que quando estamos falando de cirurgia espiritual estamos falando, sim, de milagres. Só que não basta que seja algo sobrenatural. Qual o respaldo bíblico para esse tipo de ação? Qual a contribuição que está sendo dada para o crescimento do Reino de Deus? E pelo que têm sido atraídos os indivíduos que são objetos desses feitos?

Essas perguntas são todas facilmente resolvidas a qualquer um que seja um mínimo observador dos textos bíblicos. De pronto, o que se pode notar é a grande semelhança entre as práticas das cirurgias espirituais que ocorrem no espiritismo e ainda ao método japonês Reiki, que é a reposição energética que mantêm e recupera a saúde e que é transmitido através da imposição de mãos, ou ainda a relação com o Seichim, que é a cura egípcia feita através de irradiações cósmicas; e também com a apometria, que é um conjunto de princípios e técnicas que têm como objetivo o tratamento, a harmonização e a conscientização dos múltiplos aspectos que movem as energias humanas. Se buscarmos as similaridades, as encontraremos exclusivamente nessas áreas, e qualquer tentativa de coaduná-las com a Palavra de Deus não será bem sucedida sem que torçamos o sentido de qualquer texto. Quanto à contribuição disso para o Reino de Deus, temos que ver com olhos de desconfiança, pois tem trazido mais discrepâncias entre cristãos do que concordâncias; e isso se torna, sem dúvida, um empecilho para a expansão do Reino de Deus, que sofre dissolução de continuidade, pois aqueles que poderiam estar ocupados com a propagação do Evangelho que salva têm que parar a fim de ocupar-se com a refutação de tais atos no seio da igreja de Cristo; e tentar purificar, pela Palavra, a essência da fé maculada pelas misturas de técnicas importadas de segmentos religiosos espúrios, de técnicas orientais e de New Age, de práticas psicológicas de hipnose e mais coisas do gênero, que são por demais confundidas por aqueles que não trazem consigo a base na Palavra eterna de Deus. E, por fim, esses feitos têm se tornado, para os indivíduos que são objetos deles, o padrão para toda experiência religiosa. Só a possibilidade do inusitado já é visto como algo que justifica a busca de Deus. Some-se a isso tudo o culto à personalidade, pois os portadores de tais dotes passam a ser seguidos como alguém que traz sobre si uma unção singular e uma proximidade extraordinária com Deus, e o que se vê são pessoas tomando o lugar do único que deve receber a glória, por ser Ele o único que é digno.

Em síntese, o que vemos é que o excesso de inovações e importações de outros meios não bíblicos e não cristãos tem incutido no meio de nós práticas no mínimo questionáveis, e em grande parte necessárias de serem refutadas à luz da Palavra de Deus, para que conduzamos o nosso povo de volta à Palavra, protegendo-o de ser levado à volta por todo vento de doutrina.

Por, Joel Paulino da Silva.

4 Responses to Cirurgia espiritual: prática pagã ou cristã?

  1. Suely disse:

    Gostaria muito de ter certeza de que as cirurgias espirituais são obras de caridade e permitidas por Deus! Não compreendi o texto! Grata!

    • Francisco Wlademir Galvan disse:

      Olá Suely. Fica claro no texto que as cirurgias espirituais, são práticas espíritas e são praticadas nos centros espíritas por pessoas incorporadas por demônios. O que não deve ser aplicado no meio evangélico. Na igreja evangélica, quem atua é o Espírito Santo, através da oração ou dos dons espirituais que são distribuídos por Ele a quem Ele quer. Na verdade, os demônios apenas encobrem a doença, porque eles não tem poder para curar. Quem tem pode para curar, é somente Jesus Cristo através do Espírito Santo (Mateus 28.18). Que Deus lhe abençoe grandemente.

  2. Rene disse:

    Irmao gostaria de sua ajunda a vinte dias Deus usou pregador para dizer que estava fazendo uma cirugia espiritual na minha mente e que estava mi dando do de visao e revelacao gostaria de saber oque e e cirugia na memte da pra resumir

    • Francisco Wlademir Galvan disse:

      Paz irmão. Na verdade o que ele estava se referindo é ao recebimento dos dons espirituais e não necessariamente a uma cirurgia do tipo feita em centros espíritas. Em 1 Coríntios 12.31 diz que nós é que devemos buscar os dons espirituais, mas acredito que por uma revelação, o profeta viu que você estava recebendo este dom, portanto se trata de um recebimento e não de uma cirurgia em si. É força de expressão, talvez por falta de conhecimento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Google Translate »