Avivamento na Síria pós-guerra

Segundo agência cristã de notícias, muçulmanos têm aceitado Jesus

Avivamento na Síria pós-guerraDurante anos, os cristãos sírios vinham orando por um avivamento. “Mas nunca imaginamos que isso viria junto com uma guerra”, conta um líder de uma igreja local. Após sete anos de guerra civil, que parece ter se encerrado oficialmente no final do ano passado, inclusive com a saída da Rússia e dos EUA do país após a estrondosa vitória sobre o Estado Islâmico e outros grupos radicais na região, a Síria encontra-se hoje em ruínas, mas as igrejas voltaram incrivelmente a encher, apesar da grande evasão de cristãos durante o conflito.

A maioria das famílias cristãs deixara o país no início da guerra, tomadas pelo pânico diante da possibilidade de serem mortas. Como resultado, os líderes cristãos que ficaram observavam a frequência de suas igrejas diminuir abrupta e constantemente. Entretanto, em meio aos escombros, os pastores deram o seu melhor para ajudar aqueles que precisavam. Muitas igrejas viraram abrigos, centros de distribuição de alimentos e enfermaria, atendendo a qualquer pessoa que chegasse às suas portas, pedindo ajuda.

Depois de um tempo, o que antes era impensável começou a acontecer. Muçulmanos que procuravam as igrejas em busca de algum tipo de apoio ficavam para os cultos e começaram a fazer muitas perguntas sobre o cristianismo. Dentro de pouco tempo, muitos começaram a se converter.

Hoje em dia, segundo reportagem da International Christian Concern, há igrejas na Síria cheias de ex-muçulmanos. Para os líderes cristãos sírios, trata-se de um inesperado avivamento. Basta lembrar da declaração desesperada do arcebispo católico Jean-Clement Jeanbart, da cidade de Aleppo, em plena Páscoa de 2015, quando dizia que, devido à grande matança de cristãos por radicais islâmicos e o êxodo crescente de famílias cristãs durante a guerra, “em breve, nós, cristãos, podemos desaparecer da Síria”. Sim, a matança ocorreu e o êxodo também, mas muitos muçulmanos encontraram Cristo em meio ao conflito.

O testemunho de uma família muçulmana convertida

Como muitos outros que abandonaram o Islã, Kalia chegou à igreja procurando ajuda.Ela disse: “Nos ofereceram ajuda e orações. [No início,] Rejeitei as orações. Mas, depois, me perguntei: Como os cristãos oram? Então eu voltei ao templo, desta vez com minha irmã, só para ver”.

A história de conversão de Kalia é marcada pela demonstração palpável da graça de Deus. Ela veio de uma família composta de pastores. Todos moravam na região de Raqqa e seu marido era um “homem terrível”, um extremista. Somente quando o exército sírio começou a retomada da cidade os simpatizantes do Estado Islâmico tiveram de fugir.

Toda a família de Kalia saiu da cidade. Fugindo de cidade em cidade, sua família decidiu ir para o Líbano, mas eles não tinham nada. Desesperada por ajuda, Kalia começou a procurar ajuda até no último lugar que ela poderia imaginar: a igreja.

Quando ela se converteu, seu marido respondeu com violência física. Contudo, algum tempo depois ele contraiu uma doença grave, que o deixou à beira da morte. Os membros da igreja oraram por sua cura. Recuperado, ele reconheceu a Jesus como Salvador e toda a família se converteu.

O genro de Kalia, que estava estudando islamismo na Arábia Saudita, foi ao Líbano para convencê-los de apostasia. Quando ouviu o Evangelho, também foi tocado e passou a seguir Jesus.

Lembrando disso, Kalia disse: “Quando aceitamos Jesus, soubemos que Deus havia se empenhado para que nós o conhecêssemos. Ele estava falando conosco, mas não sabíamos disso”.

Toda a família voltou para a Síria e hoje servem em uma igreja local. Os líderes cristãos acreditam que, se não fosse pela guerra civil, famílias como a de Kalia nunca teriam sido expostas ao Evangelho.

Cristãos nominais na Síria encontram Cristo em meio à guerra

Outro detalhe importante é que muitos cristãos na Síria que o eram apenas nominalmente acabaram encontrando Jesus em meio à guerra. Antes da guerra, havia muitos cristãos nominais que, com o passar do tempo, pararam de frequentar a igreja. Há casos como o de Joseph, nascido em uma família cristã ortodoxa, mas que nunca tinha ouvido o Evangelho de verdade antes da guerra.

Um dia, as forças armadas chegaram à sua aldeia. Todos os cristãos, incluindo sua família, foram atacados pelos soldados. Seu pai foi assassinado por eles na porta de casa. Joseph, sua mãe e seu irmão mais novo foram forçados a fugir para não morrerem também. Conseguiram chegar em Damasco, mas não tinham abrigo e nem dinheiro.

Eles foram a uma igreja evangélica pedir ajuda. Estiveram em algumas reuniões e ouviram músicas de adoração que nem sabiam que existiam. Pela primeira vez ouviram a mensagem redentora do Evangelho, não uma mensagem sobre moral.

Ao falar sobre todas as mudanças de sua vida, após a tragédia com o seu pai, Joseph enche o rosto de lágrimas. Ele diz que “Deus é tão bom, eu sou tão agradecido pela salvação”.

Sem dúvida, a guerra civil síria deixou um impacto terrível no país. As ruas de muitas cidades estão tomadas pelas ruínas, um lembrete constante do conflito que transformou completamente a vida de todos os sírios.

No entanto, como estas histórias ilustram bem, a transformação dentro dos corações de tantos sírios é algo bastante diferente. Apesar da morte e da tristeza que os cerca, em seu interior eles sentem paz e esperança pela primeira vez na vida.

(Com informações de International Christian Concern, CPADNews e Gospel Prime).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Google Translate »