As preocupações dos últimos tempos abrem espaço para o Anticristo

As preocupações dos últimos tempos abrem espaço para o AnticristoDisse Jesus em Seu Sermão Profético sobre o fim dos tempos: “E ouvireis de guerras e rumores de guerras; olhai, não vos assusteis, porque é mister que isso tudo aconteça, mas ainda não é o fim. Porquanto se levantará nação contra nação, e reino contra reino, e haverá fomes, e pestes, e terremotos, em vários lugares. Mas todas essas coisas são o princípio das dores” (Mateus 24.6, 7).

Antes de o Anticristo chegar ao poder, ele poderá provavelmente usar as preocupações em relação às possíveis mudanças climáticas, ao terrorismo internacional e ao conflito árabe-israelense como plataforma política para estabelecer seu governo mundial (cf. Daniel 9.27; 2 Tessalonicenses 2.9). Mas, longe de resolver essas questões, o Anticristo conduzirá a humanidade à quase total aniquilação (1 Tessalonicenses 5.3). A ONU, o movimento ambientalista e a Nova Era já estão abrindo espaço para isso. É o mistério da injustiça que já opera em nossos dias (2  Tessalonicenses 2.7). As nações mais poderosas da Terra concordam que algo tem que ser feito para reverter esse quadro. Quem apresentar a solução desses problemas será aclamado como salvador e messias (Apocalipse 13.1-4). Na verdade, essas preocupações estão contribuindo para o surgimento de uma nova ordem mundial, o futuro império romano governado pela besta.

Há ainda as ameaças naturais. Há pelo menos três tipos de ameaças naturais: ameaças biológicas, como epidemias; ameaças geológicas, como terremotos e erupções vulcânicas; e ameaças cósmicas, como distúrbios na atividade solar e colisões de asteroides ou cometas. Dependendo da magnitude, esses ventos naturais são capazes de alterar as condições físicas do planeta e até dizimar populações inteiras, como a gripe espanhola, que no início do século 20 vitimou mais de 80 milhões de seres humanos, e o devastador Tsunami, que atingiu o sudeste asiático no final de 2004, matando cerca de 300 mil pessoas em doze países. O fato dessas catástrofes agora estarem se intensificando, em grau e número, e ocorrendo “em vários lugares” do planeta, são fortes sinais indicadores da proximidade da Vinda de Cristo (Lucas 21.11).

Mas, será que existe a possibilidade de um desastre natural colocar em risco a sobrevivência da humanidade? Segundo os cientistas, isso poderia acontecer. No parque americano de Yellowstone existe em seu subsolo um super-vulcão que caso venha a explodir lançaria uma nuvem de poeira suficiente para encobrir o Sol, e fazer com que a temperatura do planeta caia 10ºC. Como resultado desse inverno global, a humanidade seria reduzida a alguns milhares de sobreviventes. Outro cenário ainda pior do que esse seria o choque de um asteroide ou cometa com a terra. Astrônomos que monitoram esses objetos já catalogaram alguns asteroides que poderiam estar em rota de colisão com a terra, como o asteroide denominado de 2003 QQ 47. Com pouco mais de 1 km de diâmetro, este asteroide se aproxima da terra a uma velocidade de 115 mil quilômetros por hora. Sendo os astrônomos do Centro de Monitoramento de Objetos próximos à Terra, ele se aproximará da terra em 2014. No entanto, a possibilidade de colisão é de apenas 1 para 909 mil. Se uma  trombada dessas ocorresse os efeitos desencadeados pelo impacto seriam devastadores. Porém, biblicamente, o mundo não será destruído por nenhuma dessas catástrofes naturais, mesmo que potencialmente elas sejam reais e aconteçam em menor escala em nossos dias. Somente na Grande Tribulação, quando Deus estiver castigando a humanidade, algo semelhante ocorrerá, mas não a ponto de acabar com a vida na Terra (Apocalipse 8.7-12; 16.18-21), pois o próprio Senhor Jesus administrará os juízos de Deus nesse período (cf. Apocalipse 6.1; 16.1).

Mas, a maior ameaça enfrentada pela humanidade é o pecado e suas nefastas consequências. Todas as calamidades que assolam o mundo têm sua origem na queda do homem.

O relógio criado pela agência do Boletim de Cientistas Atômicos não prevê o apocalipse bíblico, mas o apocalipse provocado pelo próprio homem. Ao contrário do que mostram os filmes catastróficos de Hollywood, o de asteroides (“Armagedom”), cometas (“Impacto Profundo”), anomalias na atividade solar (“Sunshine – Alerta Solar”, “Presságio”), distúrbios de natureza climática e geológica (“O Dia Depois de Amanhã”, “O Núcleo – Missão ao Centro da Terra”), armas nucleares (“O Dia Seguinte”), pandemias (“Fim dos Tempos”); máquinas com inteligência artificial (“O Exterminador do Futuro”, “Matrix”) e até invasões alienígenas (“Independence Day”, “Guerra dos Mundos”, “O Dia em que a Terra Parou”) quase aniquilam com a humanidade, o apocalipse descrito no último livro da Bíblia será desencadeado pela ira de Deus derramada na Terra no período da Grande Tribulação (Apocalipse 6.15, 16; 16.1).

As densas nuvens que se veem no horizonte e nos fortes ventos que sopram em nossos dias já sinalizam a formação de uma grande tempestade. É o princípio de dores de que falou o Senhor Jesus em seu sermão profético (Mateus 24.8). Quando esta geração má e corrupta tiver enchido o cálice da ira de Deus, então o juiz de toda a Terra derramará a sua cólera neste mundo. Mas, antes que ela caia, Cristo arrebatará Sua Igreja (1 Tessalonicenses 1.10; Apocalipse 3.10). “Porque Deus não nos destinou para a ira, mas para a aquisição da salvação…” (1 Tessalonicenses 5.9). “Ora quando essas coisas começarem a acontecer, olhai para cima e levantai a vossa cabeça, porque a vossa redenção está próxima” (Lucas 21.28). “Vigiai, pois, em todo tempo, orando, para que sejais havidos por dignos de evitar todas essas coisas que hão de acontecer e de estar em pé diante do Filho do Homem” (Lucas 21.36).

Por, Zihad Ali.

One Response to As preocupações dos últimos tempos abrem espaço para o Anticristo

  1. luiz cesar pereira disse:

    É muito forte a palavra de Deus sempre prevalecerá, diz apalvra
    E irão estes para o castigo eterno, mas os justos, para a vida eterno(mat.25:46)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Google Translate »