As batalhas da nossa vida

As batalhas da nossa vidaNossa batalha inicia quando entregamos a nossa vida a Cristo e só terminará quando nos encontrarmos com Ele para vivermos a eternidade. Há batalhas contra a nossa mente, batalhas contra a nossa família, dentre tantas outras, e algumas tem levado tanta gente a parar.

No capítulo 30 de 1 Samuel, lemos que os amalequitas saquearam a cidade onde estava a família de Davi e de seus homens. Eles estavam fora, e quando voltaram viram aquela tragédia; choraram e se angustiaram, mas depois se animaram, e foram atrás deles. Cinco lições podem ser extraídas do texto:

1 – Discernimento. Davi discerniu com equilíbrio a sua batalha. O versículo 20 diz: “Davi muito se angustiou, pois o povo falava de apedrejá-lo, porque todos estavam em amargura, cada um por causa de seus filhos e de suas filhas; porém Davi se reanimou no Senhor, seu Deus”.

Enquanto uns estavam angustiados, houve um determinado tempo. Há um tempo para dor, há um tempo para o luto. Se ficarmos “chorando o leite derramado” o tempo todo, não iremos progredir nada. Davi se fortaleceu no Senhor enquanto outros lamentavam. Até quando ficaremos nos lamentando? Há um tempo de se levantar e se fortalecer no Senhor. Se há algo que as lutas não resistem é quando um crente, no meio da luta, começa a louvar e glorificar a Deus.

Quando Davi busca ao Senhor, Deus ilumina a mente dele. Se ele continuasse a lamentar, dando vazão apenas as emoções as coisas não teriam dado certo. Não podemos batalhar sem equilíbrio; razão e emoção têm que andar juntos.

Existem quatro tipos de batalhas.

a) As batalhas que não travei, mas que eu tenho que pelejar. Mesmo sem termos travado as batalhas, algumas delas são de responsabilidade nossa. Tem gente que se acovarda, dizendo que o problema não tem nada a ver comigo. Há batalhas que você não tem culpa, mas você está arrolado nela e você vai vencê-la. “Então falou Davi aos homens que estavam com ele, dizendo: Que farão àquele homem, que ferir este filisteu, e tirar a afronta de sobre Israel? Quem é, pois, este incircunciso filisteu, pra afrontar os exércitos do Deus vivo?”; “E Davi disse a Saul: Não desfaleça o coração de ninguém por causa dele; teu servo irá e pelejará contra este filisteu” (2 Samuel 17.26; 32).

b) Há batalhas que eu não travei, e também não tenho que pelejar. Coisa nobre é você saber qual batalha você vai gastar energia e toda a sua vida. Peça discernimento a Deus para não entrar em problemas que não são seus, e sim, apenas aqueles que forem permitidos pelo Senhor. “O que, passando, se põe em questão alheia, é como aquele que pega um cão pelas orelhas” (Provérbios 26.17).

c) Há batalhas que eu mesmo travei, e tenho que pelejar. Deus não vai te abandonar, mesmo que você foi o culpado.

d) Há batalhas que eu travei, mas que eu não vou ter que lutar. É aquela que Deus toma as nossas dores. O Senhor toma a dianteira e vence a batalha por nós. Quem começou a batalha? Discirna isto e ore ao Senhor, pois Ele vai te dar estratégia. “Nesta batalha não tereis que pelejar; postai-vos, ficai parados, e vede a salvação do SENHOR para convosco, ó Judá e Jerusalém. Não temais, nem vos assusteis; amanhã saí-lhes ao encontro, porque o SENHOR será convosco” (2 Crônicas 20.17).

2 – Antes de partir para o campo de batalha, consulte ao Senhor. Tem gente que acha que sabe tudo o que deve fazer. Ore ao Senhor. O versículos  8 diz: “Então, consultou Davi ao Senhor, dizendo: perseguirei eu o bando? Alcançá-lo-ei? Responde-lhe o Senhor: Persegue-o, porque, de fato, o alcançarás e tudo libertarás”.

Deixe que Deus faça por você. Busque o auxílio Dele. Antes de partir, consulte o Senhor.

3 – Não perca o foco. O versículo 17 diz: “Feriu-os Davi, desde o crepúsculo vespertino até a tarde do dia seguinte, e nenhum deles escapou, senão só quatrocentos moços que, montados em camelos fugiram”.

O que motivou a estes homens lutarem tantas horas foi o foco. Eles estavam determinados. A força motriz na batalha está diretamente proporcional a importância que damos aquilo que lutamos. Uma coisa é ação, outra coisa é motivação. Motivação é o motivo da ação. O que nos motiva a ação é sabermos de quem é a obra que estamos fazendo. O Senhor é o dono da obra. Todos que fazem a vontade de Deus fazem a obra, mas nem todos que estão militando na obra fazem a vontade de Deus. A vontade Dele é a nossa santificação. É dessa forma que vencemos as nossas batalhas. Quando você está em profunda adoração, você não vê a batalha.

4 – Recupere o que perdeu. Os versículos 18 e 19 dizem: “Assim, Davi salvou tudo quanto haviam tomado os amalequitas; também as suas duas mulheres salvou Davi. E ninguém lhes faltou, desde o menor até o maior, e até os filhos e as filhas; e também desde o despojo até tudo quanto lhes tinham tomado, tudo Davi tornou a trazer”. Recupere aquilo que você perdeu. Tenha tudo! Não deixe nada para trás.

5 – Recolha os despojos. O versículo 20 diz: “também tomou todas as ovelhas e o gado, e o levaram diante de Davi e diziam: Este é o despojo de Davi”.

Discernir as batalhas que estou vivendo é importante. Antes de partir, mantenha o foco, e recupere tudo o que perdeu. Mas tem mais! Davi pegou tudo o que perdeu e ainda levou despojo de guerra. É aquilo que é a mais que Deus dá para você. Você está cansado e fadigado, mas no final da batalha, Deus pode dar além daquilo que você lucrou. Davi levou tudo dos amalequitas e ainda a coroa do rei. Todos nós temos batalhas em vários níveis. No final da batalha, depois de ter conquistado, responda a uma pergunta: Senhor o que aprendo aqui?

Quantas batalhas você já travou? Quantas vezes ele já te livrou? Ao final dela, o que você aprendeu? Isto faz toda a diferença para você enfrentar a próxima batalha. Davi disse: “ainda que um exército me cercasse, o meu coração não temeria” (Salmo 27.3). Ele viveu um dia, um cerco de um exército de inimigos, mas Deus lhe deu o livramento. Ele experimentou. Quem passa por batalhas, precisa aprender com elas. Tem pessoas que passam pelas batalhas várias vezes e reage exatamente igual da mesma forma. Com os mesmos medos, com os mesmos erros. Não seja assim! Saiba como fazer! Consulte o Senhor. A cada batalha pergunte ao Senhor: o que aprendo aqui? Você tem que aprender alguma coisa! Quem não aprende, repete a lição várias vezes, até aprender a lição. Deus não vai te colocar em níveis maiores, sem te colocar na prova. O que você tem aprendido com as batalhas que você tem passado? Você tem que aprender! Tem aprender nesta situação!

Quem sabe você não tem aprendido nada com a batalha, e você já está enfraquecido. Deus pode fortalecer o seu coração para as batalhas que virão! Não queria repetir esta lição nunca mais! É a última vez. Aprende esta lição! O Senhor vai te dar vitória!

Por, Marcos Sedecias.

2 Responses to As batalhas da nossa vida

  1. valter rossetto disse:

    meus inimigos me persegguem mas creio que Deus proverá a minha vitória

    • Francisco Wlademir Galvan disse:

      Sempre seremos perseguidos enquanto estivermos nessa terra, porque o inimigo não aceita a nossa vitória porque ele é o derrotado. Permaneça firme com Jesus e o diabo fugirá de vós, conforme a Palavra de Deus em Tiago capítulo 4 e versículo 7.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Google Translate »