Aproveitando as oportunidades

“Tendo Jesus saído de casa naquele dia […] ajuntou-se muita gente ao pé dele […] e falou-lhes muitas coisas por parábolas […] Então, tendo despedido a multidão foi Jesus para casa” (Mateus 13.1-3, 36).

Aproveitando as oportunidadesDe certa forma, damos ritmo às atividades diárias em função de nossas propriedades, e assim ditamos o rumo de nossa vida. Normalmente essas atividades estão muito focadas nos imediatismos da correria do nosso dia-a-dia: trabalho, estudos, compras, concursos, etc. Quase que invariavelmente não reservamos tempo “de qualidade” para nossas necessidades espirituais: às vezes, meditamos pouco na Palavra de Deus; quase não reservamos tempo suficiente para estarmos “a sós” com o Mestre em oração; por vezes vamos “dominicalmente” à igreja para cumprirmos nossa “obrigação” religiosa; etc.

Tão séria é esta questão que o Senhor Jesus advertiu a Seus contemporâneos que “como aconteceu nos dias de Noé, assim será também nos dias do Filho do Homem. Comiam, bebiam, casavam e davam-se em casamento, até ao dia em que Noé entrou na arca, e veio o dilúvio e consumiu a todos” (Lucas 17.26, 27). Evidentemente o Senhor não era contra aquelas atividades seculares normais e passageiras da vida de Seus ouvintes. O que Ele questionava era a falta de prioridades para a vida espiritual e os valores eternos.

Acompanhando um dia de atividades do Senhor Jesus, descrito em Mateus 13.1-53, O vemos saindo de casa (v. 1); sendo rodeado por uma multidão (v. 2); aproveitando a ocasião para anunciar-lhes, por parábolas, seu assunto prioritário: o Reino dos Céus; retornando para casa (v. 36); aprofundando o mesmo assunto particularmente com os discípulos (v. 37-52) e retirando-se para outro local (v. 53).

O assunto “Reino dos Céus” era tão prioritário para o Senhor Jesus que Ele repetiu essa expressão várias vezes naquela ocasião (vs. 11, 24, 31, 33, 43, 44, 45, 47, 52). Afinal de contas Ele veio para anunciar tal Reino: “Mas,  se eu expulso demônios pelo Espírito de Deus, é conseguintemente chegado a vós o Reino de Deus” (Mateus 12.28). E Ele não perdia a oportunidade de fazê-lo.

Com a intenção de deixar bem claro para Seus ouvintes o significado do Reino, a importância e a relevância do Reino, a presença do Reino entre eles, etc., o Senhor Jesus ilustrou-o com inúmeras parábolas a partir da expressão “o Reino dos Céus é semelhante”. Numa dessas ilustrações ele comparou-o “ao homem negociante que busca boas pérolas; e, encontrando uma pérola de grande valor, foi, e vendeu tudo quanto tinha e comprou-a”. Ou seja, aquele negociante estava em suas atividades seculares, mas buscou tempo para encontrar a pérola de grande valor – JESUS. Encontrando-o reputou todos seus ganhos materiais como nada e vendeu-os para adquirir  aquela pérola.

Todos nós, salvos em Cristo, já encontramos essa preciosa  pérola. Vamos valorizá-lo! Vamos dar mais atenção a Ele! Vamos estreitar nossa comunhão com Ele! Tal como Ele, vamos aproveitar as ocasiões para anunciar o Reino dos Céus às multidões que nos cercam!

Nos próximos anos de 2014 e 2016 teremos uma oportunidade ímpar em nossa nação. A Copa do Mundo e as Olimpíadas. Eventos de natureza futebolística e de várias modalidades esportivas que atraem multidões. O mundo para! Os olhares se voltam para os locais de grande acontecimento. As nações envolvidas nos grandes embates se fazem representar nesses locais. A mídia internacional, especialmente a televisão e a internet, foca o tema com grande destaque. Há projeção dos eventos e do país de sua realização em todo o mundo. Que grande oportunidade para anunciarmos o Reino de Deus! Vamos aproveitá-la?! A resposta é óbvia “sim”, mas… Como faremos? Creio que a resposta a essa pergunta é: Com ações inteligentes, bem coordenadas e de impacto às massas que aqui estarão.

É necessário lembrarmos que os recentes e legítimos movimentos democráticos, em junho do ano passado, que levaram multidões às ruas exigindo revisão de algumas leis e melhorias na administração do erário público, etc., descambaram para ações isoladas de alguns grupelhos anarquistas que, infiltrados nos movimentos, promoveram vandalismo, destruição e terror. Em função disto as legítimas forças públicas, responsáveis pela manutenção da ordem, tiveram que agir com mão firme e tomar medidas legais preventivas para o impedimento de que ações dessa natureza não ocorram nos grandes eventos como a Copa do Mundo de 2014 e as Olimpíadas em 2016. Daí a necessidade de ações inteligentes, coordenadas e de impacto por parte da Igreja para o efetivo aproveitamento dessas oportunidades.

Quando digo “ações inteligentes” me refiro às ações evangelísticas nos pontos turísticos das cidades onde ocorrerão os jogos, nos lugares de acesso (chegada, partida e trânsito) dos turistas como rodoviárias, aeroportos, hotéis, monumentos etc.; e não especificamente nos locais onde acontecerão os jogos porque esses, certamente, estarão mais bem guarnecidos pelas forças públicas, e até mesmo de acesso restrito, para que sejam evitadas as badernas dos vândalos.

Quando me refiro às “ações bem coordenadas” reporto-me às atividades conjuntas das Igrejas evangélicas sediadas nas áreas onde ocorrerão as ações evangelísticas, sem que essas se predam aos seus rótulos denominacionais e com o objetivo único da promoção do Reino de Deus. Essas ações deverão envolver oração, utilização de material evangelístico multi-idiomático, uso de intérpretes, disponibilização de espaços para atividades sociais de pequena ou grande monta, etc., com o fito de espalhar o nome de Jesus.

Quando cito “Ações de impacto” dirijo-me ao somatório das ações anteriores de tal maneira que elas venham produzir efeito de longo prazo e não somente no momento de sua realização; e por “longo prazo” refiro-me a seus efeitos eternos. Isto só ocorrerá se houver amor dos envolvidos em todo processo. O amor é a mola propulsora e que dá legitimidade na promoção do Reino de Deus. Portanto essas ações de impacto exigirão das Igrejas envolvidas uma boa dose de humildade, quebrantamento, oração, visão de Reino e integração para o aproveitamento dessas grandes oportunidades evangelizadoras.

Certamente aqueles que serão alcançados serão, também, semeadores no retorno às suas terras a exemplo do mordomo etíope que, depois de alcançado “jubiloso, continuou seu caminho” (Atos 8.40), e a História Eclesiástica dá conta que ele foi um dos semeadores do Evangelho em sua pátria. Devemos considerar, ainda, que estarão entre nós representantes de países onde ha perseguição à Igreja e são fechados para o Evangelho. Se esses representantes forem alcançados, que maravilhosa oportunidade para o fortalecimento da Igreja em seus países e para a expansão do Reino de Deus!.

O aproveitamento dessas grandes oportunidades para a evangelização, além da expansão do Reino dos Céus, também nos dará a oportunidade de contribuirmos significativamente para o apressamento do grande evento da História da Humanidade: A volta do Senhor Jesus. Isso por que esse episódio ocorrerá após o anúncio do Evangelho a todos povos e nações (etnias), nos termos de Mateus 24.14. Este é um motivo a mais para aproveitarmos essas oportunidades.

No episódio narrado em Mateus 13.1-36, destaco as expressões “tendo Jesus saído de casa naquele dia” e “foi Jesus para casa”, para ressaltar as atividades do Mestre naquele dia e como Ele aproveitou as oportunidades que surgiram para anunciar o Reino dos Céus. Aprendendo com Ele, e a exemplo de Sua ações, aproveitemos as oportunidades preciosas que se nos apresentarão em 2014 e 2016 para a proclamação do Reino de Deus.

Que o amor que motivou a prioridade mostrada por Jesus em Suas atividades naquele dia seja o mesmo que oriente as nossas atividades diárias, especialmente por ocasião desses grandes eventos que se aproximam, e que assim contribuamos para a glória de Deus e  para o apressamento do retorno do Mestre.

Desejo que você e eu tenhamos uma boa colheita para o Reino dos Céus em nossas atividades ao longo desses anos que se aproximam.

Deus te abençoe!

Por, Celso de Castro Costa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Google Translate »