Anjos geraram filhos com mulheres?

Anjos geraram filhos com mulheresA expressão “filhos de Deus”, ou “filho de Deus”, tem emprego variado na Bíblia. Em cada caso em que aparece a referida expressão é imperioso buscar e manter a analogia geral das Sagradas Escrituras; uma vez que essa analogia geral é uma inconteste na Bíblia, do seu princípio ao fim.

Cabe aqui o que está escrito em 2 Pedro 1.20 “Nenhuma profecia da Escritura é de particular interpretação”.

A passagem de Gênesis 6.2, 4:

1) Quanto a expressão “filhos de Deus”, na passagem de Gênesis 6.2, 4, um exemplo cuidadoso desse texto, justaposto ao contexto geral das Sagradas Escrituras (como já citado em 2 Pedro 1.20), mostrará que “filhos de Deus” aí, trata-se da descendência crente, fiel, separada, e temente a Deus, de Sete, filho de Adão e Eva (Gênesis 4.25, 26; 5.3-8; 1 Crônicas 1.1-27).

2)Sete, o filho de Adão (Gênesis 5.3-8), significa em hebraico “nomeado, designado, indicado”, certamente porque seus pais, Adão e Eva, viram nele a futura descendência, da qual viria o mundo e o divinamente prometido Messias, o Salvador da humanidade (Gênesis 3.15).

3) Alguém difundir que os “filhos de Deus”, em Gênesis 6.2, 4 significa anjos, é não conhecer a Escritura, e pior ainda, é ensinar que a referida passagem trata da união carnal de anjos e mulheres apóstatas e decaídas daquela época tenebrosa. Ora, conforme declara  a Bíblia em Lucas 22.34-36; Marcos 2.24, 25; e Mateus 22.29, 30, os anjos, consoante a sua ordem de seres celestiais diferente da do homem não se casam; não têm relacionamento conjugal; não procriam.

As incontáveis multidões de anjos passaram a existir por um ato de criação de Deus, e não pelo princípio de geração, como se dá com o ser humano (Gênesis 1.28).

1) Gênesis 6.4 – “Gigantes” – O mesmo termo hebraico (nephilim), aparece somente mais uma vez no Antigo Testamento, em Números 13.33. O versículo 4, aqui em evidência, declara que aqueles “gigantes” eram homens (“varões”). O termo hebraico acima, traduzido “gigantes”, em nossas Bíblias, não se refere tanto à grande estatura e corpo agigantado do indivíduo, mas antes, à sua valentia, violência, desacato, agressividade, truculência, atrocidade, bestialidade, crueldade, brutalidade, vandalismo; referindo-se também, é óbvio, ao gigantismo físico.

2) Gênesis, capítulo 3 (todo) – Aqui temos o registro bíblico da queda de Adão e Eva no pecado, no Éden, e sua expulsão de lá, por Deus (Gênesis 3.23, 24; Romanos 5.12).

3)Gênesis 4.1-24 – Caim, filho de Adão, e sua descendência apóstata, decaída socialmente, e depravada moralmente. Esta passagem deve ser lida com muita reflexão.

4) Gênesis 4.25, 26 – Aqui vemos o filho de Adão e Eva, Sete e sua descendência temente a Deus, inclusive Enoque, o qual “andou com Deus” (Gênesis 5.18-24), e a seguir, Deus transladou para as mansões celestiais (Hebreus 11.5).

5) Gênesis, capítulo 6 – As “filhas dos homens”, nos versículos 2 e 4, procedem dos povos apóstatas e ímpios, descendentes de Caim, e não dos povos piedosos oriundos de Sete (Gênesis 4.26). Nos versículos 2 a 13, vemos os povos desviados, apóstatas e ímpios, descendentes de Caim, e sua união com a descendência temente a Deus, de Sete, o que resultou num justo e terrível juízo divino: o Dilúvio destruidor (Gênesis, cap. 6; 7). Nos versículos 2 a 4, a expressão “filhos de Deus”, não se refere aos povos descendentes de Caim, uma vez que eles afundaram nos mais terríveis pecados, como vemos em Gênesis 4.17-24; 6.1-13; 1 João 3.12, e assim, jamais poderiam ser chamados na Escritura, de “filhos de Deus” também jamais poderiam ser anjos decaídos, pois estando eles decaídos, não poderiam ser chamados “filhos de Deus”. Os anjos decaídos são filhos das trevas; não “filhos de Deus”.

Por, Antonio Gilberto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Google Translate »