A poderosa mensagem da cruz de Cristo

A poderosa mensagem da cruz de CristoA sociedade do século 21 é eminentemente visual e encontra na linguagem simbólica um dos seus mais ricos mecanismos de comunicação e aprendizado, de modo que nela os conceitos sem imagens mostram-se estéreis.

O cristão tem na cruz de Cristo um dos mais significativos símbolos de expressão de sua identidade e comprometimento com o nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo. O ato histórico-teológico da crucificação de Cristo, mesmo em tempos de tanto triunfalismo antropocêntrico, Ele ainda mantém-se como um elemento central da fé cristã. Embora, saibamos que é a ressurreição de Cristo que dá sentido à sua crucificação, o cristão é consciente que sem o ato salvífico da cruz não haveria cristianismo.

A cruz deve ser compreendida para além de suas dimensões de sofrimento histórico, ela necessita ser vista de uma perspectiva teológica. Uma compreensão doutrinal da cruz conduz o cristão a entender que é nela que ocorre toda a fundamentação da salvação de um cristão. A aceitação do ato sacrificial do calvário é que abre as portas para que o indivíduo nasça de novo, conforme ensinou Jesus a Nicodemos, e assim possa compreender e entrar no Reino de Deus. De maneira que é a partir dessa rendição ao perfeito e terno sacrifício de Cristo que o homem torna-se filho de Deus, e assim torna esse ato redentivo o centro de sua vida de fé, e, por conseguinte, ele passa a viver diariamente centrado na cruz e a partir dela desenvolve sua salvação.

A riqueza da doutrina da cruz de Cristo é tão profunda que, por vezes, ela perpassa à compreensão humana, de modo que o apóstolo Paulo expressa que para muitos ela não passa de uma loucura. Todavia, o mesmo Paulo afirma que para nós que cremos essa loucura é sinônimo de salvação. Na cruz de Cristo nós podemos encontrar a revelação de toda pecaminosidade e atrocidade humana, ao ferir o justo como injusto, ao submeter um homem puro e sem pecado à dor dos cravos e das chicotadas, de chumbo e osso de carneiro, da lança e da coroa, de castigá-lo sem Ele merecer, mas no mal humano revelado é que se expressa o castigo que nos trouxe a paz. Lá na crucificação do Senhor Jesus entende-se a insuficiência humana em salvar-se, a ineficácia dos sacrifícios de animais; na cruz entende-se que o esvaziar-se de Cristo e o seu sofrer até dar o brado de “está consumado”, era o único meio de redenção à humanidade.

Os salvos podem entender a grandeza espiritual de um tão doloroso momento histórico, pois no derramar do sangue do Cordeiro sem mancha e sem pecado é que o homem encontra sua redenção – ele volta a estar com a dívida paga com nosso inimigo; sua libertação – a cédula da sua condenação é cravada na cruz e nada mais há que condene o que está em Cristo Jesus; sua justificação – o homem torna-se justo diante de Deus; sua santificação – aquele que torna filho de Deus agora pode viver separado para ser propriedade exclusiva do Senhor.

Celebramos a mensagem da cruz. Sim, pois ela é para nós motivo de júbilo, pois é na cruz que temos nosso mais sublime instrumento de fé, é nela que nossa história divide-se em antes e depois de cair aos pés do Salvador. É lá que entendemos a grandeza do véu do templo se rasgar de alto a baixo e nós agora podemos ter acesso direto ao coração de Deus, de podermos falar face a face com o Senhor. Somente com uma vida centrada na cruz de Cristo, ou seja, estando nela crucificados todos os dias como nos ensina o apóstolo Paulo, é que desenvolvemos uma verdadeira espiritualidade, visto que uma vida espiritual que não nasça de uma pedagogia da cruz, é nula, triunfalista, religiosa e sem vida, é impossível que nos mantenhamos espiritualmente vivos sem que estejamos continuamente sob a sombra da cruz de Nosso Senhor.

Na cruz encontramos o sublime convite de Cristo para que encontremos nEle a salvação, e não percebemos. Com os olhos no autor e consumador da nossa  redenção é que encontramos a verdadeira essência de uma fé que vai para além dos sentidos naturais. É na cruz que o Evangelho, que é loucura para os homens naturais, faz sentido. Na cruz, todos os dias, o cristão volta e tem sua vida alimentada, e assim encontramos forças para mais uma caminhada vitoriosa em nossa jornada diária rumo à eternidade com Deus.

Por, Josué Cipriano.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Google Translate »