Como ser Salvo?

O que você precisa fazer para ir para o Inferno e o que você precisa fazer para ir para o Céu

As respostas que serão dadas a seguir respondem o histórico questionamento humanista “de onde vim e para onde vou?”. Afirmativa e solenemente, a humanidade tem recebido, sistemática e ininterruptamente, estas respostas por boca e mão do próprio Criador dos homens, todavia, a desgraça de muitos consiste e consistirá, agora e nos tempos eternos, em não lhe terem dado ouvidos, como está escrito neste profundo, porém simples, trecho das Escrituras:

“Grita na rua a Sabedoria, nas praças, levanta a voz; do alto dos muros clama, à entrada das portas e nas cidades profere as suas palavras: Até quando, ó néscios, amareis a necedade? E vós, escarnecedores, desejareis o escárnio? E vós, loucos, aborrecereis o conhecimento? Atentai para a minha repreensão; eis que derramarei copiosamente para vós outros o meu espírito e vos farei saber as minhas palavras. Mas, porque clamei, e vós recusastes; porque estendi a mão, e não houve quem atendesse; antes, rejeitastes todo o meu conselho e não quisestes a minha repreensão; também eu me rirei na vossa desventura, e, em vindo o vosso terror, eu zombarei, em vindo o vosso terror como a tempestade, em vindo a vossa perdição como o redemoinho, quando vos chegar o aperto e a angústia. Então, me invocarão, mas eu não responderei; procurar-me-ão, porém não me hão de achar. Porquanto aborreceram o conhecimento e não preferiram o temor do SENHOR; não quiseram o meu conselho e desprezaram toda a minha repreensão. Portanto, comerão do fruto do seu procedimento e dos seus próprios conselhos se fartarão. Os néscios são mortos por seu desvio, e aos loucos a sua impressão de bem-estar os leva à perdição. Mas o que me der ouvidos habitará seguro, tranquilo e sem temor do mal” (Provérbios 1.20-33)

O que você precisa fazer para ir para o Inferno?

Resposta: Nada! A entrada para a morte eterna (Inferno) já está garantida a todos os descendentes de Adão, o qual introduziu o pecado no mundo e é o pai de toda a raça humana, nascida debaixo de maldição por causa de Adão.

“E a Adão disse: Visto que atendeste a voz de tua mulher e comeste da árvore que eu te ordenara não comesses, maldita é a terra por tua causa; em fadigas obterás dela o sustento durante os dias de tua vida” (Gênesis 3.17).

“Pois assim como, por uma só ofensa, veio o juízo sobre todos os homens para condenação, assim também, por um só ato de justiça, veio a graça sobre todos os homens para a justificação que dá vida. Porque, como, pela desobediência de um só homem, muitos se tornaram pecadores, assim também, por meio da obediência de um só, muitos se tornarão justos” (Romanos 5.18-19).

Importante observar que a ordem de Deus: “Sede fecundos, multiplicai-vos, enchei a terra e sujeitai-a”, só foi cumprida após a queda de Adão. Observe a sequência:

Deus cria o homem:

“Criou Deus, pois, o homem à sua imagem, à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou. E Deus os abençoou e lhes disse: Sede fecundos, multiplicai-vos, enchei a terra e sujeitai-a; dominai sobre os peixes do mar, sobre as aves dos céus e sobre todo animal que rasteja pela terra” (Gênesis 1.27, 28)

O Homem peca:

“Mas a serpente, mais sagaz que todos os animais selváticos que o SENHOR Deus tinha feito, disse à mulher: É assim que Deus disse: Não comereis de toda árvore do jardim? Respondeu-lhe a mulher: Do fruto das árvores do jardim podemos comer, mas do fruto da árvore que está no meio do jardim, disse Deus: Dele não comereis, nem tocareis nele, para que não morrais. Então, a serpente disse à mulher: É certo que não morrereis. Porque Deus sabe que no dia em que dele comerdes se vos abrirão os olhos e, como Deus, sereis conhecedores do bem e do mal. Vendo a mulher que a árvore era boa para se comer, agradável aos olhos e árvore desejável para dar entendimento, tomou-lhe do fruto e comeu e deu também ao marido, e ele comeu” (Gênesis 3.1-6).

O Homem se multiplica:

“Coabitou o homem com Eva, sua mulher. Esta concebeu e deu à luz a Caim; então, disse: Adquiri um varão com o auxílio do SENHOR” (Gênesis 4.1).

Desta forma, toda a raça humana, descendente de Adão, segundo a carne, traz consigo todas as imperfeições de seu pai, incluindo a inclinação para o pecado, pois de Adão Deus fez toda a humanidade:

“De um só fez toda a raça humana para habitar sobre toda a face da terra, havendo fixado os tempos previamente estabelecidos e os limites da sua habitação” (Atos 17.26).

E ao longo de toda a história da humanidade o homem tem demonstrado ser um ser mau, arrogante e corrupto, multiplicador de injustiças e de toda sorte de males: Assassinatos, adultérios, perversões sexuais, idolatrias, feitiçaria, roubos, extorsões, sequestros, genocídios, traições, subornos, mentiras, fraudes, hipocrisia, blasfêmias, covardias, abuso de crianças, crueldade com os animais, dentre outras e até mesmo invocações de Satanás, o inimigo de Deus. E por estas coisas é que sobrevirá a ira de Deus no dia do juízo, quando o Criador e Juiz de todos retribuirá, em justa medida, os pecadores por todos os males que cometeram.

“Portanto, assim como por um só homem entrou o pecado no mundo, e pelo pecado, a morte, assim também a morte passou a todos os homens, porque todos pecaram” (Romanos 5.12).

O mais incrível é que o homem tem conhecimento de Deus pelas coisas que foram criadas, e ainda assim, não somente lhe negam a glória e a honra devidas, mas se cercam das mais diferentes correntes de pensamentos filosóficos e de falsas religiões, em uma tentativa inútil de escapar da realidade da condição natural de criatura e também procurando fugir da própria consciência e do juízo vindouro.

“A ira de Deus se revela do céu contra toda impiedade e perversão dos homens que detêm a verdade pela injustiça; porquanto o que de Deus se pode conhecer é manifesto entre eles, porque Deus lhes manifestou. Porque os atributos invisíveis de Deus, assim o seu eterno poder, como também a sua própria divindade, claramente se reconhecem, desde o princípio do mundo, sendo percebidos por meio das coisas que foram criadas. Tais homens são, por isso, indesculpáveis; porquanto, tendo conhecimento de Deus, não o glorificaram como Deus, nem lhe deram graças; antes, se tornaram nulos em seus próprios raciocínios, obscurecendo-se-lhes o coração insensato. Inculcando-se por sábios, tornaram-se loucos” (Romanos 1.18-22).

O que você precisa fazer para ir para o Céu?

Deixemos que o próprio Salvador responda a esta pergunta:

“Porque Deus amou ao mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo o que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna. Porquanto Deus enviou o seu Filho ao mundo, não para que julgasse o mundo, mas para que o mundo fosse salvo por ele. Quem nele crê não é julgado; o que não crê já está julgado, porquanto não crê no nome do unigênito Filho de Deus. O julgamento é este: que a luz veio ao mundo, e os homens amaram mais as trevas do que a luz; porque as suas obras eram más. Pois todo aquele que pratica o mal aborrece a luz e não se chega para a luz, a fim de não serem arguidas as suas obras. Quem pratica a verdade aproxima-se da luz, a fim de que as suas obras sejam manifestas, porque feitas em Deus” (João 3.16-21).

Como já visto acima, Adão introduziu o pecado no mundo e, por causa de Adão, todos estão debaixo do pecado, pois todos pecaram. Aliás, como também já dito, os homens têm feito mais do que merecer a condenação eterna, testificando contra eles próprios as suas obras, de que são filhos caídos de um pai decaído.

As Boas Novas, a Solução

A fim de demonstrar aos homens a sua própria imperfeição e os males que cometem e a impossibilidade de se salvarem a si próprios, Deus formulou uma Lei de Conduta, a qual entregou a Moisés a fim de que pela obediência a esta Lei o homem pudesse ser salvo. A Lei de Moisés prometia a salvação para quem a cumprisse, na íntegra e sem falhas, e prometia a condenação para quem descumprisse um único mandamento dela. Todavia, devido às imperfeições do homem, este não foi capaz de cumprir esta Lei, tendo ficado declarado, de uma vez por todas, que o homem não pode salvar-se a si próprio:

“Porquanto o que fora impossível à lei, no que estava enferma pela carne, isso fez Deus enviando o seu próprio Filho em semelhança de carne pecaminosa e no tocante ao pecado; e, com efeito, condenou Deus, na carne, o pecado, a fim de que o preceito da lei se cumprisse em nós, que não andamos segundo a carne, mas segundo o Espírito” (Romanos 8.3, 4).

Para solucionar este problema, também de uma vez por todas, o próprio Deus veio ao mundo em forma humana e se revelou ao mundo como Jesus Cristo, o qual cumpriu toda a Lei de Moisés e ganhou, por seus próprios méritos, o direito à vida eterna prometido na Lei:

“Portanto, os meus estatutos e os meus juízos guardareis; cumprindo-os, o homem viverá por eles. Eu sou o SENHOR” (Levítico 18.5).

Todavia, por nossa causa, o Vencedor e Conquistador de todos os muitos benefícios temporais e eternos da Lei, decidiu trocar Seu direito conquistado pelo sacrifício em favor de todos os que não conseguiram cumprir a Lei de Moisés, tendo entregue, por espontânea vontade, sua vida como preço pelo resgate de muitos. Por isso Deus fez recair sobre Ele toda a maldição da Lei, e o Justo morreu pelos injustos.

“Cristo nos resgatou da maldição da lei, fazendo-se ele próprio maldição em nosso lugar porque está escrito: Maldito todo aquele que for pendurado em madeiro” (Gálatas 3.13).

“Mas ele foi traspassado pelas nossas transgressões e moído pelas nossas iniquidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados. Todos nós andávamos desgarrados como ovelhas; cada um se desviava pelo caminho, mas o SENHOR fez cair sobre ele a iniquidade de nós todos” (Isaías 53.5, 6)

E esta maravilhosa e gratuita salvação se expressa e está contida no Evangelho do Senhor Jesus Cristo, como está escrito:

“Pois não me envergonho do evangelho, porque é o poder de Deus para a salvação de todo aquele que crê, primeiro do judeu e também do grego” (Romanos 1.16).

De modo bem simples e prático o homem que desejar ser salvo da condenação eterna, e o que é o mais importante, estar e permanecer na presença do Criador hoje e pelos séculos dos séculos precisa:

  1. Reconhecer seus próprios erros e pecados, sabendo que sem o perdão dos pecados ninguém jamais poderá ser salvo.
  2. Decidir se humilhar diante do Salvador, o Senhor Jesus Cristo, e assumir um compromisso com Ele, qual seja, proclamar em seu coração, em sua mente e com sua própria boca que deseja que o Senhor Jesus Cristo seja o Rei sobre a sua vida. Isto significa a rejeição a todo e qualquer deus (inclusive a arrogante personalidade humana que tende a se comportar como se fosse o deus da vida e do destino do homem).
  3. Invocar o Senhor Jesus Cristo, o qual está vivo à destra de Deus e confessar-lhe todos os seus pecados. Evidentemente o perdão de Deus abrangerá todos os pecados que o homem já cometeu, mesmo que deles não se lembre.
  4. Ser batizado, em conformidade com o Evangelho.
  5. Viver segundo o Evangelho.
  6. Perseverar no Evangelho até o fim da sua vida.
  7. Confessar ao Senhor Jesus Cristo diante dos homens.

Estes são os passos básicos e fundamentais para a salvação de todo e qualquer ser humano, seja quem for e esteja onde estiver ou como estiver.

“Vinde a mim, todos os que estais cansados e sobrecarregados, e eu vos aliviarei. Tomai sobre vós o meu jugo e aprendei de mim, porque sou manso e humilde de coração; e achareis descanso para a vossa alma. Porque o meu jugo é suave, e o meu fardo é leve” (Palavras do Senhor Jesus Cristo em, Mateus 11.28-30).

Se você tomou a decisão de aceitar Jesus através deste site, ou foi tocado por Deus a procurar uma igreja, aconselho que você procure a Assembleia de Deus mais próxima de sua casa e fale com o pastor dessa igreja. Não esqueça de dizer que você foi alcançada por Jesus através desse site.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *