Ante o Tribunal de Cristo

Ante o Tribunal de CristoDepois da ressurreição dos mortos e do arrebatamento da Igreja, os salvos deverão ter julgadas as suas obras (2Co 5.10). O julgamento não será pela quantidade de trabalhos que realizamos, mas, pela qualidade do que fizemos. Precisamos ter cuidado com o que fazemos (1Co 3.10). O apóstolo Paulo chama nossa atenção para nossas obras, que são comparadas com ouro, prata, pedras preciosas, madeira, feno e palha.

Depois de provadas nossas obras, receberemos galardão (1 Coríntios 3.11-15). É bom sempre lembrar que galardão não é o mesmo que salvação. É um prêmio que muitos receberão como recompensa pelo seu trabalho na obra de Deus.

A maioria de nós espera receber galardão. Alguns crentes, porém, dizem-se satisfeitos somente em chegar ao Céu, porém os que trabalham fielmente desejam receber o seu galardão, sua coroa.

Galardão nos fala dos motivos que nos levam a nos envolver no trabalho do Senhor: desejo de servir à Igreja, aos irmãos, a Deus? Ou vaidade, ambição, posição de mando, porfia, inveja? O Senhor conhece as intenções mais secretas da nossa vida, quando Lhe prestamos os nossos trabalhos. Ele conhece nossa sinceridade, dedicação, amor; também vê se usamos a nossa fé somente em benefício de nós mesmos.

Receberão a “coroa” aqueles que fizeram a obra de Deus com sinceridade, amor e dedicação. A Bíblia nos fala de cinco diferentes coroas:

1) A coroa incorruptível – Recebem os que têm uma vida pautada na Palavra de Deus, disciplinada;

2)A coroa da vida – Recebem aqueles que com paciência enfrentam e vencem as provações: “Bem-aventurado o varão que sofre a tentação; porque, quando for provado, receberá a coroa da vida” (Tiago 1.12);

3) A coroa de gozo – É dada àqueles que expressam sua fé com alegria: “Porque, qual é a nossa esperança, ou gozo, ou coroa de glória? Porventura não o sois vós também diante do Nosso Senhor Jesus Cristo em sua vinda?” (1 Tessalonicenses 2.19,20;

4) A coroa de glória – Recebem os que são fiéis ao ministério da Palavra. “E, quando aparecer o Sumo Pastor, alcançareis a incorruptível coroa de glória” (1 Pedro 5.4);

5) A coroa da Justiça – É dada aos que amarem a Vinda do Senhor (2 Timóteo 4.8).

Há muitos crentes tão envolvidos com as coisas materiais que não têm tempo para se dedicar à obra de Deus. Os olhos de Deus vêem! Ele mede, conta e pesa nossas obras (Apocalipse 11.1; Daniel 5.24-27).

No dia da prestação de contas com Deus, muitos terão grande decepção. Viveremos o momento da verdade. Ali não haverá engano nem desculpas, tudo estará descoberto e exposto. Haverá muitas surpresas! Alguém que pensava ser grande se verá pequeno. Expressivos pregadores verão que o seu sucesso era resposta das orações da dedicada esposa e de muitos outros irmãos. Alguns estão gastando nababescamente, enquanto sua Igreja passa por serias dificuldades. São insensíveis às necessidades da Igreja, não são fiéis nos seus dízimos e nem nas ofertas alçadas.

Devemos ter muito cuidado com nossas palavras e ações, pois Deus tudo vê; o que fazemos às claras e o que fazemos em oculto; tudo está patente aos Seus olhos. Quando as obras realizadas na carne e não no poder do Espírito Santo forem reveladas, será desolador: ”Filhinhos, agora permaneçam nEle para que, quando Ele se manifestar, tenhamos confiança e não sejamos envergonhados diante dEle na sua vinda” (1 Joao. 2.28–NVI).

Enfim, para muitos, o Tribunal de Cristo será um terror; mas, para outros, será um lugar de triunfo, de grande alegria.

Por, Pastor José Wellington Bezerra da Costa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *