Curado de nódulo maligno metastático

Warley, da Assembleia de Deus em Paragominas (PA), venceu o prognóstico médico e, sem sequelas, prega hoje a Palavra de Deus dentro do hospital

Curado de nódulo maligno metastáticoO irmão Warley Costa da Conceição viveu uma situação muito dolorosa, porém seguida de um grande milagre que mudou toda sua vida. Fiel obreiro da Casa do Senhor, ele congrega há 10 anos na AD em Paragominas (PA), congregação Monte Sinai, liderada pelo pastor Levi Botelho – onde é conhecido por todos como “irmão Ricardo”.

Em agosto de 2014, surgiu um nódulo do lado direito do seu pescoço. Ele conta que como não havia nenhum incômodo, a princípio não deu importância. Até que, passados alguns dias, começou o desconforto e o mal estar, além de perceber que o nódulo estava crescendo. Ele assustou-se muito ao ouvir de um médico em Teresina (PI) que seu caso era cirúrgico e havia riscos sérios de deixar sequelas permanentes. “O médico me disse que a cirurgia era muito delicada e eu poderia perder os movimentos do braço direito. Diante desse quadro assustador, comecei a clamar ao Senhor. Sem imaginar que o pior ainda estava por vir”, relata Warley.

Após uma série de exames solicitados, inclusive uma biópsia de Punção de Linfonodo dando negativo para câncer maligno, o médico realizou o procedimento cirúrgico. Passada a cirurgia e os 5 dias de recuperação no hospital, uma biópsia mais específica foi realizada com o material retirado. Warley já tinha retornado ao Pará, até que decorridos 4 dias recebeu uma ligação de seu médico pedindo autorização para fazer mais uma biópsia. “Depois de uma semana, recebi o diagnóstico: eu estava com câncer, um tipo de linfoma raro e muito agressivo. Minha esposa, Rosiléia Costa dos Santos, e eu ficamos extremamente abalados. Mas fomos aos pés do Senhor, clamar por misericórdia, pois só Ele poderia nos socorrer”.

Com exames e laudos em mãos, nosso irmão foi encaminhado à Belém do Pará para dar início ao tratamento. Porém, segundo Warley explica, mesmo no hospital da capital, com maior estrutura e melhores especialistas, ainda assim os médicos verificavam a biópsia do tumor e não sabiam explicar o tipo de linfoma que ele tinha. “A minha médica era considerada a melhor oncologista do Estado. Ela pesquisou o meu caso e mesmo assim não achou uma especificação. Só pôde me dizer que era um tipo de Linfoma raro e agressivo. Olhando para ela eu não podia ter esperança. Mas eu entreguei o caso para o meu Deus, o Todo-Poderoso e Médico dos médicos. Saí dali com uma fé muito grande em Deus. Porque os médicos, por melhores que sejam, falham, são limitados. Mas Deus não falha e Ele tudo pode!”, glorifica o irmão.

Então, em fevereiro de 2015, iniciou um árduo e doloroso tratamento com sessões de radioterapia e quimioterapia, mas sem muita perspectiva do ponto de vista médico, já que seu prognóstico para os especialistas era um tumor maligno metastático (formado por células cancerígenas que se espalham para além do local onde começou – sítio primário – atingindo outras partes do corpo). “Foi uma luta muito difícil, perdi mais de 20 quilos, vi pessoas fazendo radioterapia ao meu lado morrerem. Mas meus irmãos em Cristo, juntamente com familiares, permaneceram suplicando ao Senhor por minha cura e eu crendo em um milagre”, diz.

Antes do fim das sessões, nosso irmão conta que já estava tão fraco que seu corpo não resistia e precisou interromper os procedimentos. Contudo, não desistiu, perseverou na fé. “Quando eu já estava para fazer o exame PET-CT, – exame muito caro para saber se precisará de mais sessões do tratamento –, toda igreja me ajudou. Os irmãos, aos quais sempre serei grato, contribuíram com ofertas, mobilizações para arrecadar o dinheiro do exame”. Já perto de viajar para realizar o exame, irmão Ricardo conta que o Senhor usou um pregador convidado para falar com ele: ‘Deus te colocou naquele lugar para você pregar a Sua Palavra lá, para testemunhar que Ele tudo pode’. Eu nem tinha feito o exame ainda, mas tinha certeza pela fé que estava curado. Levei 200 panfletos de evangelismo, distribuí pelo hospital, testemunhando que Jesus me curou”, conta irmão Ricardo.

A fé do nosso irmão levando a poderosa Palavra de Deus fortaleceu inúmeras famílias, inclusive de crianças que estavam lutando contra o câncer. Muitos enfermos creram e várias pessoas naquele hospital aceitaram a Jesus.

“Eu comecei a entender que foi Deus que permitiu aquela enfermidade e ia usá-la para ser uma bênção, não uma maldição. Antes eu só queria trabalho, trabalho e trabalho. Como vendedor eu só acabava pensando em ganhar mais e mais dinheiro. Até que com essa enfermidade o Senhor me parou”, afirma. E o comerciante continua seu relato: “Eu confiava demais no trabalho e no dinheiro. Até que descobri que isso não é nada. Meu dinheiro acabou e me vi dependendo das ofertas dos irmãos, até para alimentar minha família. O Senhor me fez depender só dEle”.

Em 2015, ao pegar o resultado do importante exame, irmão Ricardo e sua esposa Rosiléia ouviram até mesmo os médicos admitirem que a sua fé o salvou. “Para a honra e glória do meu Deus, eu ouvi dos médicos o que tanto desejava: ‘Não existe mais nenhum câncer’. Dei uns três pulos de alegria ali na hora mesmo e falei de Jesus para eles. Até os médicos reconhecem que foi a minha fé em Deus que me curou”, testifica.

Hoje, nosso irmão, com a saúde restaurada e todos os movimentos do braço em perfeito estado, ainda prega a Palavra de Deus no hospital, contando a médicos e pacientes que “não há nada impossível para o Senhor Jesus, pois Ele é o mesmo que continua curando e salvando os que nEle crêem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *