A ação e a unção do Espírito Santo sobre nós

A ação e a unção do Espírito Santo sobre nósAo lermos Atos 2.1-4, observamos o destaque dado pelo evangelista Lucas à totalidade: todos reunidos esperando a promessa; um som como de um vento veemente e impetuoso “encheu toda a casa”; línguas repartidas como que de fogo foram vistas pousadas “sobre cada um deles”; “todos foram cheios do Espírito Santo”.

Quando analisamos os resultados da ação do Espírito Santo sobre eles, vemos o entusiasmo imediato: todos foram libertos da inibição e das formalidades. Transbordaram de alegria no Senhor. Foi tão grande a manifestação da alegria, que alguns disseram: “Estão embriagados”. Eles foram movidos a compartilhar o que sentiam com os outros, pois o crente cheio do Espírito Santo sente o desejo de comunicar a outros sobre o que desfruta a sua alma. Ele não perde oportunidade de falar da salvação.

Neste texto, vemos a obra do Espírito Santo. Por esta razão, eu senti o desejo de trazer-lhes uma mensagem sobre a unção do Espírito. Unção é o ato de untar com óleo, que é um dos símbolos do Espírito Santo. Em nossa vida espiritual, a unção é de muito valor, indispensável, insubstituível. Necessitamos da unção perene em todos os nossos atos. A unção tira dos nossos ombros a carga. Jesus nos garante alívio. Ela tira o jugo, a sujeição, a submissão ao mundo e ao pecado. Tira também o medo. Após a morte de Jesus, os discípulos, com medo, trancaram-se e a Igreja “parou”. Ao receberem o batismo com o Espírito Santo, encheram-se de animo e saíram curando pelo nome do Senhor, pregando, resistindo os inimigos, fazendo a obra de Deus.

Nós também recebemos desta unção: “E vós tendes a unção do Santo, e sabeis todas as coisas” (1 João 2.20). Somos ensinados pela unção: “E a unção que vós recebestes dele, fica em vós, e não tendes necessidade de que alguém vos ensine; mas, como a sua unção vos ensina todas as coisas, e é verdadeira, e não é mentira, como ela vos ensinou, assim nele permanecereis” (1 João 2.27). A unção nos abre as vistas: “Aconselho-te que de mim compres ouro provado no fogo, para que te enriqueças; e roupas brancas, para que te vistas, e não apareça a vergonha da tua nudez; e que unjas os teus olhos com colírio, para que vejas” (Apocalipse 3.18). O jugo é quebrado pela unção: “E acontecerá, naquele dia, que a sua carga será tirada do teu ombro, e o seu jugo do teu pescoço; e o jugo será despedaçado por causa da unção” (Isaías 10.27).

Sejamos obreiros ungidos, cantores ungidos, pregadores ungidos, músicos ungidos; tenhamos uma vida debaixo da unção de Deus.

Por, r José Wellington Bezerra da Costa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *