Um exército de cegos

Um exército de cegosVocê já imaginou um exército formado somente por gente cega e sendo conduzido por uma única pessoa? Imagine e creia, pois isso já aconteceu. Esse fato ocorreu na época do profeta Eliseu, no dia em que o rei da Síria fazia guerra contra Israel. E isso só aconteceu porque o rei da Síria queria prender esse profeta do Senhor a todo custo. Ele mandou que o seu exército saísse à procura de Eliseu que, segundo informações, se encontrava em Dotã. Como Deus revelava para Eliseu todos os movimentos que o exército sírio fazia (2 Reis 6.12), a ordem era prender o profeta e trazê-lo à presença do rei.

O texto de 2 Reis 6.14 mostra todo o aparato bélico que o rei da Síria preparou no intuito de prender o profeta Eliseu. Diz esse texto: “Então enviou para lá cavalos, e carros e um grande exército, os quais vieram de noite, e cercaram a cidade”. O moço de Eliseu, que, aliás, aparentemente não era lá muito crente, ao ver o exército, se assustou. Assim que o rapaz viu a tropa síria vir preparada para maniatar o seu senhor, o moço exclamou desesperado: “Ai, meu senhor! Que faremos?”

Sem muito esforço, já dá para perceber que esse rapaz não contava com a possibilidade da ajuda divina. Observe que ele preocupou-se com o que ele e o profeta Eliseu fariam, e não com aquilo que o Senhor poderia fazer para defendê-los.

Vendo o seu moço aflito, Eliseu apenas respondeu ao rapaz: “Não temas; porque mais são os que estão conosco do que os que estão com eles” (2 Reis 6.16).

Em seguida, o profeta fez ali uma oração, dizendo: “Senhor, peço-te que lhe abras os olhos, para que veja” (2 Reis 6.17a). Pronto! Não foi uma oração extensa, mas feita com uma fé inabalável em seu Deus. A prova é que o Senhor atendeu à oração de Eliseu, pois, na continuação, o mesmo texto diz: “E o Senhor abriu os olhos do moço, e viu; e eis que o monte estava cheio de cavalos e carros de fogo, em redor de Eliseu” (2 Reis 6.17b). Ou seja, Deus tinha colocado um poderoso exército para defender o seu profeta. Compare este texto com Apocalipse 19.14.

Entretanto, o melhor vem agora. Assim que o exército da Síria se aproximou para prender o profeta de Deus, percebeu que veio só perder tempo. Sabe o que aconteceu? Eliseu fez outra oração, totalmente diferente daquela que ele tinha acabado de fazer. Ele orou agora não para que os olhos fossem abertos, como acontecera com o seu moço, mas para que o Senhor cegasse todo o exército da Síria. A sua oração foi assim: “Fere, peço-te, esta gente de cegueira” (2 Reis 6.18b).

Então, a Bíblia mostra que o Senhor cegou todo aquele exército (2 Reis 6.18c). Imagine um exército de cegos! E Eliseu foi o condutor desse exército. Deus entregou nas mãos do profeta os seus inimigos. Eliseu poderia tê-los conduzido para um precipício para ali abandoná-los à própria sorte. Entretanto, ele os conduziu para outro lugar, conforme diz o texto: “Então Eliseu lhes disse: Não é este o caminho, nem é esta a cidade; segui-me, e guiar-vos-ei ao homem que buscais. E os guiou a Samaria” (2 Reis 6.19). Nesta época, Samaria era a capital do Reino de Israel, o Reino do Norte.

Assim que esse exército entrou na cidade, mais uma vez o profeta orou: “Ó Senhor, abre a estes os olhos para que vejam” (2 Reis 6.20b). Deus respondeu à sua oração. O texto é claro: “O Senhor lhes abriu os olhos, para que vissem, e eis que estavam no meio de Samaria” (2 Reis 6.20c).

Qual não terá sido o susto que todos aqueles soldados tomaram ao perceberem que estavam dentro de uma cidade inimiga! Recebendo assim, de “bandeja”, tantos inimigos dentro de sua cidade, o rei de Israel quis ali mesmo destruí-los, porém o profeta Eliseu não permitiu (2 Reis 6.21). Muito pelo contrário! Ao invés de mandar matá-los, Eliseu mandou que o rei mandasse servir comida farta para todos os soldados, e depois deixasse que todos eles fossem embora para a Síria. Isso foi feito com um lauto banquete (2 Reis 6.22,23).

Irmãos, o que vemos hoje são exércitos e mais exércitos de pessoas sendo conduzidas pelo “deus deste século”, Satanás, rumo à destruição. Isso está claríssimo em 2 Coríntios 4.4, que diz: “O deus deste século cegou os entendimentos dos in crédulos, para que lhes não resplandeça a luz do evangelho da glória de Cristo, que é a imagem de Deus”.

O que o mundo precisa é de um guia que liberte esses cegos e que os conduza pelo Verdadeiro Caminho! Jesus é esse Guia: “Porque de ti sairá o Guia que há de apascentar o meu povo…” (Mateus 2.6).

Não poderemos jamais nos esquecer de que a Igreja do Senhor tem uma poderosa tarefa a executar no mundo: anunciar o Evangelho, a fim de que os exércitos dos cegos espirituais enxerguem a Luz de Cristo (Mateus 4.16; Lucas 2.32; João 1.7,8; 3.19). Lembre-se do que disse Jesus: “Eu sou a luz do mundo; quem me segue não andará em trevas, mas terá a luz da vida” (João 8.12)

Que esses cegos vejam essa Luz!

Por, Moisés Soares da Câmara.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *