Retrospectiva 2016 e nossa expectativa futura

Retrospectiva 2016 e nossa expectativa futuraNo final de cada ano, os meios de comunicação, sobretudo os canais de televisão, costumam fazer suas retrospectivas. Nelas, são reprisadas matérias nacionais e internacionais dos fatos mais marcantes dos meses anteriores. Catástrofes ocorridas, falecimento de personalidades e mudanças nos cenários políticos e econômicos estão entre as matérias em destaque. Os fatos são os que mais repercutiram e ganharam notoriedade.

De janeiro a dezembro deste ano, entre as centenas de notícias publicadas no jornal Mensageiro da Paz, por exemplo, receberam destaque em capa importantes acontecimentos. No primeiro mês, noticiamos o projeto globalista da Organização das Nações Unidas, com importante capítulo escrito em setembro de 2015, com a apresentação de documento contendo “17 Objetivos Globais de Desenvolvimento Sustentável”, assinado por mais de 150 líderes mundiais, que intenciona identificação por meio de chips de toda a população mundial até o ano de 2030. No mês de fevereiro, falamos sobre a crise vivida pelo Brasil em todos os níveis (crise política, econômica, social, moral e espiritual), apresentando argumentos bíblicos de que a situação do país era fruto de seus próprios pecados. A Convenção Geral das Assembleias de Deus no Brasil (CGADB) e a Casa Publicadora das Assembleias de Deus (CPAD) conclamaram assembleianos de todo o país à oração pela nação. Já em março, o destaque foi dado à notícia de que um grupo de advogados e ativistas preparou ação junto ao Supremo Tribunal Federal em defesa do aborto de crianças portadoras de microcefalia, passo dado na intenção de depois legalizar todo tipo de aborto no Brasil. O crescente número de testemunhos de revelações e conversões a Cristo entre refugiados sírios e entre iranianos e curdos da região do Estado Islâmico foi nossa matéria de capa no mês de abril. Por sua vez, a oposição do Brasil a Israel recebeu destaque na edição de maio do MP. Na matéria, mostramos detalhes da má-relação entre os dois países, causada por postura antissionista do governo brasileiro, como, por exemplo, a rejeição ao embaixador israelense Dani Dayan, que foi escolhido pelo governo israelense para representar o país no Brasil. Sobre o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff, nós mostramos a força da Bancada Evangélica, que foi decisiva no processo, representando 21% dos votos a favor do afastamento definitivo da petista. E sobre o processo de cassação do ex-deputado e presidente da Câmara Federal Eduardo Cunha, o importante papel do deputado assembleiano Marcos Rogério, como relator do caso, também foi ressaltado. Na edição de julho, uma matéria sobre o atentado terrorista a uma boate de homossexuais em Orlando, Flórida (EUA), ocorrido em 12 de junho, que deixou 49 mortos e dezenas de feridos, realçou o contraste entre a real intolerância e a tolerância cristã. Especulações escatológicas com a saída da Grã-Bretanha da União Europeia, em plebiscito realizado em 23 de junho, foi matéria de capa da edição de agosto. A edição de setembro do Mensageiro da Paz falou sobre perseguição extrema a cristãos, que deixou saldo de morte e destruição pelo mundo, inclusive com seguidores de Jesus enterrados vivos na China. Em setembro, o Brasil recebeu, entre os dias 6 a 10, milhares de pentecostais de todo o mundo na 24ª Conferência Mundial Pentecostal em São Paulo, com o apoio da CGADB, e o evento foi destaque na edição de outubro do jornal. A força das Assembleias de Deus no cenário político nacional pôde ser vista mais uma vez em matéria publicada no MP de novembro: mais de mil vereadores, prefeitos e vice-prefeitos assembleianos foram eleitos em todo o Brasil. As razões do apoio evangélico a Trump, que envolvem Israel, Rússia e a Suprema Corte americana, bem como os erros de pesquisa da mídia sobre a vitória de Hillary, a permanência do Reino Unido na União Europeia e a aprovação do acordo com as Farc, compõem nossa matéria de capa deste último mês do ano.

Entre tantas outras matérias publicadas no Mensageiro da Paz durante este ano, ganharam destaque as relacionadas à CGADB, como a Assembleia Geral Ordinária realizada dias 24 e 25 de janeiro, na Assembleia de Deus Ministério do Belém em São Paulo (SP), onde foram aprovadas novas modalidades de votação para eleições da entidade, válidas a partir do ano que vem; cadastro biométrico de todos os ministros e informatização conjunta de todas as Convenções regionais com a Convenção Geral. Pela CPAD, foram realizadas Conferências de Escola Dominical, Encontros de Líderes de Jovens e Adolescentes, inaugurações de filiais no Continente Africano e no Brasil da filial no Rio Grande do Norte e de uma distribuidora em Alagoas, entre outras importantes ações. As Convenções regionais aparecem nas publicações de matérias de suas Escolas Bíblicas de Obreiros, Assembleias Gerais Ordinárias e Extraordinárias. Outras matérias focaram achados arqueológicos que lançam luz sobre passagens bíblicas, realizações de fóruns, congressos, conferências, aniversários de igrejas (algumas completando centenário, como as Assembleias de Deus nos Estados de Alagoas e Roraima) e milhares de batismos em águas; a ação sobrenatural do Senhor pode ser vista em manifestações de batismos no Espírito Santo, testemunhos de grandes milagres realizados por Deus em todas as partes do Brasil, com pessoas voltando à vida, outras curadas dos mais variados tipos de câncer.

Em seu significado, retrospectiva dizer respeito às coisas passadas. Na retrospectiva de nossa vida e de nossa família, nos lembramos dos momentos agradáveis que todos viveram, das decepções sofridas, das perdas enfrentadas, dos ente queridos que se foram. Para alguns, o ano que se encerra foi o ano de sua vida, para outros, o ano da dor, do luto, do choro e do lamento. Alguns desses momentos deixam marcas profundas, frustram expectativas.

A história vem sendo contada e os registros ficam como referência para que corrijamos rotas e permaneçamos naquilo que o Senhor confiou em nossas mãos para realizarmos. Em tudo é possível ver Deus no controle de todas as coisas. De tantas notícias publicadas, e das que ainda serão, uma nós não temos interesse algum de publicá-la: em breve o povo de Deus será levado do planeta Terra e as mídias de todo o mundo repercutirão o caso. Nós, porém, não estaremos mais aqui para registrar os fatos. Nossa esperança é de que estejamos com o Senhor para todo sempre, como bem nos assegura a Palavra de Deus: “Depois nós, os que ficarmos vivos, seremos arrebatados juntamente com eles nas nuvens, a encontrar o Senhor nos ares, e assim estaremos sempre com o Senhor” (1 Tessalonicenses 4.17). Esta é nossa grande expectativa, e ela não será frustrada. Portanto, “retenhamos firmes a confissão da nossa esperança; porque fiel é o que prometeu” (Hebreus 10.23). Como Jesus mesmo disse: “Não se turbe o vosso coração; credes em Deus, crede também em mim. Na casa de meu Pai há muitas moradas; se não fosse assim, eu vo-lo teria dito. Vou preparar-vos lugar. E quando eu for, e vos preparar lugar, virei outra vez, e vos levarei para mim mesmo, para que onde eu estiver estejais vós também” (João 14.1-3).

Por, Francisco Edilberto da Silva.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *